INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 11 - Revista da CPAD


AULA EM 15 DE DEZEMBRO DE 2013 - LIÇÃO 11
(Revista: CPAD)

Tema: A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
  
Texto Áureo: Eclesiastes 9.2
  
INTRODUÇÃO
- Amado(a) professor(a), nesta lição recomendo que você leia ou releia os textos de Eclesiastes, para se interar dos assuntos e poder ensinar com mais propriedade.
- “os injustos parecem levar vantagem”, esse assunto é tão antigo quanto é atual, está acontecendo nesse momento. Agora mesmo um servo fiel está observando a sua volta e só está vendo os ímpios com seus carros novos e casas bonitas, enquanto grande parte do povo de Deus está sofrendo adversidade e aflição material.
- “constata-se que os justos e os injustos terão o mesmo fim”, conclui-se com isso, que o fato de ser justo ou injusto não influencia o curso natural da vida, entende-se então ser justo ou injusto, não define se a pessoa vai estar bem financeiramente ou não. Se o justo estuda, o ímpio também, se o ímpio consegue passar em um concurso, o justo também consegue. Aquisições materiais e sucesso financeiro nada tem a ver com ser justo ou injusto.
- “a justiça é melhor que a injustiça”, a justiça pode produzir frutos que vão além dessa vida, enquanto a injustiça, pareça boa, pode gerar morte a qualquer momento para quem a pratica e no porvir a condenação eterna. 
__________________________________________
1. OS PARADOXOS DA VIDA
- “PARADOXOS”, são situações contraditórias.

1. Os justos sofrem injustiça.
- “Asafe”, levita regente dos músicos do Templo, escreveu o salmo 73, onde aborda a questão da prosperidade dos ímpios.
- “lutou contra esse pessimismo”, se refere à ideia de achar que tudo é mais difícil para o justo.
- “A. W. Tozer”, Aiden Wilson Tozer (1897-1963) foi um pastor protestante americano, pregador, escritor, editor e conferencista. Viveu nos Estado Unidos e seu ministério durou 44 anos junto à Aliança Cristã e Missionária, uma denominação evangélica.
- “arena da vida”, arena era o local onde os gladiadores lotavam na Roma antiga, aqui se refere a vida como um campo de batalha. Quem entra na obra de Deus precisará de uma armadura.
- Essas provações na vida dos justos servem para testarem sua fé e fazê-la crescer, só as lutas permitem os servos de Deus adquirirem a experiência necessária para essa obra.
 - CONTÉM A RESPOSTA DA QUESTÃO 1, expressa no final desse subtópico.

2. Os maus prosperam.
- “espiritualidade de uma pessoa não pode ser medida pelo que ela possui”, alguns cristãos chegam a pensar que se alguém está adquirindo bens ou prosperando financeiramente é porque tem muita fé e está espiritualmente bem, mas convém lembrar que o sucesso na vida profissional e financeira, é providência indireta de Deus, poie Ele nos dá saúde, inteligência e disposição, mas o Senhor deixa que o trabalho fique por nossa conta. Deus mandou dar a Calebe uma parte da herança na terra prometida, mas quem teve que guerrear foi próprio Calebe.
- Ser próspero”, convém lembrar que ser próspero de acordo com a Palavra de Deus, não significa ter muito dinheiro, mas significa “ser abençoado em tudo que colocar as mãos para fazer.
- CONTÉM A RESPOSTA DA QUESTÃO 2. expressa no início desse subtópico.
_____________________________________________
2. II. A REALIDADE DO PRESENTE E A INCERTEZA DO FUTURO

1. A realidade da morte.
- “expressamos a nossa existência”, é durante a vida que precisamos realizar, trabalhar, amar, cuidar, ajudar, viver. Existem muitas pessoas que querem expressar o amor depois que o outro morre e outros que podem fazer algo para melhorar suas vidas, mas ficam de braços cruzados, como se o tempo passado fosse voltar.
- “tanto para quem serve...quanto para quem não o serve”, o pregador ensina que a morte iguala a todos, por isso ninguém se glorie em ter muito nesta terra, e se é grande ou pequeno, mas que todos venham a se preocupar com a eternidade.
- “somos os mais infelizes”, Paulo alertou os crentes no seguinte: nós recusamos os prazeres dessa vida por Cristo e recebemos dEle a mensagem de vida eterna através da redenção no Seu sangue, sendo assim, se nós não esperarmos a vida eterna no porvir, então de que adiantou rejeitar os prazeres desse mundo, seria melhor continuar neles. Fato é que alguns crentes que não tem fé na redenção, logo se desviam nas dificuldades da obra.
- CONTÉM A RESPOSTA DA QUESTÃO 3, expressa no início desse subtópico.

2. A certeza da vida eterna.
- “análise puramente existencial”, significa que ele se preocupou com o que somos e como agimos nessa existência, Salomão fala pouco sobre o porvir, ele aborda muito mais as ações do homem que está vivo agora.
- “Eclesiastes apenas descreve a nossa trajetória”, Quem lê Eclesiastes tem a impressão que Salomão não acreditava em vida após a morte, mas essa impressão é desfeita em Eclesiastes 3.14. Na verdade o pregador orienta aos seus leitores se esforcem por viver dignamente essa vida para que possam produzir frutos para a vida eterna. 
_________________________________________
3.  A IMPREVISIBILIDADE DA VIDA

1. As circunstâncias da vida.
- “imprevisibilidade da vida”, mostra que na vida podemos sofrer imprevistos, podemos estar vivos hoje e amanhã não, lembre aos alunos que nas catástrofes das chuvas na região Serrana do Rio de Janeiro em 2011 morreram tanto crentes como ímpios e diversos outros desastres ao redor do mundo.
- Nenhum crente deve achar que será livre das calamidades porque é filho de Deus, cada um deve estar preparado para a morte e passagem para a vida eterna o tempo todo. O investimento de Deus entregando o Seu filho para morrer por nós na cruz, foi com o objetivo de conseguir adoradores para a eternidade com Ele e não para viverem longamente somente no tempo presente. 
- CONTÉM A AJUDA PRA RESPOSTA DA QUESTÃO 4, no final do subtópico.

2. Aproveitando a vida.
- “em um sombrio pessimismo”, achando que tudo pode dar errado, e que a qualquer momento podemos ser vítimas de uma fatalidade.
“indiferente aos problemas”, é não se importar com o que ocorre de errado a sua volta.
- “viver, em meio à imprevisibilidade da vida”, devemos viver nesse mundo consciente que estamos sujeitos às adversidades da vida como qualquer pessoa normal.
- “foi dado como porção”, como se as coisas boas da vida tivesse sido repartidas entre os homens e cada um recebeu a sua porção. O problema é que alguns querem mais do merecem ou podem administrar. O texto de Eclesiastes 9.9 se refere à vida em família, ser feliz com o conjugue é a nossa porção.
______________________________________
4. VIVENDO POR UM IDEAL

1. A morte dos ideais.
- “uma cultura onde os ideais não mais existem”, nesse tipo de cultura, tem mais valor os cargos e os bens do que as convicções e a sabedoria. Na história da humanidade os idealistas só tiveram valor nos momentos de crise.
- “A cultura contemporânea também perdeu”, contemporâneo quer dizer que é do nosso tempo, ou seja, na nossa cultura observamos a mesma falta dos ideais. Hoje em dia uma pessoa que tem recurso financeiro é muito mais respeitado do que um mestre ou especialista em alguma pasta acadêmica.  
- “relativização do absoluto”, relativo é afirmação que depende de circunstâncias para estar correta. Absoluto é a afirmação que não depende de circunstância nenhuma para estar correta. Significa que na nossa sociedade as afirmações que antes eram absolutas agora são relativas.
- “narcisistas”, aqueles que amam a si mesmos.

2. Vivendo por um ideal.
- “acredita que devemos ter um ideal elevado”, não devemos esperar que as pessoas nos reconheçam, para alimentarmos nossos ideias e cristãos.
- “vale a pena viver por um ideal”, o que faz com que o crente acredite nos ideias de Cristo á a esperança no porvir, que alimentamos pela fé que Jesus nos deu.
- “causas pelas quais devemos lutar”, muitos crentes hoje se encontram lutando por coisas supérfluas, sem importância para a o reino de Deus.
- A RESPOSTA DA QUESTÃO 5, é pessoal mas pode ser auxiliada neste subtópico.
_______________________________________
CONCLUSÃO
- “perspectiva da eternidade”, se refere à espera das promessas mencionadas para o apocalipse.
- “dignos pelos quais devemos lutar”, a grande maioria desses ideais produzem frutos para a vida eterna. Como a família, por exemplo, lutar por uma família cheia da presença de Deus renderá frutos para além desta vida.
- “de maneira a glorificar o Pai”, nós podemos anunciar o evangelho de Cristo com as nossas ações, dessa maneira o ímpio nos observa e nos julga o tempo todo.
- Não se esqueça do resumo do que foi aprendido.

Marcos André – Superintendente e professor

Boa Aula!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.