sexta-feira, 1 de março de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 9 - Editora Betel



AULA EM 03 DE MARÇO DE 2013 – LIÇÃO 9
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “Teologia da Prosperidade e o Cristianismo Puro e Simples”
  
Texto Áureo: Jo 14.13
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta aula você será um apologeta em defesa da fé e contra a falsa doutrina sobre a prosperidade.
- “teologia da prosperidade”, lembre aos alunos que a Bíblia apresenta prosperidade na vida de alguns homens de Deus, mas não pode ser visto como regra para todos, pois alguns viveram em pobreza, sofreram perseguições e foram mortos por reis, presos e até serrados ao meio. A teologia da prosperidade que se prega hoje não se parece com a que a Bíblia apresenta.
- Dentre os muitos teólogos que pregam essa teologia hoje encontramos os mais influentes: Avanzini, Oral Roberts, Cerullo, Kenneth Hagin e o possível fundador deste movimento Essek William, que usava sempre a expressão “O que eu confesso eu possuo”.
- “seitas sincréticas”, são seitas que praticam o “sincretismo religioso” que é a mistura de crenças de diversas origens. Então seitas sincréticas são seitas de diversas origens. Lembrando que seitas são ramificações da religião principal, que julga ser a verdadeira.
- “nesse meio”, quer dizer, no meio pentecostal é onde essa teologia cresce mais, confirme isso com seus alunos, pois infelizmente muitíssimos pentecostais abandonaram a são doutrina e passaram a se afirmar somente naquilo que dá resultados rápidos.

1. O QUE É TEOLOGIA DA PROSPERIDADE?
- Experimente fazer essa pergunta para seus alunos para saber quem leu a lição em casa, exalte aqueles que assim fizeram e recomende a todos que leiam a lição na semana que antecede a aula.
- “se uma pessoa desejar vencer”, vencer no sentido material financeiro, seria a pessoa se esforçar, estudar, trabalhar e aproveitar as oportunidades.
- “a questão é de ênfase”, “ênfase” é priorizar algo, quer dizer que a teologia da prosperidade, não fala contra as principais doutrinas. O mais importante é entendermos que o problema desta teologia é sobre a ênfase que é dada à busca pela benção financeira, um mestre da fé, ou seja, da teologia da prosperidade deferiu a seguinte frase “Não somente a ansiedade é um pecado, mas também o ser pobre quando Deus promete a prosperidade”.
- Mas Jesus deixou-nos uma instrução muito importante no evangelho de Lucas:
“E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui” Lucas 12:15.

1.1. O seu conteúdo
- “individualismo”, nessa teologia é incentivado a ter, a mostrar que tem e a pregar pelo que se tem, apresentando a prosperidade como um sinal de que Deus abençoa e de que vale a pena ser evangélico.
- Para eles Deus quer a felicidade, os bens materiais”, para os pregadores dessa teologia, Deus quer tudo isso que está sendo citado.
- Lembre aos alunos que a igreja primitiva não viva desta forma “E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha” Atos 4:32-35.
- “através de campanhas e correntes”, DENÚNCIA: muitas igrejas pentecostais deixaram de atender aos propósitos que tinha a irmã Albertina quando criou o “Círculo de Oração” em 1942 e impactou o Brasil e o exterior com suas campanhas de oração pela cura e pelas famílias, a irmã Albertina nunca enfatizou que os irmãos deveriam dar ofertas para receberem suas vitórias, nem passava envelopes para recolhimento. Hoje o que se vê é um negócio dentro das igrejas com as campanhas, onde se vende o que o Senhor deu de graça. ISSO É NOJENTO E REPUGNANTE, esse texto vai de graça para quem quiser seu auxílio, se alguém quiser ofertar é livre para isso, porém jamais será enfatizado aqui, que serão abençoados aqueles que ofertarem “x” mais do que os ofertam “y”.

1.2. O seu espírito
- “resultados imediatos”, essa é a proposta que atrai e seduz a muitos bons obreiros e irmãos, o ser humano tem a mesma tendência de Tomé, acredita mais facilmente no que vê, por isso os cultos de libertação são cheios, pois apresenta resultados rápidos.
- “Imediatismo” não há espaço para o amanhã ou para o próximo ano, a palavra que impera sempre será o “AGORA” e o “HOJE”, mas os discípulos foram advertidos pelo Senhor quando estavam ansiosos em saber quando seria a restauração de Israel, os quais esperavam para aqueles dias e receberam a seguinte resposta, veja:
 “E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder” Atos 1.7
- E ainda encontramos outra repreensão neste versículo:
 “Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração” Mateus 6:20-21. e para chegar no céu tem que esperar o tempo de Deus e não o nosso.
- “unção com óleo em seus pertences”, professor(a), talvez você encontre na classe alguém que diga conhecer casos em que isso deu certo, ensine que o que deu certo foi pela fé e não pela unção.
- “Transação financeira” estas igrejas se parecem mais com a bolsa de valores ou leilões, sempre esperando quem dá mais, quanto maior o valor maior será a benção alcançada, nos ensinos de Jesus nunca se viu algo semelhante a isto, mas foi no livro de Atos que encontramos a resposta de Pedro a Simão o mágico:
- Simão:
“E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo.” Atos 8:18,19
- Pedro:
“Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus”
Atos 8:20-21
- Com esse pensamento Pedro jamais pregaria nos púlpitos de alguns pastores hoje, nem tão pouco Paulo. Já para Jesus esses pastores chamariam a polícia, pois o Senhor ia entrar com um chicote rasgando os envelopes, os lenços ungidos, as rosas, destruindo as fogueiras, quebrando os tijolos ungidos, iam querer matá-lo de novo! É ENGRAÇADO, MAS É FORTE.

1.3. A mentira da confissão positiva
- “mas sim decretar o que queremos”, esse comportamento é parecido com aquele dos filhos rebeldes que exigem que seus pais lhes dêem tudo que querem. Alguns desses pregadores insinuam que o poder está nas nossas palavras e não em Deus.
- “O mestre deles os ensinou como se faz” veja a expressão usada por satanás em Isaías “E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei... Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo” Isaías 14:13-14. São expressões de posse (determinismo), e são atitudes como esta que os pregadores da prosperidade sempre usam em seus sermões para convencer seus ouvintes.
________________________________________
2. IGNORÂNCIA, DINHEIRO E CONSUMISMO
- “consumismo”, é o desejo de ter, o desejo de possuir coisas materiais, e para isso pessoas entram em dívidas que não podem pagar. E esse vício é aproveitado por esses mestres da teologia da prosperidade.

2.1. O perigo da ignorância
- “precisa de todo conhecimento”, ensine aos alunos que quando se conhece a verdade é fácil reconhecer o que é falso. Por isso os pastores hoje devem ensinar suas ovelhas, dentro da Palavra de Deus, para que eles saibam questionar e se afastar dos ensinamentos da teologia da prosperidade.
- “arrancar o último centavo”, a forma como eles fazem, deixa eles em situação muito segura. Eles induzem as pessoas a decretarem com fé e ofertarem até o que não tem, e quando a pessoa não recebe o que pediu, eles afirmam que a pessoa não determinou com fé, dessa forma a culpa fica sendo da pessoa.

2.2. O perigo do dinheiro
- “devem ambicionar postos de mando”, lembre aos alunos que todos podem querer alcançar os cargos de destaque nas empresas e instituições, porém isso deve ser feito a custa de muito suor, esforço, estudo e dedicação, para que os ímpios possam ver que o povo de Deus é trabalhador e esforçado.
- “luta do bem contra o mal”, na verdade existem alguns ministérios que lutam entre si, em disputas em plena televisão, mostrando para mundo que há divisão no povo de Deus e lançando dúvida sobre a sã doutrina.

2.3. O perigo do consumismo
- “trocou o peso do pecado da dívida”, a ordem era para ninguém se endividar com ninguém, mas o sistema financeiro criou essa forma de fazer com que as pessoas se embaracem nas dívidas. O cartão de crédito é o principal representante dessa sistemática, com ele você compra com um dinheiro que você não tem.
- “se torna refém do dinheiro”, a pessoa sempre estará presa às dividas, não podendo ajudar alguém, não podendo comprar o que precisa, pois as dívidas não deixam.
____________________________________
3. O CRISTIANISMO PURO E SIMPLES
- “e a caridade”, a melhor tradução aqui é “amor” em vez de caridade, na época em que foi traduzida essa passagem, a palavra caridade era a que melhor representava o que o apóstolo quis dizer, mas com o tempo a palavra amor passou a ter o significado que o texto requer.


3.1. A fé implica concordância
- “concordância”, é estar de acordo, a fé se manifesta em concordarmos no que a Bíblia diz, mesmo sem termos visto e ouvido tudo que ela afirma que aconteceu.
- “mesmo que a verdade não esteja muito clara”, quando o crente não entende o que a Bíblia afirma, quando a vontade de Deus não estiver clara, e quando a pessoa não sabe o que Deus tem reservado pra ela, essa pessoa deve perseverar na fé. Cite como exemplo a resposta que os discípulos deram a Jesus:
“Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.” João 6.68
- Considere que os discípulos ainda não tinham o entendimento completo de quem era Jesus, mas não o deixaram naquele momento em que todos o abandonaram pelo seu duro discurso.
- “a razão deve ser usada”, toda fé deve ter uma base na qual ela se apoia, e a base da nossa fé é a Palavra de Deus, por isso um bom versículo para os alunos meditarem é esse:
“De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.”, Rm 10.17

3.2. A esperança cristã
- “homem pós-moderno”, é o indivíduo ambientado no pós-modernismo, ele tem um perfil sócio cultural que o diferencia do cidadão apegado às ideologias do século XX, a consolidação desse tipo sócio cultural ocorreu com o fim da Guerra fria e a queda do muro de Berlim.
- “forma de escapismo”, seria uma desculpa para não fazer nada, exemplo: a pessoa afirma que vamos para a eternidade com Deus, então deixa de estudar e de se esforçar para conseguir um bom futuro para si e sua família e inclusive deixar de pregar, pois já está tudo previsto no apocalipse.
- “os que mais labutaram”, ou seja, os que mais trabalharam, não se refere ao trabalho secular, mas ao trabalho no evangelho.  

3.3. A caridade (amor) cristã
- “não é um estado de sentimento”, ou seja, o amor não nasce no coração por acaso, não acontece a primeira vista.
- “mas da vontade”, o amor é mandamento, Jesus deu ordem para que amássemos uns aos outros. Jesus jamais teria dado essa ordem se o amor acontecesse independente das nossa vontade.
- “desfiles de riquezas”, esse tipo de conduta está acontecendo nesse momento nas igrejas, os crentes se diferenciam uns dos outros pelo que possuem, fazendo acepção de pessoas dentro da casa de Deus.  
___________________________
CONCLUSÃO
- “não significa ser próspero”, esse é o grande erro da teologia da prosperidade, em classificar prosperidade como possuir bens materiais.
- Pela Bíblia próspero é ser bem sucedido naquilo que se faz Josué 1.8, o Senhor Jesus delimitou o desejo pelos bens materiais assim:
“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mt 6.33     
- “valorizar a pobreza”, durante muito tempo no meio pentecostal se valorizou a pobreza, e os que possuíam bens como carros e casas eram vistos de forma desconfiada pelos crentes.   
- “dividir com quem não tem”, não deve ser entendido ao pé da letra, a pessoa que tem um carro, não precisa vender o veículo para dividir com os outros, esse dividir é a pessoa estar pronta a ajudar aos outros com seu veículo. Da mesma forma devemos abençoar aos irmãos necessitados com recursos financeiros.
- Feche essa aula relembrando aos alunos que qualquer irmão pode adquirir bens materiais, porém isso não deve ser seu grande objetivo de vida.

Boa aula!


Marcos André - Professor
Paulo Henrique - Colaborador                   

4 comentários:

  1. “Antes a Igreja confessava seus pecados – agora confessa seus direitos.”
    (Dave Wilkerson)
    “Nós rejeitamos Jesus como Cristo, mas vocês evangélicos o envergonham...”
    (Fala de um Judeu a um Pastor evangélico na cidade de Belo Horizonte-MG)
    “Os cristãos precisam responder o que esperam da igreja e do senhor: Sombra e água fresca? Ou perdão e vida eterna?”
    (Magno Paganelli)
    “A imagem do cristão que alguns tipos de cristianismo projetaram é a do homem de negócios bem sucedido, que encontrou a fórmula da felicidade”
    (C.René Padilha)
    Assim nasceu o Evangelho da Prosperidade. A partir da isolada interpretação das Escrituras aliadas ao consumismo e materialismo em nossa sociedade atual, juntamente com a ganância esperada para os últimos dias de líderes devoradores que conhecem bem a arte de tosquenear (2 Pedro 2.3).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadão irmão Mendes, vou usar algumas dessas frases nos esboços. Já considero você um colaborador dessa obra. Graça e Paz.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Glória a Deus irmão, obrigado por vc está aqui prestigiando

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.