INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

terça-feira, 9 de abril de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 2 - Revista da Editora Betel


AULA EM 14 DE ABRIL DE 2013 – LIÇÃO 2
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “A PARÁBOLA DAS DEZ VIRGENS E A NECESSIDADE DE VIGILÂNCIA”
  
Texto Áureo: Mt 25.3
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nessa aula ensine sobre a importância da vigilância e do preparo para o encontro com Cristo.
- “expectativa de retorno”, as mensagens escatológicas foram ministradas após a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém já no final de seu ministério terreno, tudo já havia sido ensinado e agora faltava falar de seu retorno e dos últimos acontecimentos.
- Note que os temas abordados nesse trimestre falam de assuntos que muitos pastores não gostam de tocar, pois dão trabalho e não geram grandes ofertas.
- “encontro com o Senhor nos ares”, confira se todos os alunos sabem como será esse arrebatamento, se houver alguém que não saiba ensine apresentando algum texto de preferência o de 1 Ts 4.13-18.
- “constantemente examinar sua vida”, a ordem para o exame está inserida na ordenança da Santa Ceia 1 Co 11.28. Considerando que a Santa Ceia era ordenança para ser praticada diariamente, então o auto exame também deve ser diário.

            1. A VIGILÂNCIA DOS CRISTÃOS
- “é intransferível”, uma atitude das virgens loucas foi solicitar azeite das outras, assim alguns crentes se comportam às vezes, vivem pedindo oração e ajuda, mas nunca tomam uma atitude de mudança.

1.1. Vigilância e a santidade
- “vigilância”, é o ato de estar atento, observando e julgando as situações, com cuidado para não ser apanhado por alguma armadilha de Satanás.  
- “um dos sustentáculos”, você pode apresentar aos alunos três sustentáculos: Vigilância, oração e Palavra. Você pode concluir que não adianta ser bom na oração e bom na Palavra, mas se não tiver boa vigilância pode colocar tudo a perder.
- “separado”, separado do mundo, o diferencial da santidade é estar separado do mundo, mas vivendo dentro do mundo é diferente da ascese praticada pelos monges. 
- “lei do instinto”, se refere às inclinações carnais, pois pelo instinto o ser humano está inclinado a buscar coisas que não atendem à vontade de Deus, como a imoralidade sexual por exemplo.

1.2. O azeite representa a presença do Espírito Santo
- “representa”, vejamos o significado espiritual do azeite: já que o azeite mantinha a lamparina acesa, então pode ser entendido como sendo a representação do presença do Espírito Santo em nossa vida. Pois é Ele que nos dá ânimo para o serviço da obra de Deus. Quem afasta o Espírito de sua vida perde logo a vontade de estar na igreja e de trabalhar para Deus.
- “agente da santificação”, quer dizer que é ele quem age para que sejamos salvos, não pelo nosso mérito pessoal.
- “batalha no coração”, essa batalha acontece no interior do crente e para que o Espírito prevaleça e a Sua vontade seja feita em nossa vida, precisamos ter reservas, ou seja, estar cheios do Espírito Santo.

1.3. Vigilância, mas com muito azeite
- “enchei-vos do Espírito”, muitos crentes se contentam com um pouco do Espírito na hora do culto, mas é necessário se encherem dEle, formando assim uma reserva para quando estiverem em casa, no trabalho ou na escola.
- “alimenta o próprio ego”, é a pessoa que pensa em si e não na obra de Deus, está sempre ressaltando suas qualidades e escondendo seus defeitos.
- “ao soberbo”, é aquele se considera melhor do que os demais, ou superior a eles. O soberbo é o que alimenta o próprio ego.
- “comunhão com o mundo”, é o crente muito misturado com as coisas mundanas, fica muito perto dos prazeres carnais. Geralmente essa proximidade vem de amizades duvidosas.
- “efêmeras”, passageiras, transitórias, de pouca duração.
- “perde tudo que vale a pena”, são muitos os ministérios que são destruídos por conte de alguns momentos de satisfação. Outros não perdem o ministério, mas perdem a presença de Deus.
________________________________________
2. AS APARÊNCIAS PODEM ENGANAR
- “vida de aparências”, é a vida onde tudo não passa de uma imagem e a pessoa esconde quem ela realmente é, só revelam a verdadeira face em situações de risco ou quando estão com o poder nas mãos.
- “mas diferentes em seu caráter”, assim é nas igrejas sem exceção, todos são muitos parecidos, mas o caráter de cada um varia muito.

2.1. Todas as moças eram virgens
- “parecem virgens”, parecem que são da Igreja que vai subir, alguns pregam bem, louvam bonito, até choram, mas tem uma outra face oculta que só se revela ao saírem do culto.
- “o presente século”, é o mundo secular com seus sistemas corruptos, suas sensualidades, seus entretenimentos, etc. Muitos conseguem ficar anos vivendo na vida dupla, vivendo uma mornidão espiritual. São esses não andam com o azeite de reserva, só andam com o suficiente para cada culto.

2.2. Todas as mossas tinham lâmpadas.
- “que simboliza a Palavra”, uma referência boa aqui é Salmos 119.105.
- “e não ser praticante”, saber citar versículos só serve para que alguns se engrandeçam nas oportunidades, saber teologia só serve ganhar debates e receber aplausos, e conhecer a Palavra não significa nada, Satanás a conhece muito bem. Agora aplicar o conhecimentos dos versículos nos faz humildes nas oportunidades, viver a teologia que se prega nos faz recusar os aplausos e ir em busca das almas, e praticar a Palavra nos faz vencedor sobre o adversário.
- “trapos embrulhados em papel de presente”, quase poético, é semelhante ao sepulcro caiado Mt 23.27 é uma pessoa que parece um excelente crente mas por dentro é um trapo imundo.

2.3. Todas as moças estavam esperando o noivo.
- “sem se preparar”, elas deviam se preparar para a demora, pois ficaria tarde, não teria mais onde comprar, assim é fim dos tempos, está ficando tarde, e são pouquíssimos os lugares onde comprar azeite puro, se não guardarmos uma reserva ficaremos sem e quando Jesus vier provavelmente muita apostasia já estará dentro das igrejas e somente uns remanescentes prudentes é que terão um azeite guardado de reserva (ESCATOLOGIA PURA).
____________________________________
3. A VIDA PESSOAL E O TRABALHO EXECUTADO

3.1. Esta parábola diz de arrebatamento e não de galardão
- “Tribunal de Cristo”, segundo o texto da referência esse tribunal será onde Cristo distribuirá os galardões conforme a obra que cada um desenvolveu no evangelho.
- “estar carimbada”, quer dizer: confirmada de forma oficial, e esse carimbo é dado pelo Espírito Santo na vida da pessoa.
- “o convite está formulado”, esse convite já está sendo transmitido por toda a Terra, uns aceitam e outros não. Quando esse convite tiver sido distribuído à todos os povos e nações, então será anunciada pela trombeta a chegada do Noivo Mt 24.14.

3.2. Esta parábola diz quando a punição será feita
- “de quem é quem”, o dia do arrebatamento da Igreja é conhecido como o “Dia do Senhor” Malaquias 4.5, será o dia em que começará o julgamento de Deus, pois no arrebatamento será feito uma separação dos salvos e não salvos, isso já é uma forma de julgamento.
- “Não vos conheço”, o texto chama atenção mais uma vez, para o fato de alguns estarem trabalhando arduamente, mas não estão com Cristo, não são conhecidos do Senhor Jesus.

3.3. Esta parábola diz que ainda há tempo de adquirir azeite
- “a porta ainda está aberta”, quer dizer que ainda há oportunidade de se salvar, ainda existem lugares onde se pregam a Palavra de Deus.
- “porta da graça fechar”, atualmente a salvação é pela Grace de Cristo exercida na cruz. Após o arrebatamento a salvação não será mais pela graça, acredita-se que após o arrebatamento ainda haverá salvação, mas somente pelo sangue e esforço de cada pessoa.
- “não sabei o dia e nem a hora”, a intenção de não anunciar o dia da vinda parece simples, pois se os filhos de Deus soubessem o dia do retorno do Senhor, então se acomodariam.  
___________________________
CONCLUSÃO
- “não vos ache dormindo”, o dormir tanto pode representar morte física como a morte espiritual. Nessa passagem se refere à morte espiritual.
- “vigiai”, a mensagem para vigilância está a cada dia mais atual, pois o mundo está repleto de armadilhas do adversário.
- “como o relâmpago”, o relâmpago faz o clarão, mas nem todos conseguem vê-lo, porém em seguida segue o estrondo e aí sim todos ouvem. Assim também o arrebatamento, nem todos conseguirão vê-lo, porém em seguida toda a humanidade vai sentir que algo terrível aconteceu.

Boa aula!

Marcos André - professor

Um comentário:

  1. Há duas opiniões quanto à identidade das virgens nessa parábola. Pastor Marcos, deixarei as duas apesar de ver como virgens a nação de Israel e não a Igreja.
    (Escatologicamente falando)
    Temos o sermão no Monte das Oliveiras (Mt 24.1 até 25.46) depois da declaração dos "ais" sobre os fariseus (Mt 23.13-36)e do aviso da cegueira legal sobre a nação de Israel(Mt 23.37-39). Esse sermão é dirigido a toda nação de Israel "quis eu reunir teus filhos", "Vossa casa", "deserta", "não me vereis mais até que", "e verão o Filho do homem (Mt 24.30)".
    Bem, os judeus, igreja só no petencoste -At 2, representados pelos então discípulos, perguntam:" Quando sucederam essas coisas(templo destruído em três dias)e que sinal haverá da tua vinda e da consumação dos séculos?"
    Lc 21.20-24 (responde a 1ª pergunta - 70 d.C.)
    2ªresposta: Bem, se a igreja ainda iria aparecer de que momento estavam perguntando?
    Mt 24 e 25 responde a pergunta deles.E em sequencia cronológica. Veja que após falar da tribulação (Mt 24.4-26, cita a vinda acontecendo "após a tribulação daqueles dias" Tem-se o ajuntamento de Israel Zc 12 e Mt 24.31.Em seguida é contada a parábola da figueira (32-36). A parábola que demonstra certeza de sua vinda é seguida por exortações de vigilância por causa da incerteza da hora(36-51)
    "ENTÃO"(Mt 25.1; quem entrará no reino?
    Israel vivente - quem não tem o 666, os remanescentes fiéis de3 Israel entraram no milênio.Os que tiverem luz serão aceitos.


    2ª ponto de vista - de que Mt 24.4-44 Deus lida com Israel e Mt24.45-25.46 com a igreja:

    "então" cronologia ligado aos acontecimentos de Israel.

    Na parábolanão só as prudentes mas também as néscias, que estavam destinadas a julgamento foram ao encontro do noivo. No arrebatamento nenhuma pessoa não salva iria ao encontro do noivo.

    Em Ap19.7-16 o banquete segue-se ao casamento. Lc 12 35,36, insinua que enquanto as bodas ocorrem no céu, o banquete ocorre na terra.
    Essa parábola então transcreveria a vinda do noivo e da noiva à terra para o banquete das bodas, em relação às quais as cinco virgens prudentes serão aceitas e as néscias serão excluídas.
    Mt 25.34 - quem dentre os gentios poderão entrar no reino milenar. é um julgamento sobre pessoas vivas após o segundo advento e não a mortos ressucitados.
    Vejo a prudência e o vigiar nas ações do dia a dia para a igreja. 1 Co 15.51-53 prevê realmente um súbito acontecimento. Vejo que se os sinais aumentam para a segunda vinda,
    o arrebatamento está aporta.
    Abraços e Paz

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.