terça-feira, 7 de agosto de 2018

ESCOLA DOMINICAL PALAVRA E VIDA - Conteúdo da Lição 7


Lição 7
CUIDANDO DE SUA VIDATexto Básico: 
Colossenses 3.1-7

Em um mundo onde as pessoas estão cada vez mais distraídas e centradas em si mesmas, o desafio para os filhos de Deus é viver uma vida centrada em Cristo.
Este assunto causa sempre algum incômodo, pois o discípulo precisa estar sujeito a constantes acertos
ao longo da jornada de fé. Contudo, o assunto precisa ser encarado com seriedade por aqueles que pertencem a Cristo.
Sendo assim, o que você pode fazer para cuidar de sua vida? Se você deseja receber uma resposta honesta, observe a diretriz dada pela Palavra de Deus.

1. Avalie sua conduta como discípulo de Cristo
“Já que fostes ressuscitados com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à direita de Deus” (3.1 – Almeida Século 21). Diante da ação inegável de Deus e da transformação produzida pela ação de Cristo, aqueles irmãos deveriam seguir um caminho diferente (2.12). Paulo começa falando do lado positivo da obra Espiritual.
Perguntas relevantes:
1.1 Você está buscando as coisas de cima?
Buscai” – A ideia é “procurar”.
Uma atividade contínua e habitual, como resultado da obra espiritual. Quem foi transformado deve seguir este caminho, fixando sua atenção em tudo que está ligado a Cristo (Mt 6.33).
De cima” – Significa: “as coisas do alto”. A Igreja tão ameaçada em Colossos precisava manter seus olhos nas coisas do alto. Paulo combate claramente a visão terrena dos falsos mestres, que era passageira, mostrando a importância de fixar nossa mente onde Jesus está.
Direita de Deus” – Aqui temos uma metáfora baseada nas cortes reais que ocupava esse lugar, que era o mais honrado pelo Rei. É um simbolismo do poder e posição de Cristo (Ef 1.20; 1 Pe 3.22)
1.2 Você está pensando nas coisas de cima?
O texto diz: “Pensai nas coisas de cima, e não nas que são da terra”
(3.2 – Almeida Século 21). Pensar aqui é “fixar a mente sobre algo que deve ser cultivado” (Rm 12.1-2). 
Isso é mordomia da mente. Portanto, temos dois imperativos: “buscai e pensai” que retratam duas posturas que não podem ser esquecidas pelos filhos de Deus.
1.3 Você tem consciência de que morreu para o mundo?
O texto ainda diz: “pois morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus” (3.3 – Almeida Século 21). Morrestes, aqui, significa a morte para o mundo, a morte do velho homem, da religião ritualista (Rm 6.1-3). Aquele que “morreu“ tem sua vida “escondida com Cristo”. A ideia da vida escondida em Deus sugere três pensamentos:
Nova vida (2Co 5.17), identificação (Rm 6.4) e segurança (Rm 8.37-39).
1.4 Você espera o momento de viver eternamente com Cristo?
O texto afirma: “Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, também vos manifestareis com ele em glória” (3.4 – Almeida Século 21).
O texto se refere à vinda do Senhor. Este é um momento que todo discípulo deve aguardar com esperança.
Paulo está mostrando que já temos resultados maravilhosos na obra da redenção, mas quando estivermos na glória com Cristo, desfrutaremos da plena manifestação da glória, que agora é parcial. Este é um encorajamento para aqueles que estão em Cristo continuarem aguardando sua volta. (1Co 15.58, Jo 14:3).
Cuidar da vida é pensar nessas verdades e responder a todas essas indagações. Siga para o próximo passo.

2. Elimine as possíveis ameaças
Quem se propõe a glorificar a Deus através de sua existência deve ouvir com atenção a orientação de Paulo aos Colossenses:
“Portanto, eliminai vossas inclinações carnais...” (3.5 – Almeida Século 21). A Nova Versão Internacional diz: “Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês...”. Aqui está em foco o corpo humano como instrumento para o pecado.
A expressão “eliminai” tem a ideia de “mortificar, fazer morrer, matar”. O significado aqui deve ser comparado a Romanos 6.11: “Assim, também, considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus” (Almeida Século 21). Esta é uma postura saudável aos que desejam viver para a glória de Deus. O imperativo nos mostra a responsabilidade de “fazer morrer” a nossa natureza (Rm 8.13). A natureza pecaminosa não é vencida quando alguém fere ou machuca o próprio corpo. No restante do verso 5, o apóstolo traz uma lista de práticas que deveria ser exterminada ou eliminada:

Prostituição (Grego: Porneia) – A melhor tradução aqui seria “imoralidade”. A palavra é usada, geralmente, a fim de indicar todas as formas de pecado sexual, e não apenas o tráfico comercial do sexo.
A prostituição sexual é toda atividade sexual fora do casamento. O termo grego “porne” significa “prostituta” e o termo pornografia se baseia nesta expressão.
Demóstenes, orador dos mais famosos da Grécia disse: “Nós reservamos amantes para nosso prazer; concubinas para as necessidades corporais do dia a dia; mas temos esposas para produzir crianças legitimamente e para ter quem seja fidedigna para guardar os nossos lares” 1. Somente na cidade de Corinto havia cerca de mil pessoas se prostituindo (mulheres e homens) servindo no templo de Afrodite (Deusa do amor).
2.2 Impureza – Qualquer forma de impureza moral. Particularmente perversão sexual.
2.3 Paixão – “Desejo irrestrito”.
A palavra indica um impulso ou força que não descansa até ser satisfeito. Tal paixão pode levar aos excessos sexuais e às perversões (Rm 1.26).
2.4 Desejo mau (ou vil concupiscência) – “Desejo” (Grego: epithumia).
A palavra é mais ampla que a anterior e abrange todos os maus desejos. A expressão é acompanhada do adjetivo grego “kaken”, que significa “maligno”, indicando todos os desejos desviados.
No Novo Testamento existem outros textos onde aparece a palavra epithumia, traduzidos como:
“Paixões da juventude” (2Tm 2.22), “desejos que tínheis em tempos passados” (1Pe 1.14), “desejos impuros” (2Pe 2.10), “desejos maus e enganadores” (Ef 4.22) e “desejo da carne” (1Jo 2.16).
2.5 Avareza – “Insaciabilidade”.
O desejo de “ter mais” (Ef 5.3). Paulo falava de vícios sexuais, agora quebra sua sequência falando desse desejo. Trata-se de uma cobiça pela fama, pelo lucro ou por vantagens terrenas.
2.6 Idolatria – Paulo definiu “avareza” como idolatria. Quando alguém adora aquilo que ama, seja o dinheiro, as vantagens sociais ou os prazeres, isso se torna o seu “deus”.
Quem deseja cuidar de sua vida com honestidade deve eliminar tudo  que ameaça sua saúde espiritual
(1Ts 4.3-7). Existe algo que tem se constituído uma ameaça para sua vida espiritual? Existe alguma coisa que deve ser tirado de sua vida?
Essas perguntas são relevantes para quem deseja glorificar o nome de Deus. Aceite o último desafio.

3. Viva no temor de Deus
O verso 6 traz a seguinte declaração: “é por causa dessas coisas que a ira de Deus sobrevém aos desobedientes” (Rm 1.18-32 – Almeida Século 21). É o resultado, uma punição presente e eterna que sobrevirá àqueles que praticam atos condenados no verso 5 (Rm 2.3-5). Paulo os chama de “desobedientes” – expressão hebraica que indica aqueles que por natureza são desobedientes (Ef 2.2).
Ele deseja apontar para um resultado trágico na vida dos desobedientes e, ao mesmo tempo, indicar que o caminho dos obedientes é viver no temor de Deus (Pv 1.7).
Aqueles que já experimentaram o novo nascimento devem produzir bons frutos. Qualquer atitude diferente depõe contra a fé em Cristo.
Os falsos mestres não valorizavam uma vida santa, corrompiam o verdadeiro ensino e não viviam no temor de Deus. Para os irmãos da Igreja de Colossos, Paulo diz: “Nelas também andastes no passado, quando ainda vivíeis nessas coisas” (3.7 – Almeida Século 21). Indica uma ação habitual na experiência do passado sem Cristo, agora a vida é nova. Já foi o tempo, agora o andar é novo e no Espírito (Gl 5.16). Assim, a exortação paulina precisa ser ouvida com seriedade: “Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de toda impureza do corpo e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus” (2 Co 7.1 – Almeida Século 21).
E ainda: “Pois no passado éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor.
Assim, andai como filhos da luz” (Ef 5.8 - Almeida Século 21).

Para pensar e agir:
Diante disso, uma avaliação pessoal e corajosa é necessária, se realmente você deseja cuidar de sua vida com seriedade. Faça sua avaliação:
Como você julgaria a si mesmo em relação a buscar e pensar as coisas de cima?
( )Ruim ( )Médio ( )Bom ( )Ótimo
Como você se julgaria em relação a exterminar suas inclinações carnais?
( )Ruim ( )Médio ( )Bom ( )Ótimo
Como você julgaria a si mesmo em relação a viver no temor de Deus?
( )Ruim ( )Médio ( )Bom ( )Ótimo
Se você almeja cuidar de sua vida espiritual de forma eficaz, lembre-se de tomar três atitudes práticas: avalie-se constantemente, elimine as ameaças que podem prejudicar sua caminhada de fé e viva no temor de Deus.

Fonte: Revista Palavra e Vida

Contatos Pr Marcos André: palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.