sexta-feira, 13 de julho de 2018

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 3


AULA EM 15 DE JULHO 2018 - LIÇÃO 3
(Revista CPAD)

Tema: Os Ministros do Culto Levítico


Texto Áureo: Lv 9.23

INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição apresente o serviço levítico como uma tipologia do que deve ser o serviço dos servos de Cristo nos dias atuais.
"veremos como se deu a chamada dos filhos de Levi para o ministério sacerdotal", poucas pessoas sabem os motivos que levou o Senhor a escolher essa tribo para o serviço sacerdotal, pergunte à classe se alguém sabe.
"nós também fomos chamados a trabalhar na expansão do Reino de Deus", essa é a aplicação prática dessa aula, é bom passar para os alunos isso, que nós somos os levitas dos dias atuais e não somente os que cantam, mas todos os que trabalham no Reino.

I – LEVI, A TRIBO SACERDOTAL

1. O nascimento de Levi.
"Agora, esta vez se ajuntará meu marido comigo", conforme a cultura da época, a esposa agradava o marido ao dar-lhe um filho homem, pois o filho homem era visto como bênção do Senhor, e Lia vivia num clima de disputa, porque Jacó tinha quatro mulheres e não amava Lia.
"de fato, os levitas sempre estiveram ligados ao Senhor", aqui o comentarista busca apresentar um motivo para justificar a escolha dessa tribo como um tribo sacerdotal, na verdade não foi esse o motivo. 

2. O zelo dos levitas.
- "pelo que inferimos do texto sagrado", a inferência é um recurso da interpretação onde o leitor infere algo no texto que não é mencionado, como um comportamento, um sentimento e toma isso certo, o problema é que se não for aplicado corretamente acaba virando um perigosa especulação.
"os levitas juntaram-se a Moisés no combate à idolatria gerada pelo bezerro de ouro", de acordo com a análise teológica dos textos, esse teria sido o principal motivo pelo qual o Senhor escolheu os levitas como a tribo separada para as funções sacerdotais.

3. A vocação sacerdotal dos levitas.
- "Não foi sem motivo que o Senhor escolheu a tribo de Levi (Êx 6.14-27).", a referência aqui trata da benção do Senhor à casa de Levi, por terem sido os levitas Moisés e seu irmão Arão que foram à Faraó para tirarem o povo do Egito.
"Ao invés de cada família entregar o seu primogênito ao serviço divino", era as primícias de cada família para o Senhor, assim como o Senhor entregaria seu primogênito também ele exigiu que cada família desse o seu primogênito, assim como também tomou dos egípcios. Mas em Israel para que o Senhor não cobrasse de todas as famílias, Deus chamou todos da tribo de Levi.   

II – O SUMO SACERDOTE

1. Descendente de Arão.
- "principal representante do culto divino no Antigo Testamento",  o único que entrava no Santíssimo Lugar, onde estava a Arca do Concerto, sobre a qual se manifestava a presença de Deus entre os querubins no propiciatório:
"e de uma família ainda mais específica, a casa de Arão", o sacerdócio sobre a casa de Arão é chamado de sacerdócio araônico, por ser hereditário (a tampa da Arca).
"Portanto, ele fazia a intermediação entre o povo de Israel e o santíssimo Deus.", esse é um tipo de Cristo, pois Jesus é que na graça, faz intermediação entre os homens e Deus.

2. Ungido para o ofício.
...

3. Vitalício no cargo.
- "A vitaliciedade do sumo sacerdócio", significa que o cargo de sumo sacerdote era enquanto durasse a vida, ou seja, pra toda a vida.
"Eleazar seria substituído por seu filho Fineias", ou seja, era vitalício e hereditário, durava enquanto durava a vida e passava de pai pra filho. Por isso o sacerdócio de Jesus não pode ser segundo a ordem de Arão, pois a morte não tem poder sobre Jesus e ele não possui filhos humanos.

4. Servo de Deus.
"Sua obrigação era servir o altar e conservar-se puro", ele poderia casar-se, pois o sexo com o conjugue  nunca foi visto como impureza, mas nos dias de hoje um sumo sacerdote teria muita dificuldade, pois a impureza está tão presente no mundo quanto a glória de Deus está no céu.
"a fim de que o nome do Senhor fosse exaltado entre os filhos de Israel", o sumo sacerdote era o único que ministrava diante da Arca do Concerto e via a glória de Deus sobre o propiciatório.

III. DIREITOS E DEVERES

1. Viver do altar.
- "desse mesmo altar deveriam viver", dos sacrifícios que eram trazidos, alguns poderiam ser movidos para os sacerdotes. Dessa forma eles não precisariam trabalhar, podendo exercer suas atividades como ministros de Deus.
"não tinham eles direito a qualquer herança territorial", a vida deles deveria ser um exemplo para todo o Israel de como se é viver na dependência exclusiva de Deus.

2. Santificar-se ao Senhor.
...

3. Tornar-se uma referência espiritual e moral.
- "tinham a obrigação de ser uma referência espiritual", ainda hoje obrigações como esta são impostas aos sacerdotes de Deus, os pastores e líderes em geral. Devemos ser referência de vida com Deus, pesa sobre nossos ombros. 
"E, por causa disso, Deus os matou", era uma grande responsabilidade ser um sacerdote de Deus e o pensamento do Senhor acerca disso não mudou. Ele continua enxergando seus ministros com a maior importância e embora Ele não esteja matando os seus sacerdotes devido à graça, a cobrança no dia do juízo será muito mais do que a dos outros cristãos.
- Faça a revisão e corrija o questionário. 


Pr Marcos André

Pr Marcos André - Contatos para palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.