quarta-feira, 20 de junho de 2018

ESCOLA DOMINICAL PALAVRA E VIDA - Conteúdo da Lição 1


LIÇÃO 1

RESGATANDO O CUIDADO COM A FAMÍLIA
Texto Bíblico: 1Timóteo 5.8


Todas as nossas lições tratarão de resgate de valores na família. Desta maneira, iniciaremos falando sobre cuidados, pois se não houver o entendimento sobre o cuidado que se deve ter para com a família, nenhum outro valor a ser resgatado despertará interesse. Creio que todos concordam que estudar maneiras de se viver melhor em família seja algo muito importante. Se levarmos em conta que nossas famílias estão, nesses últimos tempos, sob um ataque intenso e constante das trevas, perceberemos que tentar encontrar maneiras de protegê-las e fortalecê-las se torna uma tarefa urgente e constante. Jesus conta uma parábola para nos sensibilizar a respeito das “tempestades” que vêm contra nossa casa: “Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa” (Mt 7.25 – NTLH). Essa previsão de Jesus está acontecendo em nossos dias de maneira intensa. Nossas casas, hoje, estão sendo açoitadas, sem tréguas, por fortes ventos de destruição. Há ataques contra a família vindo de todos os lados e o tempo todo. É urgente que nos posicionemos com firmeza, a fim de resistirmos às investidas das trevas contra nossas famílias. Essa parábola de Jesus tornou- -se perceptiva a todos. As “tempestades” estão batendo forte! Qual casa irá resistir? Muitas já foram destruídas. Quem teve seu lar destruído por uma “tempestade” lamenta a sua perda e a falta de prudência na sua construção e proteção. Precisamos cuidar de nossas famílias!

1. Cuidar da família é o primeiro testemunho de um crente
Todo crente em Jesus Cristo tem prazer em testemunhar do seu Senhor. Todo crente quer ser usado como um vaso de honra nas mãos de Deus. Porém, o que a Palavra deixa claro é que o testemunho do
crente começa dentro do seu lar, no cuidado com sua família. O texto básico desta lição é muito contundente, diz que se um crente não cuida da sua família é pior do que um não crente. Cuidar da família é algo tão importante que está relacionado diretamente com a fé, ou seja, quem não cuida da família está negando as orientações das Escrituras, logo, está negando a fé.

2. Como cuidar?
Quando se fala em cuidado da família, o primeiro pensamento que pode ocorrer é em relação à violência, principalmente nos centros urbanos. Naturalmente que este nível de proteção também é necessário, pois a Bíblia diz que o sensato se protege e o insensato acaba mal: “A pessoa sensata vê o perigo e se esconde; mas a insensata vai em frente e acaba mal.” (Pv 22.3 – NTLH). No entanto, há um nível de cuidado que se dá, não no plano físico, mas no emocional e espiritual. Todo membro de uma família, que já tenha maturidade suficiente para entender o valor da mesma e a consciência de que precisa fazer a sua parte para o bem do lar, deve se empenhar no cuidado para com a sua família.

3. Cuidamos da família quando a colocamos em primeiro lugar
A família é o bem mais importante que nós temos na vida. Apenas Deus vem antes da família, tudo o
mais vem depois. Quando um marido zela pelo seu casamento, tratando sua esposa como a pessoa mais importante de sua vida, ele está cuidando da família. Da mesma maneira, quando uma esposa dá atenção prioritária a seu marido, ela está cuidando da sua família, pois não há família segura se o relacionamento conjugal estiver fora dos trilhos. Um dos maiores cuidados que os pais devem ter para com os filhos é o bom exemplo na vida conjugal.
Quando os pais investem tempo na convivência com seus filhos, mesmo que tenham que sacrificar outros afazeres, eles estão cuidando da família. Os filhos vêm antes dos amigos. É lamentável quando
os pais sacrificam o relacionamento com os filhos para dar tempo aos amigos. Essa é uma inversão triste e perigosa, mas infelizmente, não rara. Os pais precisam compreender que seus filhos são prioridade. Precisam investir neles o melhor do seu tempo e o melhor de seus recursos.
Priorizar a família é tão importante que a Bíblia diz que, se um homem deseja ser pastor e dirigir uma Igreja, ele primeiro deve dar o exemplo no cuidado com sua família. “Este ensinamento é verdadeiro:
se alguém quer muito ser bispo na Igreja, está desejando um trabalho excelente... deve ser um bom chefe da sua própria família e saber educar os seus filhos de maneira que eles lhe obedeçam com todo o respeito. 
Pois, se alguém não sabe governar a sua própria família, como poderá cuidar da Igreja de Deus?” (1Tm 3.1,4 e 5 – NTLH).

4. Cuidamos da família quando respeitamos a individualidade de seus membros
Mesmo que saibamos que o cuidado com a família precisa ser prioridade de toda a sociedade, isso não impede que cada um cuide bem do ambiente interno de sua família. Esse cuidado parte do não exigir do outro a perfeição, saber equilibrar as expectativas em relação a cada um, sem querer fazer cumprir apenas a vontade pessoal.
Cada pessoa tem a sua maneira particular de ser, umas são mais extrovertidas, outras mais introvertidas, ambas merecem cuidado e respeito na sua maneira de ser.
Os filhos são diferentes uns dos outros. Os pais não devem exigir que reajam da mesma maneira, mas devem respeitar a cada um do seu jeito, inclusive respeitando as limitações de cada um. O cônjuge precisa ser tratado com respeito e cuidados especiais. Devemos ficar atentos porque há muita expectativa em torno do casamento. Homens e mulheres se casam esperando que o outro lhes atenda exatamente naquilo que desejam. Mas não se pode esquecer que cada pessoa tem seu perfil, suas virtudes, mas também seus limites. Os filhos devem respeitar a autoridade dos pais que foi dada por Deus e estes não devem irritar seus filhos na maneira de educá-los.

5. Cuidamos da família quando vivemos com moderação
Os excessos são perigosos. A moderação em toda a maneira de viver deve ser nosso alvo de vida.
A moderação tanto serve para os excessos, quanto para a postura e comportamento. Em relação aos
excessos, devemos evitá-los em todos os sentidos. Precisamos buscar o equilíbrio na vida em família. Vejamos alguns exemplos:
Mulheres muito exigentes com a limpeza da casa provocam nos filhos o interesse pela rua ou pela casa dos amigos; pais muito exigentes com as notas da escola provocam desânimo nos filhos que não conseguem atingir a nota máxima; cônjuges que exigem muito do outro provocam desinteresse em caminhar juntos. Pessoas muito nervosas, que perdem a paciência com facilidade, membros da família que gritam dentro de casa com os outros, pessoas que não relevam pequenos deslizes do outro, traz desarmonia na família.
Sem moderação no comportamento de seus membros, a família se sente desprotegida, pois o ambiente em que está instalada é o de medo ou de hostilidade. “Seja a vossa moderação conhecida de
todos os homens. Perto está o Senhor” (Fp 4.5 – ARA). Moderado, do grego epieikes significa razoável, cordato, tendo também ideia de gentil, não briguento. Pode conter também a ideia de paciência, de saber suportar adversidades sem perder a razoabilidade.
Cuidamos da família quando vivemos com moderação!

Para pensar e agir:
- O ambiente do seu lar transmite segurança nos relacionamentos?
- Você tem liberdade para ser quem é, sem sentir constrangimento no seu lar?
- Você transmite segurança aos demais membros de sua família com seu jeito de ser?
- Sua família é prioridade em sua vida?
- Acha que o cuidado com a família é algo a ser resgatado em sua casa?
- O que você tem feito, ou pretende fazer, para garantir que seu lar seja um ambiente de segurança e respeito para todos?

Pr Marcos André - Contatos para palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)
SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.