terça-feira, 2 de julho de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Conteúdo da Lição 1 - Revista da Editora Betel


O MODELO DE DEUS PARA A FORMAÇÃO DA FAMÍLIA
07 de Julho de 2013

Texto Áureo
“E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã: o dia sexto” (Gn 1.31)

Verdade Aplicada
O modo como o Criador cuidou de cada detalhe na execução da Sua obra deve inspirar e orientar todas as ações dos cristãos na formação de suas famílias.

Textos de Referência

Gn 1.26-29

E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, confor­me a nossa semelhança; e domi­ne sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra.
E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou.
E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda erva que dá semente e que está sobre a face de toda a terra e toda árvore em que há fruto de árvore que dá semen­te; ser-vos-ão para mantimento.

INTRODUÇÃO
Os primeiros capítulos de Gênesis são riquíssimos em moldes que podem e devem ser utilizados na formação da família. Afinal, não há ali nenhuma ação humana, portanto, ninguém pode dizer que são apenas produtos de uma época que há muito está ultrapassada. Todas as providências foram tomadas pelo próprio Deus. O modo como o criador cuidou de cada detalhe na execução da Sua obra deve inspirar e orientar todas as ações dos cristãos na formação de suas famílias. Voltaremos ao principio de tudo:

1. A CRIAÇÃO DO HOMEM
A Bíblia registra três etapas no processo de concepção do homem na mente de Deus. A primeira se relaciona à área da vontade, do desejo, da intenção. A segunda faz referência ao modo como deveria ser o ente que Deus pretendia formar e aponta para o projeto. A terceira se refere aos propósitos de Deus para aquele ser. Assim, vemos que:

1.1. Deus desejou fazê-lo
Antes de Deus formar o homem houve em Seu coração a aspiração de fazer um ser especial, diferente de tudo o que Ele já criara. Deus nada fez que não representasse a Sua vontade integral. De fato, muito antes que o Senhor estabelecesse os fundamentos da terra, já pensava em fazer o homem e o escolheu como alvo de seu amor, para o fazer completo e santo. Por isso, enviou Jesus Cristo para consolidar esse desejo – que ficara interrompido por um bom tempo – e adotou os pecadores regenerados em sua família (Ef 1.3-6). E é de Sua vontade que agora todos possam participar da celebração desse presente, que é totalmente de graça (Ef 2.8), dado por meio de seu Filho Jesus Cristo.

1.2. Deus projetou em sua mente como seria o homem e a mulher
“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança...” (Gn 1.26). Nesse imperativo divino vemos que Deus, antes de fazer Adão, projetou o modelo de como ele deveria ser. Em termos bem simples, Deus espelhou-se em si mesmo para elaborar o projeto do homem que Ele desejava fazer. Deus nos planejou para sermos parecidos com Ele até ao limite máximo em que a criatura pode se parecer com o criador. Desse modo, poderíamos agradá-lo em tudo (Ef 1.6b). 

1.3. Deus definiu os propósitos para o homem
Não era um mero capricho de quem tudo pode e por isto desejou um brinquedo novo, ou de um irresponsável que deseja e projeta coisas grandiosas sem nenhum propósito nobre para elas. Deus os criou macho e fêmea, com o propósito de formar uma grande família com muitos filhos à sua própria imagem e semelhança, e encher com eles a Terra, para expressar através deles a Sua glória e autoridade (Gn 1.27-28). Assim, Sua graça seria louvada e glorificada (Ef 1.4-6). Por conta de tão elevado desígnio, Adão e Eva foram feitos à imagem e semelhança do Criador. Quando se unissem em amor, reproduziriam filhos segundo a sua espécie parecidos com Deus, ou seja: santos, justos, benigno, alegres e etc.

2. DEUS CONSTRUIU UM MUNDO PARA O HOMEM
Deus desejou formar o homem, definiu como este deveria ser e estabeleceu para ele um grandioso propósito. Porém, antes de executar o projeto, era necessário preparar uma habitação para o homem, um lugar onde ele pudesse desenvolver todas as suas potencialidades e cumprir o propósito da sua criação. Vejamos as providências que Deus tomou neste sentido:

2.1. Recriou e reorganizou a Terra para receber o homem
Deus restaurou a Terra e fez todas as adaptações necessárias para que se tornasse adequada para receber o homem que Ele faria. O criador poderia criar uma habitação completamente nova, mas preferiu restaurar a terra que havia sido transtornada, possivelmente pelo impacto da queda de satanás sobre ela (Gn 1.2; Is 14.12; Lc 10.18), e transformá-la em um lugar belo, agradável e aconchegante. No decorrer deste estudo descobriremos preciosas lições que esta atitude de Deus nos ensina sobre a formação da família.

2.2. Criou condições de vida e de crescimento para a humanidade
Deus planejou o homem com capacidade de dominar; governar (Gn 1.26b) e também com uma mente imaginosa e criativa, que estaria em constante e ilimitado progresso. Era necessário, então, criar condições para que ele desenvolvesse estas habilidades e potenciais natos. Assim, antes de formar Adão, Deus reorganizou o reino mineral e criou os animais e os vegetais. Lidando com a natureza, a fim de descobrir as melhores e mais eficientes maneiras de utilizar os recursos naturais e obter deles o mantimento diário (Gn 1.29,30), o ser humano poderia desenvolver a mente, o pensamento e a agilidade física. No trato com a criação inferior, poderia recorrer a Deus sempre que desejasse compartilhar com Ele seus avanços e deleites ou simplesmente informar-se a respeito de algo, mantendo, assim, o desenvolvimento de sua relação com Ele.

2.3. Certificou-se de que tudo era de boa qualidade
Depois de restaurar a Terra e tomar todas as providências criadoras para que ela se tornasse habitável, Deus fez o que nós, em muitas ocasiões negligenciadas: inspecionou a própria obra e certificou-se de que tudo era bom. Por ser perfeito em todas as Suas obras, Deus não precisava desta última ação, mas Ele a executou para exemplo nosso. Se quisermos honrar a Deus nunca devemos dar nenhuma obra por acabada enquanto não tivermos certeza de que tudo está de fato bom (Mt 5.48).

3. DEUS CAPACITOU O HOMEM PARA VIVER
Seria impossível ao homem cumprir o propósito de sua formação se Deus não o capacitasse para isto. Assim, Ele tomou providências intrínsecas ao homem, que são aquelas relacionadas ao caráter, natureza e potencialidades. Dispôs também de um lugar adequado para o começo de tudo e de um plano de ação pelo qual o homem pudesse se orientar. Observemos as ações de Deus:

3.1. Fazendo o homem semelhante Ele
No primeiro tópico vimos que Deus planejou fazer o homem a Sua própria imagem e semelhança. Sabe por quê? Por causa da resolução do Criador para o homem: “Para que sejamos santos., irrepreensíveis, filhos de Deus, para o agrado e louvor de Deus” (Ef 1.4-6). Como seria possível atingirmos tão elevado propósito se Ele não colocasse em nós um pouco de Si mesmo? É maravilhoso constatarmos que Deus não pede de nós coisa alguma que primeiro Ele não nos tenha dado. Isto serve de modelo para aqueles que desejam formar uma família. “Dai e dar-se-vos-á” (Lc 6.38). É um princípio imutável, estabelecido pelo próprio Deus.

3.2. Preparando para Adão o lugar onde ele deveria começar a vida
Em Gênesis 2.5, lemos que Deus criou os embriões da vida na Terra, mas os deixou adormecidos, aguardando a presença e a ação da humanidade. Nos versículos 8 e 9, lemos que Deus escolheu um lugar; o Éden, e ali fez brotar tudo o que em outras razões do planeta permanecia apenas como sementes. O jardim foi um presente de Deus, pronto para ser desfrutado (v.15). Seria o lugar onde Adão começaria a vida e onde aprenderia a se relacionar com Deus (Gn 2.16,17; 3.8), com a natureza (Gn 3.19,20), com o outro sexo (Gn 3.23) e com os descendentes. O que temos preparado para dar aos nossos filhos quando chegar o momento de eles iniciarem um novo núcleo familiar?

3.3. Fornecendo ao casal um plano de ação
Deus apresentou ao primeiro casal todas as demais criações terrenas e disse-lhe: “Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra” (Gn 1.28). A frutificação e a multiplicação da espécie humana foram o meio planejado por Deus para que o homem pudesse dominar a Terra. Deus garantiu em Seu plano que a humanidade teria livre acesso aos bens terrestres: “E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento(...) Eis que vos tenho dado toda a erva que dá semente e que está sobre a face de toda a terra; e toda a arvore em que há fruto que dá semente, ser-vos-á para mantimento” (Gn 1.29-30). Deus planejou também o modo de segurança: “Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gn 2.17). Assim também devemos orientar nossos filhos para vida, principalmente para que sejam esposos e pais exemplares.

CONCLUSÃO
Após estudarmos o modelo de Deus para a formatação da família, ou seja, o modo como Deus cuidou de cada detalhe na execução da Sua obra, podermos encontrar inspiração e sermos orientados para seguir na direção que o Senhor deseja para cada um de nós. As lições que a Bíblia nos apresenta através do relato da criação devem ser colocadas em prática, com sabedoria e humildade que o Espírito Santo ministrará em cada um, para que nossa família seja para glória e louvor do Senhor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.