domingo, 27 de abril de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Conteúdo da Lição 5 - Revista da Editora Betel


Efeitos Danosos do Complexo de Superioridade

04 de maio de 2014


TEXTO AUREO

“Porque o dia do Senhor dos Exércitos será contra o soberbo e altivo e contra todo o que se exalta, para que seja abatido;” Is 2.12



VERDADE APLICADA

A soberba é um mal que precede à queda.


TEXTOS DE REFERÊNCIA

Dn 3.1 - O Rei Nabucodonosor fez uma estátua de ouro, cuja altura era de sessenta côvados, e a sua largura, de seis côvados; levantou-a no campo de Dura, na província de Babilônia.
Dn 3.2 - E o rei Nabucodonosor mandou ajuntar os sátrapas, os prefeitos, os presidentes, os juízes, os tesoureiros, os conselheiros, os oficiais e todos os governadores das províncias, para que viessem
à consagração da estátua que o rei Nabucodonosor tinha levantado.
Dn 3.3 - Então, se ajuntaram os sátrapas, os prefeitos, os presidentes, os juízes, os tesoureiros, os conselheiros, os oficiais e todos os governadores das províncias, para a consagração da estátua que o rei Nabucodonosor tinha levantado, e estavam em pé diante da imagem que Nabucodonosor tinha levantado.
Dn 3.4 - E o arauto apregoava em alta voz: Ordena-se a vós, ó povos, nações e gente de todas as línguas:
Dn 3.5 - Quando ouvirdes o som da buzina, do pífaro, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o Rei Nabucodonosor tem levantado.


INTRODUÇÃO

O assunto que vamos abordar nesta lição nos mostra o quanto uma pessoa pode ser atormentada por falta de autoconhecimento. O complexo de superioridade não é, na verdade, uma patologia. Ele se apresenta em pessoas que não conseguem lidar com o seu complexo de inferioridade.


1. O complexo de superioridade na Igreja

Na Igreja, como em qualquer outro lugar da sociedade, é possível perceber que algumas pessoas demostram sentir uma incrível necessidade de autoafirmação, apresentando-se como alguém altamente capacitado em todas as áreas. O sujeito credita ser o melhor em tudo e para todos. Esse tipo de comportamento pode ser um indicativo de que, na realidade, ele sofra do complexo de inferioridade, uma vez que esse complexo se manifesta maquiado como um complexo de superioridade.


1.1. O que é complexo de superioridade?

Segundo Gari Gustav Jung, criador da Psicologia Analítica, o complexo de superioridade, na verdade, esconde o complexo de inferioridade. Isto é, o indivíduo tem dificuldade em lidar com suas próprias limitações tais como: medo da rejeição, insegurança, baixa autoestima, entre outros. Isso leva o indivíduo a estar sempre querendo se mostrar melhor do que os outros, o que geralmente não passa de uma tentativa de compensação para um sentimento de inferioridade. A pessoa deseja que os outros reconheçam seu valor, porque ela mesma não está convencida de que valha alguma coisa. Vive em busca de elogios e aprovações que a façam se sentir importante pois não encontra esse senso de valorização dentro de si mesma. No capítulo dois do livro de Daniel, o rei Nabucodonosor demonstra sua incapacidade em conhecer os caminhos de sua psique e vê-se desesperado por não conseguir decifrar o que estava oculto em seu sonho. Sonho este que, ele mesmo já não se lembrava (Dn 2.5).


1.2. A falta de autoconhecimento induz ao erro

Os caminhos da psique, na maioria das vezes, são desconhecidos (Jr 17.9), por isso, é comum vermos as pessoas tomando determinadas atitudes, sem perceberem a razão que as motivam. O complexo de superioridade funciona como um desejo de autoafirmação do próprio indivíduo, muito mais do que para os outros. A demonstração do poder de Deus, através de Daniel, na interpretação do sonho do rei Nabucodonosor, não foi o suficiente para que ele mudasse seu comportamento, e, mais uma vez, o complexo de superioridade do rei o leva a cometer novos desatinos. Ao mandar construir uma estátua de ouro, com vinte e sete metros de altura, por aproximadamente três de largura (Dn 3.1), evidencia seu desejo em tentar provar sua capacidade em fazer um deus mais poderoso do que o Deus de Daniel.


1.3. Sintomas mais comuns do complexo de superioridade

Aquelas pessoas que geralmente apresentam um comportamento agressivo ou de prepotência em relação aos outros, na maior parte dos casos, são diagnosticadas como portadoras dessa enfermidade da alma (Pv 21.24). Também podemos encontrar, nessas pessoas, atitudes altruístas, pois buscam provar para si próprias que são melhores do que todos por estar fazendo o bem. No entanto, quando são expostas a momentos de muita pressão e ansiedade, revelam a sua face real apresentando os sintomas do complexo de superioridade (Dn 2.12). Vemos Nabucodonosor, tecendo elogios a Hananias, Misael e Azarias, por suas habilidades e conhecimentos (Dn 1.20), contudo, isso não foi levado em consideração, quando eles não se curvaram ante a sua estátua (Dn 3.15). A atitude de Nabucodonosor em condená-los à fornalha (Dn 3.19-20) revela-nos um dos sintomas do complexo de superioridade, onde a aparente bondade é a máscara que esconde o desejo de ser o melhor para que não se sinta inferior.


2. Um mau exemplo

Sem dúvida alguma, poderíamos citar outros personagens bíblicos, que também ilustrariam bem o tema desta lição, todavia vamos nos deter em analisar a pessoa do rei Acabe. Ele era marido de Jezabel e seu enorme desejo de se sentir poderoso fez com que perseguisse os profetas do Senhor. Seu fim aconteceu tal qual como o Senhor havia dito, e os cães lamberam o seu sangue: “E, lavando-se o carro no tanque de Samaria, os cães lamberam o seu sangue (ora as prostitutas se lavavam ali), conforme a palavra que o Senhor tinha falado” (lRs 22.38).


2.1. A ânsia pelo poder

Ao suceder seu pai, o rei Onri, ao trono de Israel (Rs 16.29). Acabe toma uma atitude que desagrada, não apenas ao povo, mas também profundamente ao Senhor. Ao casar-se com Jezabel, filha do rei dos sidônios, ele deixa claro que, em seu reinado, não haveria lugar para o governo de Jeová. E um de seus primeiros atos foi construir um lugar de adoração ao deus Baal (lRs 16.31-32), esse comportamento demonstra sua intenção em provar que era poderoso.


2.2. Um homem fraco escondido sob a falsa superioridade

Com o passar do tempo, Acabe se revela um homem fraco e omisso diante das atitudes de Jezabel, que assumiu o comando do reino e mandou matar os profetas do Senhor (lRs 18.4), intensificando e solidificando o culto a Baal (lRs 118.19). As atitudes de Acabe em tentar se mostrar um homem cada vez mais poderoso e temido pelo povo, na realidade, escondiam sua incompetência e sua insegurança em relação ao domínio que sua mulher exercia sobre ele.


2.3. Um forte desejo de se sentir superior

Um forte indício de que Acabe era acometido pelo complexo de superioridade, encontra-se no episódio em que ele cobiça a vinha de Nabote. Ele não admitia que alguém pudesse possuir algo de maior qualidade e de beleza, uma vez que ele era o rei. Então, revestido da autoridade que sua posição lhe conferia, ordenou a Nabote que lhe entregasse a sua vinha. Uma característica marcante do complexo de superioridade é a de que o indivíduo não respeita quaisquer instituições ou limites e pleiteia para si todos os direitos (2Rs 2.4). No entanto, diante da recusa de Nabote, Acabe logo revelou sua baixa autoestima, externando sua fraqueza e seu abatimento por não conseguir a realização do seu desejo. Na presença de Jezabel (lRs 21.5-6), o rei revela o seu real sentimento de inferioridade, e mais uma vez, deixa-se influenciar por sua mulher para se sentir alguém superior.


3. Um velho conhecido da Igreja

A igreja do Senhor conhece bem um ser que, desde há muito tempo, tem tentado de todas as maneiras, parecer superior perante a humanidade. Estamos aqui trazendo ao nosso estudo a figura nefasta de Satanás, que, ao longo dos tempos, não tem poupado esforços para se mostrar superior em suas atitudes, levando muitos se perderem em seus planos ardilosos, inclusive utilizando sua mais poderosa arma: a mentira (Jo 8.44).


3.1. Uma tentativa desastrosa

Ao se reportar a Eva, no Jardim do Éden, o diabo não mediu esforços para tentar provar seu conhecimento acerca do Criador. Ele se apresentou como detentor do conhecimento e sobre a qual realmente seria a intenção de Deus em relação ao homem. Segundo Satanás, o Senhor teria interesse em manter um segredo, através do qual manipularia o homem com um fantoche em suas mãos (Gn 3.1-5).


3.2. O domínio exercido por Satanás

Pessoas que sofrem de complexo de superioridade se tornam alvo fácil ao domínio de Satanás, uma vez que ele próprio foi acometido desse mal. Quando os profetas o comparam ao rei da Babilônia (Is 14) e de Tiro (Ez 28), percebemos que isso está relacionado ao fato de esses reis terem exigido para si adoração como divindade, à semelhança da atitude do inimigo, o que lhes garantiu o mesmo fim, isto é, a queda.


3.3. O desejo desenfreado de querer ser adorado

Em sua frustrada intenção de tentar a Jesus após quarenta dias de jejum, o diabo expõe seu desejo em parecer poderoso e, em determinado momento do seu diálogo com o Mestre, coloca-se como dono do mundo, oferecendo algo que não lhe pertencia em troca de adoração. “E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero” (Lc 4.5-6).


CONCLUSÃO

Outros personagens poderiam colaborar com o nosso estudo como: Golias, Saul, Ninrode, etc. Porém, mesmo que alguns desses não tenham encontrado a resposta para os seus males, sabemos que todo aquele que se encontra com Jesus, descobre que o menor no Reino dos Céus é o maior na Terra (Mt 11.11). Em Cristo encontramos todas as respostas para usufruir de uma vida abençoada, sem necessidade de parecer superior a ninguém. Sentir-se interiormente inferior, pode levar o indivíduo a compensar tal sentimento com a superioridade e isso é um indicativo de que precisa procurar ajuda terapêutica.

Comentarista: Pr. Israel Maia

3 comentários:

  1. Quem conhece o santarrão que orou: "Ó Deus, graças te dou porque não sou como os outros homens, ladrões,injustos,adúlteros,nem mesmo como este publicano" (Lucas 18.11) - o orgulho sempre acompanha a soberba.
    A Bíblia fala em soberba enquanto a psicologia em complexo de superioridade.
    Deixar de reconhecer que o êxito vem de Deus nos ensoberbece.
    aptidões para reinar devem ser usadas para beneficiar aos outros,
    aptidões para enriquecer devem ser usadas para beneficiar aos outros,
    A cura para o "complexo da superioridade": especialistas?
    Soberba se cura com o exercício da humildade e essa, fruto do Espírito , e este, se adquiri como? "difícil resposta"...

    ResponderExcluir
  2. O complexo de superioridade.

    É querer ocupar um lugar.Que não é seu.

    É de Deus...

    Somente a Deus adorar.
    A Ele seja a honra e a glória...

    🙌🙌🙌🙌🙌🙌🙌

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, muitos hoje querem estar em posições elevadas, para ficar acima dos outros.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.