INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

terça-feira, 29 de abril de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 5 - Revista da Editora Betel


AULA EM 4 DE MAIO DE 2014 – LIÇÃO 5
(Revista: EDITORA BETEL)

Efeitos Danosos do Complexo de Superioridade

Texto Áureo: Isaias 2.12
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição é interessante você concentrar esforços em quebrar a arrogância e altivez.
- “falta de autoconhecimento”, quando a pessoa conhece a si mesmo e sabe de suas limitações e de suas falhas, ela não alimenta pensamentos enganosos sobre si mesma, achando que é aquilo que não é.
- “Patologia”, é derivado do grego “pathos”, sofrimento, doença, e logia, ciência, estudo, é o estudo das doenças em geral.
- “complexo de inferioridade”, é o sentimento de inferioridade em relação aos outros.
_______________________________________
1. O complexo de superioridade na Igreja
- “autoafirmação”, seria a afirmação para si mesmo de que é ou que pode alguma coisa.
- Estamos vivendo um angustiante dilema: viver pela Palavra numa sociedade da imagem, nessa geração do exterior, a distância entre valores morais e depravação humana é muito tênue. Muitos sacrificam sua intimidade com Deus em busca da afirmação da massa popular, dos aplausos, aceitação e outras mais.
- “altamente capacitado em todas as áreas.”, ou em muitas áreas, geralmente são pessoas que querem abraçar o mundo com as mãos, se envolvem em muitos trabalhos e deixam a vida espiritual de lado.

1.1. O que é complexo de superioridade?
- “Gari Gustav Jung”, (1875-1961) foi um psiquiatra e psicoterapeuta suíço, Seu nome aparece como Carl Gustav Jung e não “Gari”, pode ser um problema da tradução.
- “esconde o complexo de inferioridade”, o problema da pessoa na verdade é a inferioridade, onde a pessoa tenta se afirmar como superior para fugir de seu complexo de inferioridade.  
- “querendo se mostrar melhor do que os outros”, esse comportamento tem ocorrido com muita frequência nas igrejas. Notamos obreiros que parecem os super-homens, que trabalham com muita dedicação, mas de repente são pegos em alguma falta, por não estarem firmados na Palavra, todo seu trabalho era para mostrar uma coisa que não são.
- “dentro de si mesma”, nas questões de cura interior, um dos maiores problemas é a pessoa se reconhecer como alguém importante. Precisamos pregar a humildade, mas ser humilde não é se anular como pessoa.

1.2. A falta de autoconhecimento induz ao erro
- “psique”, originalmente "respiração", "sopro",) entre os gregos, abrangia as ideias modernas de alma, ego e mente.
- “são desconhecidos (Jr 17.9)”, essa referência atesta que sendo a psique complexa, os seus caminhos são desconhecidos, isto é, enganosos.
- “complexo de superioridade do rei”, aqui está se referindo a um ímpio, mas é importante trazermos isso para a realidade das igrejas, talvez o exemplo de Nabucodonosor não se aplique bem aos crentes.
- Um bom exemplo para essa problemática pode ser o de Simão o mágico, que foi atraído pelos sinais que Felipe realizava em Samaria At 18.9-19. E no momento em que viu a manifestação do batismo pela imposição das mãos desejou comprar aquele poder para que pudesse fazer o mesmo.

1.3. Sintomas mais comuns do complexo de superioridade
- “atitudes altruístas”, são atitudes de fazer o bem ao próximo, de ajudar as pessoas.
- “revelam a sua face real”, quer dizer que elas ficam mascaradas por trás da imagem de crente. Atualmente tem sido fácil manter essas máscaras nas igrejas, pois muitos ministérios estão preocupados com a renda que está entrando e para isso buscam manter um povo em quantidade e não em qualidade.
- Preferem ter crentes em número, mas são crentes superficiais. Richard Foster escreveu: “ A superficialidade é a maldição de nosso tempo” em nome dessa superficialidade, muitos morrem asfixiados sem a atmosfera da profundidade. O mesmo Richard Foster afirmou: “Na sociedade contemporânea, o nosso adversário se especializa em três coisas: ruído, pressa e multidões. Essa é uma grande verdade.
-Professor(a), é bom você também ler 2 Timóteo 3.1-4 onde tem uma melhor e mais fácil explicação para esse subitem. Mesmas condições que caracterizavam pagãos em seu estado de selvageria e barbárie também caracterizarão os cristãos dos últimos dias. A soberba não fica de fora...
__________________________________
2. Um mau exemplo
- “perseguisse os profetas do Senhor”, os profetas representavam a voz de Deus na nação e as profecias tem o poder de desmascarar os lobos. Ainda hoje existem aqueles que tentam calar os profetas de Deus.

2.1. A ânsia pelo poder
- “Jezabel, filha do rei dos sidônios”, foi um casamento político com o objetivo de manter laços com Sidom, dessa forma não seriam atacados, fazendo isso ele estava declarando não precisar de Deus e de sua proteção.
- “intenção em provar que era poderoso”, embora o texto não revele, Acabe parece ter construído esse lugar de adoração por influencia de Jesabel, notamos pela Palavra de Deus que Jesabel exercia grande influencia sobre as decisões do rei.

2.2. Um homem fraco escondido sob a falsa superioridade
- “omisso diante das atitudes de Jezabel”, omissão é a não resposta diante de algo que está errado, talvez Acabe nem concordasse com tudo que Jesabel estava fazendo, mas se omitiu e deixou que ela ficasse livre para agir.
- “escondiam sua incompetência e sua insegurança”, muitas vezes a incompetência, insegurança e até mesmo a fragilidade se esconde atrás dessa máscara de poder e autoridade.

2.3. Um forte desejo de se sentir superior
- “não admitia que alguém pudesse possuir algo de maior qualidade”, professor(a) o texto bíblico não diz isso. A Bíblia não revela porque Acabe desejou aquela vinha, poderia haver outros motivos como o aumento de posses.
- “ordenou a Nabote que”, a Bíblia também não afirma isso, na verdade Acabe nunca ordenou que Nabote lhe desse a vinha, ele propõe a troca ou a venda 1 Reis 21.2,6.
- “não respeita quaisquer instituições ou limites”, se isso uma comparação com as atitudes de Acabe no caso da vinha de Nabote, então houve outro engano, pois Acabe não ousou tomar a vinha de Nabote, pois o próprio Nabote fez o rei se lembrar de que não se podia mexer na herança da família (a terra) quando ele diz que não podia dar a herança de seus pais ele estava lembrando ao rei o que o Senhor ordenou em Números 36:8-9.
____________________________________
3. Um velho conhecido da Igreja

3.1. Uma tentativa desastrosa
- “qual realmente seria a intenção de Deus”, ele tentou dizer que Deus estava escondendo algo de Adão e Eva. Através desse engano ele conseguiu tirar a atenção de Eva, ela na verdade não caiu na conversa dele, mas só nela parar e olhar para a arvora da ciência do bem o do mal Genesis 3.6  ela foi então, afetada pela própria concupiscência.
- Os complexos humanos são bem diferentes daquela soberba que Satanás desenvolveu lá no céu. No entanto algumas pessoas cometem pecados semelhantes ao do inimigo.

3.2. O domínio exercido por Satanás
- “adoração como divindade”, naquele tempo essa era a forma que os reis dos grandes impérios tinham para manter o controle e o temor dos povos, eles se apresentavam como deuses ou coisa parecida.
- “o mesmo fim, isto é, a queda”, essa é a consequência daqueles que se comportam como Satanás se comportava.
- Existem pecados que cometemos que lembram a Adão com sua fragilidade e concupiscência, e existem outros que lembram a Satanás com sua altivez e arrogância.

3.3. O desejo desenfreado de querer ser adorado
- “coloca-se como dono do mundo”, era apenas mais uma mentira do inimigo, que intencionava apanhar Jesus naquele momento de fraqueza, mas a fraqueza de Cristo era apenas física e aparente.
- “num momento de tempo todos os reinos”, não se sabe como ele fez isso ou como transportou Jesus para aquele lugar, mas esses fatos foram narrados para ilustrar os tipos de tentações que podemos sofrer por parte do inimigo.
- “a mim me foi entregue”, há uma teoria que diz que essa afirmação se refere ao fato de o domínio sobre a terra ter sido passado para Satanás através do pecado de Adão.
__________________________
CONCLUSÃO
- “o menor no Reino dos Céus é o maior na Terra”, na referência o Senhor coloca João Batista como um padrão de humildade, só não existe essa parte “na Terra”, Jesus afirma que aquele que se faz menor no Reino dos Céus (isto é, comunhão do corpo de Cristo – Igreja), é maior do que João, mas não na terra, mas sim em qualquer lugar onde tiver presente esse Reino.
- “sem necessidade de parecer superior”, com Jesus encontramos outro tesouro, que é a paz com Deus, a salvação da alma.
- “ajuda terapêutica”, na verdade a verdadeira cura é se render a Cristo, mas infelizmente muitos não abrem as suas vidas completamente para Jesus, talvez um terapeuta cristão pudesse ajudar a pessoa a se abrir completamente para o Senhor, e com o evangelho superficial é cada vez mais frequente esse tipo de crente “mais ou menos”.
- Professor(a), cuidado com as afirmações, pois algum aluno pode acabar pensando que o sangue de Jesus não tem poder sobre todas as enfermidades da alma.
- Faça as perguntas do questionário.

Boa aula!


Marcos André – editor
Alexandre Teixeira Mendes – colaborador
Juliane Souza - colaboradora

7 comentários:

  1. A cada lição desta revista que estudamos, mas me vem a certeza que esses problemas que humanidae enfrenta, não se trata de DOENÇA DA ALMA mas sim males da obras da carne, e o antídoto para curar esses males, não é psicólogo e nem psquiatra, mas sim a ação do Espirito santo na vida do homem fazendo nascer nele O FRUTO DO ESPIRITO. irmão Evaldo Catalão-GO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo irmão, fico pensando no tempo em que não existia esses profissionais. Paz irmão obrigado por comentar.

      Excluir
    2. O cristão genuino não busca ajuda em psicologo, ou outros medicos paliativos, ele vai para os pés de Cristo, e Ele sara o nosso homem interior, e por conta dessa cura começa a nascer os frutos do Espirito.

      Excluir
    3. Hum, legal isso, o Senhor Jesus é o maior psicólogo que existe. Realmente há uma grande necessidades desse nascer do fruto do Espírito na vida dos crentes. São tempos difíceis.

      Excluir
  2. O mundo pós-moderno é contraditório em relação á saúde física, mental e emocional. Apesar da grande quantidade de métodos terapêuticos, remédios, hospitais e clínicas especializadas, nunca houve tantas pessoas enfermas no corpo e na alma, como nos últimos tempos. Nós, que conhecemos a Palavra de Deus, sabemos que esse quadro é consequência do pecado, transmitido a todos os homens (Rm. 5.12)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Juliane, porem essas enfermedades jamais serão curadas deitado em DIVÃS, (como querem passar para nós os cometadores dessa revista) mas sim aos pés de Cristo. o unico remedio para o pecado é o sangue de JESUS!

      Excluir
    2. Acho que no tempo em que a Igreja era perseguida em todos os lugares, haviam menos problemas psicológicos para resolverem. Quando os crentes se acomodam o inimigo de nossas almas começa a atacar em diversas áreas, principalmente na psicológica.
      Paz.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.