INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sexta-feira, 18 de abril de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 3 - Revista da Editora Betel


AULA EM 20 DE ABRIL DE 2014 – LIÇÃO 3
(Revista: EDITORA BETEL)

como vencer a angustia

Texto Áureo: Salmos 59.16
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição mostre aos alunos que o problema da angustia é normal a todos e não é necessariamente um enfermidade da alma, mas se alguém tiver consciência de que sua angustia tem se tornado permanente então deve buscar a ajuda dos irmãos e da liderança da igreja.
- “angústia: uma enfermidade da alma”, professor(a), a angústia é um problema que pode ocorrer com qualquer um, ela somente será uma enfermidade, se ocorrer frequentemente e se precisar de tratamento.
- “algo que lhe corrói o interior”, seria um vazio, como se estivesse faltando algo. Às vezes a pessoa espera uma resposta e essa resposta não chega, ou espera por alguém e esse alguém não aparece. Isso pode ocorrer em algum momento com qualquer crente, porém se acontecer frequentemente é porque esse crente está perdendo ou já perdeu a fé e não confia mais em Deus.
- “doenças psicossomáticas”, são doenças que tem seu princípio na mente.
_______________________________________
1. O que é a angústia?
- “nada mais podem fazer”, é quando a pessoa chega a conclusão de que não há mais esperança e essa conclusão só chega aquele que perdeu a fé, então o tratamento deve ser no sentido de retornar a fé a essa pessoa, pode ser um processo talvez trabalhoso devido a resistência da própria pessoa.
- “a angústia pode se apoderar do seu coração”, seria quando as decisões e atitudes da pessoa ocorrem em função de seu estado angustiante.

1.1. Visão filosófica da angústia
- “Arthur Schopenhauer”, conhecido filósofo alemão do século XIX. Acreditava no amor como meta da vida, mas não era cristão e acreditava que o amor não estava ligado a felicidade. (fonte Wikipédia)
- “pequenos momentos de prazer”, claro que está se referindo a alguém sem Jesus, que não tem a alegria da salvação plantada em seu coração.
- “o ser humano está condenado”, os existencialistas acabam considerando que não há solução para os problemas humanos de caráter existencial. E é verdade que o ser humano está condenado, mas isso enquanto ele não aceita o resgate de sua condenação, Jesus!
- “como um sobrevivente”, seria viver somente para se livrar e evitar os problemas, sem muita força para mudar sua história ou o mundo a sua volta.
- “brota no seu interior”, o responsável por isso é o Espírito Santo, que habita o interior de servo de Deus, fazendo jorrar dele a água da vida.

1.2. Angústia, uma enfermidade perceptível
- “se tornaram visíveis”, se torna visível para aqueles que estão ao nosso redor. Dessa forma pode ser percebido, isso auxilia a igreja a tratar do problema dos irmãos. Cabe, porém aos irmãos, estarem atentos a essas situações e não ignorar os irmãos com esse tipo de problema.
- “pode ser verbalizada”, transmitida em forma de palavras.
- “ser contaminado por esta enfermidade”, seria deixar que essa enfermidade exerça domínio sobre nós, tirando nossa vontade de orar, ler a Palavra ou ir a igreja.
1.3. A angústia na realidade social
 - “pecado inoculado”, inoculado significa introduzido no organismo, assim como o veneno da cobra é inoculado pela picada, também o pecado pode ser inoculado.
- “reflexo natural das emoções”, dessa forma pode acometer a qualquer um, seja crente ou não.
- “podem desenvolver outros distúrbios”, alguns irmãos começam a transparecer os sintomas de angustia constantemente e muitas vezes são reprimidos por alguns irmãos que preferem acusar de pecado ou de castigo divino, mas na verdade esses irmãos devem ser visitados e cuidados, para que o problema seja sanado e não se desenvolva outros distúrbios como os citados na lição.
__________________________________
2. As diversas faces da angústia
- “função que cabe a especialistas”, discordo desse ponto de vista, ou concordo que para as pessoas sem Deus pode ser dessa forma, mas na igreja os líderes devem estar atentos a isso, talvez não sejam especialistas no assunto, mas conseguirão entender que há algo de errado angustiando a pessoa.

2.1. O que a Bíblia diz sobre a angústia?
- “não terá mais tribulações ou tentações”, tipo de pregação triunfalista, que ensina que se alguém passar por alguma dificuldade de qualquer ordem é porque não tem fé para determinar.
- “isto é, por meio dEle”, por isso podemos afirmar que o melhor remédio para a angustia, é levar a pessoa ao encontro mais profundo com Jesus. Por causa dos triunfalistas e do adeptos da teologia da prosperidade, estamos mantendo crentes doentes e fracos na fé, que ajudam com ofertas e entregam dízimos, mas a qualquer momento são pegos pela opressão satânica e desenvolvem quadros de angustia profunda.
2.2. Angústia é sinal de que há conflito
- “tentar discernir o que a perturba”, discernir significa entender, o crente deve tentar entender o porquê da situação. Geralmente as provações que passamos e que nos afligem tem algo a nos ensinar, mas só quando entendemos o porque nos sobreveio o mal, então podemos trabalhar na causa do problema. Quando a pessoa enxerga uma solução ela tem mais chance de se animar a lutar.
- “agir para resolvê-lo”, a pessoa encontra dificuldades em esboçar reação, nesse caso os irmãos que estiverem ajudando devem tentar animá-la e encorajá-la a se mover.
- “Aceitar não é concordar”, a pessoa deve ser conduzida a entender que nem tudo poderá se resolvido e às vezes precisamos perder algo, não poderemos resolver tudo, nem tudo está no nosso controle.
- “iniciativa humana”, de acordo com o contexto, se refere à iniciativa em seguir em frente, tocar a vida.
- “dependência de Deus”, de acordo com o contexto significa estar dependente exclusivamente do Senhor, aguardando Sua resposta para tomar alguma atitude.
- “Ambas são inseparáveis”, se referindo a “iniciativa humana” e a “dependência de Deus”. O comentarista quis dizer que ser dependente de Deus não significa fica estático sem fazer nada, mas sim tomar atitudes com equilíbrio e coragem.

2.3. Angústia um sentimento comum na pós-modernidade
- “pós-modernidade”, a pós-modernidade é a época em que vivemos, caracterizada pela globalização e avanço tecnológico.
- “fomentada”, fomentar significa “incentivar, estimular ou apoiar”, quer dizer que a angustia é estimulada em nós nas situações trágicas do dia-a-dia.
- “potencializada”, potencializar significa “dar força, fortalecer”, assim as angustias ganham força contra nós nas situações difíceis que passamos.
- “mundo que nos diz, incessantemente”, esse é o trabalho que a mídia faz, com as suas propagandas consumistas.
- “que a felicidade é a melhor escolha”, enquanto o evangelho nos ensina a carregar a cruz e que a melhor escolha é Cristo. Ensina também que passaremos aflições nesse mundo e que precisamos ter bom ânimo.
____________________________________
3. Como lidar com a angústia

3.1. Evitar se concentrar na dor
- “tentando evitar uma batalha”, evitar a luta não resolve o problema, no entanto todos sabiam que numa batalha convencional eles perderiam fácil, por isso em situações como essa precisamos de estratégias.
- “Humanamente, não havia saldo”, esse saldo significa que se subtraísse o total de guerreiros inimigos do total israelita o saldo ficaria extremamente a favor dos filisteus. Como a lição está dizendo, humanamente era impossível, devemos então ter essa consciência, de em certas situações, não poderemos vencer com as forças humanas, é necessário levar o problema a Deus.

3.2. Identificar como mudar a situação
- “saíram de seus esconderijos”, quando a liderança mostra para o povo que existe uma possibilidade e começa a trabalhar nela, todos começam a se animar. Foi isso que Jônatas fez. Ao ver que em uma guerra normal o povo seria destruído, principalmente pela falta de fé, então ele decide ir sozinho com seu pajem de armas.
- “traidores”, eram hebreus que estavam aliados aos inimigos, por acreditarem que eles ganhariam a guerra.
- “mataram-se uns aos outros”, aqui já foi a providência de Deus, pois quando alguém coloca as mãos à obra, o Senhor ajuda.

3.3. Confiar em Deus é o segredo da vitória
- “quem o Senhor poderia enviar”, o problema da angustia pode afetar nos afetar e um dos motivos pelo qual ele pode se tornar enfermidade da alma é quando a pessoa espera Deus enviar alguém para dar uma revelação ou fazer uma oração poderosa. Mas em alguns casos o Senhor está querendo que nós tomemos a decisão de agir.
- “Deus chamou para a batalha”, em todo capítulo 14 de 1 Samuel não vemos Deus levantando algum profeta e falando a Jônatas, pois a voz do senhor brotou dentro dele pelo Espírito de Deus. Muitos crentes esperam Deus falar pela boca dos profetas, para fazerem aquilo que o Espírito já lhes ordenou.
- “que intervém na história dos homens”, o povo de Deus precisa ser instruído a ter fé, a confiar em Deus, se nossas igreja ensinarem isso aos servos de Jesus, teremos bem menos problemas de angustia para resolver.
- “experiências da batalha”, os crentes precisam passar suas lutas, muitas vezes aparentemente sozinhos, para adquirirem suas próprias experiências com Deus. Deus quer levantar um povo forte e valente.
___________________________
CONCLUSÃO
- “Atirar-se afoitamente contra os obstáculos”, sem bolar planos, sem traçar metas e definir estratégias.
- “ação inconsequente”, ação na qual não se analisa as consequências dos atos. O povo deve ser alertado que diante das situações angustiantes devem procurar sua liderança espiritual e expor a situação.
- “passividade”, estado permanente de repouso, em que a pessoa deixa de agir por esperar que alguma coisa aconteça para que não seja necessário fazer nada.
- Repasse os pontos mais importantes para os alunos.
- Faça as perguntas do questionário.

Boa aula!


Marcos André – editor

6 comentários:

  1. A Paz,
    no subitem 1.2, o autor da revista tenta demonstrar angústia como doença nas atitudes dos irmãos de José (Gênesis 42). Bem, reconhecer um erro, arrependimento, reflexão de um procedimento incorreto...tudo isso nada mais é que Deus utilizando de incômodo para essa reflexão, a angústia passa a ser algo benéfico nesses casos. Atribuir tratamento é retirar a possibilidade de arrependimento.
    No caso de Davi, é a mensagem para a dependência de Deus, a confiança Nele para que seja feita à sua vontade e controle da situação.
    PSICOMALDIÇÃO...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que há casos em que o melhor tratamento a pessoa se desabafar ou se consertar com Deus e com o próximo. Porém alguns irmãos em Cristo nunca se aquebrantam para essas atitudes e não deixam Cristo falar-lhes ao coração.

      Excluir
  2. A paz, ficou muito bem explicado, e eu concordo plenamente com seu ponto de vista, porem não entendi quando você nos recomenda; Relembre o objetivo geral de se estudar seitas e heresias. fique com Deus irmão Evaldo Catalão-GO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrsr
      Deu pre perceber que eu deixei uma parte do estuda do trimestre passado aí.
      perdoe-me.
      Obrigado por me alertar.
      paz.

      Excluir
  3. àmem. excelente lição, bem clara e segundo a palavra de Deus. somente Deus para recompensar o esforço, de trazer essa ajuda aos professores. fique na presença de Deus.Cristiane Silva Goiania-Go.

    ResponderExcluir
  4. Olá Profº Marcos André!

    Também estou estudando o tema, estou em partes publicando comentários.
    http://www.crtfoco.blogspot.com.br/2014/04/enfermidades-da-alma.html

    Abração e que Deus continue abençoando! =)

    Blog Cristianismo em Foco

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.