INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

terça-feira, 9 de julho de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Conteúdo da Lição 2 - Revista da Editora Betel


APLICANDO PRINCÍPIOS DIVINOS À DISCIPLINA FAMILIAR
14 de Julho de 2013

Texto Áureo
“E, na verdade, toda correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, pro­duz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela” (Hb 12.11).

Verdade Aplicada
Uma vez aplicada com sabedoria na escolha dos métodos e da ocasião adequados a cada caso e, sendo executada com amor, misericórdia e graça, os resultados da disciplina serão eficientes e duradouros.

Textos de Referência

Gn 3.9 - E chamou o Senhor Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás?
Gn 3.10 - E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, por­que estava nu, e escondi-me.
Gn 3.16 - E à mulher disse: Mul­tiplicarei grandemente a tua dor e a tua conceição; com dor terás filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.
Gn 3.17 - E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor co­merás dela todos os dias da tua vida.
Hb 12.11 - E, na verdade, toda cor­reção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.

INTRODUÇÃO
Se perguntarmos a qualquer pessoa o que é planejamento familiar; possivelmente obteremos a seguinte resposta: ‘Planejar a família é fazer os cálculos de quantos filhos o casal pode sustentar e educar sem depender de terceiros ou da caridade pública’. Isto é apenas parte da verdade e representa somente uma das etapas do projeto. Para chegarmos ao tão almejado planejamento, não devemos negligenciar etapas importantes, como veremos a seguir.

1. DEFINIÇÃO DE DISCIPLINA
Vem da mesma etimologia da palavra discípulo, de seguidor: cristãos são aqueles que seguem a disciplina de Cristo. Também é chamado de disciplina o conjunto de matérias que formam uma ciência, uma área de conhecimento. Os que se dedicam ao estudo de uma ciência e se graduam nela são chamados pelo nome da disciplina que escolheram: teólogos, matemáticos, geógrafos, médicos, pedagogos, cientistas sociais e etc.

1.1. O sentido mais amplo de disciplina
Em sentido amplo, disciplina envolve a formação do caráter, da cidadania e da consciência do ser humano e pode ser percebida no conjunto de princípios, valores, ensinamentos e regras seguidos por uma pessoa, comunidade, instituição, profissão, etc. A disciplina religiosa, a filosófica e a moral são comumente chamadas de doutrina. Os códigos de ética das profissões são a sistematização da disciplina comportamental que os profissionais devem seguir.

1.2. Definição de método
É o caminho ou processo racional para atingir um fim especifico. Para aplicar determinado método é necessário prévia análise dos objetivos que se pretende atingir, as situações a enfrentar, os recursos e o tempo disponíveis, e por último, das várias opções possíveis. Trata-se, pois, de uma ação planejada, baseada num quadro de procedimentos sistematizados e de antemão conhecidos. A Pedagogia chama de métodos os diferentes modos de proporcionar uma dada aprendizagem. O método não diz respeito ao fim que se deseja alcançar nem aos vários saberes que são transmitidos, mas sim ao modo como se pode atingir o objetivo pretendido ao realizar a transmissão do conhecimento.

1.3. Disciplina e método
A disciplina e os meios de aplicá-la são inseparáveis, a ponto de, como foi dito na introdução deste tópico, muitas vezes ser confundida com os métodos de sua aplicação. Em Jó 36.10, Eliú fala da doutrina de Deus, da disciplina propriamente. Em Provérbios 23.13-14. Salomão aponta um método de levar a criança a obedecer à disciplina que pode livrá-la do inferno. Em Hebreus 12.8 o escritor chama correção de disciplina. Paulo, em Efésios 6.4, refere-se à disciplina e aos métodos de sua aplicação: “E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos (método errado de aplicar a disciplina), mas criai-os na doutrina (disciplina) e admoestação do Senhor (método correto de aplicar a disciplina)”.

2. ACOMPANHAMENTO PRESENCIAL DA DISCIPLINA
Deus preparou o Éden com todo conforto, segurança, abundância de recursos e o entregou a Adão e sua esposa. O casal não tinha necessidade alguma nem corria risco, exceto o de fazer uma escolha equivocada; no entanto Deus os visitava todos os dias. Oferecia-lhes Sua maravilhosa companhia enquanto os ouvia contar de como estavam se saindo e o quanto se deleitavam com cada descoberta (Gn 3.8). Naturalmente o criador não precisava usar nenhum destes expedientes, visto que, sendo Deus, não carecia de se informar através de relatórios, pois é onisciente. Mas Deus não levou em conta a Si mesmo, e sim o Homem, que dada a sua condição de criatura, precisava da assistência do Criador. Assim como a presença divina é necessária à humanidade, a presença dos pais é necessária aos filhos para:

2.1. Aplicar e manter a disciplina
Os casais cristãos precisam ter em mente que devem criar a família na disciplina de Cristo, porém, só conseguirão êxito pleno em ensinar e formar de modo satisfatório o caráter dEle nos filhos, se puderem passar com eles boa parte de seu tempo. Precisam considerar também, que a aplicação de métodos e medidas disciplinares é necessária mesmo aos bebês e aos filhos mais dóceis e obedientes. Filhos menos dóceis tenderão a considerar os pais severos e injustos, quando os privarem de algo que eles desejam possuir ou gostam de fazer, ou quando solicitarem a execução de tarefas que eles não gostam de realizar.

2.2. Prover os meios necessários para a reabilitação do transgressor
Observamos em Gênesis 3 que Deus não se afastou do Éden, nem manteve incógnita sua presença, nem se tornou inacessível a Adão e Eva depois que eles O desobedeceram. Ao contrário, permaneceu lá em completa disponibilidade. Como o casal não buscou por sua companhia como fazia habitualmente, Ele os procurou e proveu os meios necessários para a reconciliação. Assim também nossos filhos tendem a se afastar de nós quando cometem alguma falta grave, por julgarem que não serão mais aceitos por nós, pais. Além disso, o orgulho impede que haja reconhecimento da falta cometida, a fim de ser confessada e perdoada.

2.3. Prover exemplo e referencial
Filhos precisam de exemplos constantes e claros que os pais só poderão oferecer se estiverem presentes na criação e desenvolvimento deles. Tais exemplos só se transformarão em princípios norteadores para suas vidas e caminhos se puderem ser observados com frequência e se as razões das atitudes e comportamentos dos pais lhes forem informadas, a fim de que sejam assimilados, imitados e sedimentados na alma dos pequenos (Jo 13.15). Não podemos, por exemplo, orar somente se estivermos em apuros, falar a verdade somente se não houver alternativa, honestos e fiéis somente quando não tivermos oportunidade e vantagens na desonestidade e na infidelidade, tratar amavelmente e com cortesia somente as pessoas que considerarmos importantes, etc.

3. PREPARANDO-SE PARA A DISCIPLINA NO LAR
É um erro deixar para pensar em disciplina depois que os filhos nascem ou quando eles já puderem compreender o sentido da instrução. Na verdade, os jovens devem aplicar-se à disciplina pessoal e ao temor do Senhor antes do namoro e do casamento, e persistir nisso depois de casados, para que tenham condições emocionais, morais e espirituais de se organizarem e manterem a vida do lar. Como fazer isto?

3.1. Através da autodisciplina
Muitos casais não têm tempo um para o outro, nem para desfrutar do convívio dos filhos e oferecera eles educação e disciplina presenciais, porque deixaram para depois de casados muitas providências que deveriam ter sido tomadas até mesmo antes de começarem o namoro, como por exemplo, concluir os estudos, aprender uma profissão, buscar uma fonte de renda suficiente para a manutenção da futura família, ou ainda adquirir um imóvel para residência do casal. O resultado do adiamento na tomada destas providências, normalmente é desastroso: com o nascimento das crianças, pai e mãe terão que trabalhar dobrado para atender às necessidades básicas da família, enquanto os filhos crescem sem a presença deles; os cônjuges se distanciam física e emocionalmente, o que pode ocasionar desentendimentos constantes até culminar em divórcio, entre outros.

3.2. Preparando-se para acompanhar de perto o crescimento dos filhos
Crianças precisam estar expostas à presença dos pais. Necessitam ver como eles resolvem os problemas, como organizam a casa, o orçamento doméstico, como se relacionam um com o outro, com Deus e com o próximo. Esta exposição constituirá para eles valioso modelo e referencial para toda a vida. Portanto, pais, eduquem seus filhos para serem educadores eficazes dos seus netos, pessoas cujas presenças sejam exemplos de integridade, amor, gozo, paz longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.

3.3. Lidando positivamente com possíveis fracassos dos membros da família
Não há casais que nunca falhem, não há pais que nunca errem, não há filhos perfeitos, enfim, não humano que não peque (Ec 7.20). Mas isto não é motivo para que o jovem cristão evite se casar e ter filhos, ou que perca a esperança de constituir uma família do agrado de Deus. Ao contrário, o casamento propicia excelentes oportunidades de aperfeiçoamento do caráter, de santificação e de honra ao Nome do Senhor. Portanto, candidatos ao matrimônio, preparem-se para possíveis defeitos, pecados, falhas, erros e imperfeições dos membros da família.

CONCLUSÃO
Após sabermos diferenciar método e disciplina, chegou a hora de, com aplicação e paciência, cuidarmos dos nossos filhos à maneira de Deus, não esquecendo que o caminho da disciplina é árduo e muitas vezes demorado, exigindo de quem tem a responsabilidade muito empenho, carinho, amor e muita compreensão. Que Deus nos ajude na aventura de criar filhos aplicando os princípios divinos.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Amém profeta, e espero que o Senhor também te dê a sabedoria mais além do a que você já possui. Graça e Paz.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.