INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

terça-feira, 28 de agosto de 2012

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio - Lição 10 - Revista CPAD


AULA EM 2 DE SETEMBRO DE 2012 - LIÇÃO 10
(Revista: CPAD)

Tema: “A Perda dos Bens Materiais”
  
Texto Áureo: Jó 1.21
  
INTRODUÇÃO
- Amado(a) professor(a), você ensinará nesta aula que o maior bem que
alguém pode ter é a Jesus Cristo. Tenha consciência do desafio, pois as
mensagens atuais são de prosperidade e busca de milagres.
- Comece contando a história de Jó para seus alunos, pode ser que alguém
não conheça essa história.

- “realidade das perdas humanas”, comente que o evangelho pregado
atualmente em muitos lugares, passam a ilusão de uma vida sem problemas.
- Mas não podemos esquecer que os apóstolos e os pais da Igreja sofreram
perseguições, mortes, aflições e perda dos bens. Teria Deus mudado de ideia
e hoje teríamos só as bênçãos enquanto eles tiveram a morte?
-“vitorias e conquistas”, relembre com os alunos o “triunfalismo”, que
é uma visão doutrinária de que o crente é sempre vencedor, e que nada o
atinge.
-“resignação ante a soberania”, resignação significa rendição, e soberania
é a autoridade de Deus para fazer o que Ele quer e quando Ele quiser, o texto
enter parenteses significa se render ante a vontade soberana do Senhor.
__________________________________________
1. JÓ E A EXPERIÊNCIA DAS PERDAS HUMANAS

1. Seu gado e rebanho.
- O livro de Jó traz alguns ensinamentos:

1. Mostra a soberania de Deus.
2. Mostra que Deus não trabalha de acordo com uma lógica humana, só porque
alguém é fiel, não quer dizer que será sempre abençoado.
3. Mostra para nós que existem homens que suportam a adversidade sem
abandonar o Senhor.
4. Mostra para o Diabo que existem pessoas que não são interesseiras, que não estão
buscando a Deus somente pelo que ele pode dar.

2. Seus servos.
- “fogo de Deus”, tudo que ocorreu nesse livro, Jó e seus servos atribuem a Deus,
embora o livro fala da existência de Satanás, não vemos Jó atribuindo nada a ele. Na
verdade entendemos que tudo está no controle de Deus, não foi Satanás que
buscou tentar a Jó, mas foi Deus que primeiro puxou o assunto, pois o Senhor
sabia de tudo que ia acontecer. Tudo foi provocado por Deus.

3. Seus filhos.
- “adorou a Deus”, o caso de Jó é emblemático, serve para nos ensinar sobre
a soberania de Deus, não quer dizer que todos serão provados ao extremo, até o seu
limite.

- “processo da perda”, essa foi a prova de Jó, não quer dizer que será a mesma
para todos, só a resposta de Jó diante da tribulação deve ser a mesma para
todos nós.
 _________________________________________
2. A PERDA DOS BENS
           
            1. De ordem material.
            - “imediatista”, é a característica daquele que deseja tudo imediatamente,
achando que Deus tem que fazer tudo rápido. Uma das frases que mais ilustram
esse pensamento na igreja é essa: “Hoje é o dia da sua vitória!” é uma
frase subjetiva e ilusória, deve ser evitada.
-“o chão se abre”, quer dizer que a pessoa perde seu equilíbrio e sua base
diante das notícias ruins.
-“não há receitas”, não tem como lidar com essa situação de outra forma,
o único jeito é ensinar a confiança no Senhor e na vida eterna, que está
preparada para nós. Só que esse ensinamento deve ser passado no dia-a-dia
não adianta ensinar só na hora da perda.

2. De ordem afetiva.
- “ser preterido”, é ser desprezado.

- “mostramo-nos inconformados”, essa é uma reação natural do ser humano,
o luto e o choro deve ocorrer para aliviar um pouco a alma do sofrimento. Existem
irmãos que tentam mostrar fé na situação de perda, escondem o sofrimento
indo ao culto, se fazendo de forte espiritualmente. Isso não é bom para a pessoa,
todos devem extravasar a perda do ente querido, sentimento preso pode corroer
a pessoa por dentro.

3. De ordem espiritual.
- “crise espiritual”, nessa hora é que os irmãos devem ajudar com conselhos
visitas e demostração de carinho. Oriente aos alunos que não se deve agir
como os amigos de Jó, que o acusavam sem conhecer seu real problema,
são muitos irmãos que ao saberem de alguém que se encontra na tribulação,
afirmam: Está em pecado! ou Está sendo castigado! 
  
- “inércia”, estado do que está parado, quando o crente entra na crise espiritual,
a primeira coisa que ele perde é a vontade de orar, e depois deixa de ir a igreja.

- “lançar sobre o Senhor”, é orar entregando tudo nas mãos do Senhor, falando
com Ele como se conversa com o amigo mais íntimo, desabafando com Ele.
 _________________________________________
3. MESMO NAS PERDAS PODEMOS DESFRUTAR O
AMOR DE DEUS

1. Sua graça.
- “espinho”, era o espinho na carne de Paulo, foi o nome que Paulo deu ao
problema que o atrapalhava a fazer a obra de Deus, esclareça para os alunos
que ninguém sabe exatamente o que seria esse espinho.
-“aperfeiçoa na fraqueza”, o Senhor com essa afirmação disse que nas
dificuldades nós nos aproximamos mais de Deus, buscamos mais o Senhor,
oramos mais, vamos mais aos cultos e assim nossa fé aumenta e o poder de
Deus se aperfeiçoa em nós.

- “nos basta por si mesma”, essa última parte está explicando porque Deus
declarou que a sua graça nos basta, ou seja, porque ela é completa. Com a
graça de Cristo, não precisamos de mais nada. Jó tinha Deus e por isso ele
suportou perder tudo.

2. Seu amor.
- “graça de Deus”, é o favor de Deus por nós, entregando seu único Filho
sem que nós merecêssemos. Nós nunca fizemos nada pelo Senhor e Ele
já tinha entregue seu Filho por nós. Por isso foi de graça.

3. Deus intervém na história.
- “inefável”, é o que não se pode expressar verbalmente, aqui está dizendo
que a graça e o amor de Deus não se pode explicar com palavras.
-“patriarca”, na teologia se chama patriarca a todos os que primeiro
adoraram e buscaram a Deus no Antigo Testamento: Abraão, Isaque,
Jacó, Jó e os doze filhos de Jacó. Jó é da mesma época de Abraão, o
livro de Jó é o mais antigo da Bíblia. 

- “orava por seus amigos”, foi a atitude de Jó no momento em que Deus
o abençoou. Assim temos esse ensinamento, nas nossas aflições o Senhor
nos usará para interceder pelas pessoas.
________________________________________
CONCLUSÃO
- “baluarte”, palavra francesa para designar construção alta e fortificada.

- O desejo de Habacuque era que o Senhor avivasse a sua obra, por isso
ele faz essa oração, e nessa oração ele demonstra um coração avivado,
a sua declaração no final da oração mostra a verdadeira atitude de alguém
avivado.
- Muitos pensam que porque estão na igreja, falando em línguas ou louvando
no grupo, estão avivados, mas se o crente não estiver com a mesma disposição
de Jó e Habacuque, estão frios pra Deus.  

 Boa aula!

Um comentário:

  1. Quero saldar o irmão com paz do Senhor Jesus cristo
    E dizer que quando encontrei esse blogger e vi o conteúdo (ex)escola dominical louvei a Deus pois fui convidado encimar na igreja onde congrego pelo o Pastor estudei as lições mas faltava alcunha coisa pesquisando na internet encontrei tudo que no momento eu precisava neste blogger.Abraços Deus te abençoe sempre Gilvan Silva

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.