sábado, 2 de fevereiro de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 5 - Revista da Central Gospel



AULA EM___DE______DE 2013 - LIÇÃO 5
(Revista: Central Gospel)

Tema:  AUTORIDADE DAS ESCRITURAS
  
Texto Áureo:  Sl 119.93,94
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), há uma grande dificuldade em ensinar a Palavra de Deus ao Seu povo, pois a preferência tem sido para os movimentos triunfalistas ou de prosperidade financeira, enquanto a profundidade das Escrituras é deixada de lado. Passe esta aula com o coração para que seus alunos sejam alertados desse grande mal.
- “direito de nortear nossa vida”, nortear é achar o norte, é dar uma direção, aqui significa dar as Escrituras o direito de nos mostrar a direção certa. Além de mostrar a direção certa a Bíblia também acusa a direção errada, por isso que muitos irmãos fogem dela, pra ficar nos “retetés” e faltando a Escola Dominical, pois a Bíblia logo aponta seus erros.
- “usados por Ele para escrevê-la”, esse processo é chamado de inspiração divina.
__________________________________________
1. ORIGEM DAS ESCRITURAS
- Você pode acrescentar também que ela foi escrita no período aproximado de 1500 anos, por cerca de 40 autores.

1.1. O material utilizado
- “primeiros manuscritos bíblicos”, manuscritos são os textos escritos à mão, aqui se refere aos originais, aqueles que foram escritos diretamente pelo autor. Esses originais não existem mais.
- “pergaminho”, é feito de pele de animal, geralmente carneiro, curtida e preparada para se escrever. Tem esse nome devido ter sido produzido na cidade de Pérgamo.

1.2. Da oralidade à escrita
- “por muito tempo foi assim”, O exemplo disso é que Moisés escreveu sobre Adão, Eva, Abel, Noé, Abraão, Isaque e Jacó, sendo que ele viveu bem depois deles, pois na época deles ainda não era conhecida a escrita, apesar de já existir. Moisés conhecia as histórias desde o princípio da criação, pois elas eram passadas de pai para filho (oralidade).

1.3. Gêneros discursivos
- “discursivo”, é o que fornece argumentos para o debate.
- “códigos legais”, são os códigos que tem função de lei, por exemplo: “não matarás”, a Bíblia está repleta deles e servem para todos os povos e são seguidos por todo tipo de pessoa desde ateus à feiticeiros, não há quem não siga algum ensinamento bíblico.
- “relatos épicos”, são os relatos das histórias ocorridas em épocas muito antigas. Ex. os feitos dos valentes de Davi.

1.3.1. Narração
- “plano maior”, quer dizer que cada história faz parte de um contexto universal com um propósito específico para toda a humanidade.
- “o protagonista da narração”, protagonista é o personagem principal.
- Os livros da Bíblia que narram as histórias do povo judeu são os chamados “livros históricos”, são eles: Josué, Juízes, 1º e 2º Samuel, 1º e 2º Reis, 1º e 2º Crônicas, Rute, Ester, Esdras e Neemias.  

1.3.2. Leis
- “livro da Lei”, se refere aos cinco primeiros livros, também chamado de Pentateuco.
- As Leis foram dadas por Deus para definir o certo do errado, a fim de orientar os servos de Deus a fazerem Sua vontade. Também servem para mostrar ao homem o quanto sua natureza é falha e a necessidade de um redentor.

1.3.3. Poesia
- Nós não podemos perceber os recursos poéticos como a rima, o trocadilho e o jogo de palavras devido a tradução, pois ao traduzir não é possível manter esses recursos de poesia.

1.3.4. Profecia
- No Antigo Testamento existia o ministério profético dado a alguns homens de Deus, usados pelo Senhor para falar com Seu povo. Atualmente não existe mais esse ministério, hoje o Espírito Santo concede dons diversos, entre eles o de profecia.
- Os livros da Bíblia que representam esse ministério são os dos profetas literários chamados de profetas maiores e profetas menores.
- São ao todo 16 profetas, sendo 4 maiores e 12 menores.

1.3.5. Evangelhos
- São quatro evangelhos, sendo três sinóticos (semelhantes) Mateus, Marcos e Lucas, são parecidos por terem sido produzidos de uma mesma fonte de relatos e o de João que tem características próprias.

1.3.6. Epístolas
- Além desses autores temos a carta aos Hebreus da qual não conhecemos a autoria.
- Essas cartas eram endereçadas às igrejas e obreiros. Devido ao seu rico conteúdo elas eram constantemente lidas diante da congregação como parte das cerimônias, por isso passaram a ser consideradas inspiradas por Deus como a divina revelação de Sua vontade.
- Muitas outras cartas desse período foram rejeitadas por não serem inspiradas por Deus.
________________________________________
2. INSPIRAÇÃO DAS ESCRITURAS
            - “A Bíblia é diferente”, Há muito tempo a Bíblia é o livro mais lido e mais vendido em todo mundo, Jamais saiu da primeira posição, sendo seguida de muito longe pelo segundo lugar.

            2.1. Teorias insensatas
            - “cético”, descrente
- “ditado verbal”, como se Deus tivesse falando ao pé do ouvido do escritor, para ele escrever conforme Sua Palavra.
- Lembre que na Bíblia encontramos palavras que foram escritas ou ditadas diretamente pelo Senhor, Ex: os dez mandamentos Ex 20

2.2. Teoria coerente 
- “teoria verbal e plenária”, o correto é “verbal plenária”, pois é uma só teoria.
- Mesmo crendo nessa teoria entendemos que o Senhor respeitou o conhecimento e estilo de cada autor. Assim encontramos na Bíblia termos próprios de cada época. Ex: “O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel, e seus cavaleiros!” 2 Rs 2.12  A parte sublinhada tem valor de interjeição e era comum no tempo de Elizeu em Samaria.
           
            3. O PODER DAS ESCRITURAS
- O melhor exemplo de poder as Escrituras está neste versículo:
“Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei”. Is 55.11
- Comente que ela tem poder no coração do ímpio e do crente.

3.1. A Lei é ouvida
- Esdras além de sacerdote também era um escriba, letrado, por isso se destaca mais do qualquer outro sacerdote de seu tempo, inclusive o sumo sacerdote.
- “Todos queriam entendê-la”, esse evento ocorreu após o cativeiro, pois o povo todo entendeu que o motivo de vir o cativeiro foi a falta de conhecimento do Senhor. Por isso desejavam conhecer a Lei e abandonar de vez toda a idolatria, nunca mais houve idolatria em Israel após o cativeiro. Infelizmente muitos irmãos esperam o pior acontecer para decidirem a buscar o conhecimento de Deus dentro da Palavra.

3.2. A reverência do povo
- “consciência do pecado”, essa é um obra da Lei, nos mostra como somos dependentes de Deus, e precisamos nos aproximar de Jesus. O Espírito Santo é quem promove isso no ser humano, mas para isso Ele precisa da espada que é a Palavra de Deus. Uma pessoa pode até manifestar dons espirituais, mas só será transformada de verdade se conhecer e praticar a Palavra do Senhor. A espada do Espírito não é só para combater o mal nos outros, mas também o mal em nós.
- “aferidas a doutrina e a conduta”, aferir significa medir comparando com um padrão. A doutrina nas igrejas e a conduta dos filhos de Deus devem seguir o padrão da Palavra. Hoje existem crentes que usam “gatonet” (TV a cabo pirata) outros ao acharem um celular, tiram o chip em vez de entregar o aparelho ao dono, outros são caloteiros, etc. Isso ocorre porque os padrões de conduta não estão sendo medidos conforme a Palavra de Deus.

3.3. Adoração consciente
- O povo estava adorando conscientemente a Deus conhecendo Sua vontade. Isso porque eles entenderam a Palavra de Deus. Muitos cultos acontecem de forma desordeira, onde os visitantes não entendem nada do que está acontecendo. Não é um adoração consciente.
- Veja como foi que a Bíblia avivou aquele povo:
“E leram no livro, na lei de Deus; e declarando, e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse.” Ne 8:8

            _________________________________________
CONCLUSÃO
- Conclua mostrando para os irmão que muitos não são avivados na presença do Senhor, por não buscarem da maneira correta, só o buscam na oração. A busca correta a Deus é com oração, jejum e lendo a Palavra de Deus.
- “aperfeiçoamento...pelo conhecimento”, para isso precisamos deixar de conhecer a Bíblia superficialmente, precisamos nos aprofundar nela. Obedecendo ao Senhor que nos convida a entrar mais nos seus rios, pois a água ainda está pelos tornozelos, outros somente pelos joelhos, mas cada vez o Espírito nos convida a entrar mais mil côvados.  

Boa aula!

Marcos André - professor

5 comentários:

  1. este esbolço e uma ferramenta de grande valor para esta liçao e de aprendizado pessoal.

    ResponderExcluir
  2. ótimo esboço, eu sou somente um aluno mas é de muito valor o qu vc escreveu para a edifacação da fé

    ResponderExcluir
  3. esse esboço e na verdade uma aula ao professor Deus abençoe sua vida
    já estou acompanhando seus estudos, muito obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom!!! Que Deus te abençoe, que um dia eu possa ter esse entendimento. AMÉM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, obrigado pelas palavras, o conhecimento está bem diante de todos nós, caba sair para colher como o maná que descia no campo.

      PAZ DE JESUS.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.