quarta-feira, 28 de maio de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 8 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2014 - LIÇÃO 8
(Revista: Central Gospel - nº 38)

Tema: O PROPÓSITO DE DEUS PARA VOCÊ
  
Texto Áureo: Salmo 139.16
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição
- “objetivos que traçamos para nós”, o Senhor tem planos para cada um de nós, mas Ele sempre respeita o nosso livre arbítrio, por isso está escrito, os “planos que traçamos”, porém para que sejamos bem sucedidos é necessário que nossos planos estejam alinhados com os de Deus.
_______________________________________________
1. RELACIONAMENTO COM O SENHOR
- “ser relacional”, um ser que se relaciona, que se agrupa e se sente melhor interagindo com outros da mesma espécie, assim Deus fez com todos os animais.
- “íntima e profunda comunhão”, Deus quer se relacionar conosco como um pai se relaciona com seu filho.

1.1. Quem foi Elias?
- “vácuo espiritual”, vácuo é a região no espaço onde não existe nenhuma matéria. Aqui está se referindo ao momento em que estava vivendo o reino de Israel sem profetas de Deus.
- “Reino do Norte”, se refere a parte do reino que ao ser dividido ficou com Jeroboão, era composto pelas dez tribos do norte e a capital era em Samaria.
- “baalismo local”, se refere à adoração à baal praticada no Reino do Norte.

1.1.1. O reino de Acabe
- “combinar uma série de crenças”, Onri pai de Acabe permitiu a idolatria em Israel, mas Acabe se tornou praticante dela.
- “ergueu um altar a Baal”, fez uma sede de adoração a Baal, existem níveis de idolatria, onde a pessoa pode estar permitindo ela a sua volta, pode estar fazendo parte dela ou então criando uma base dela em sua vida.

1.2. O relacionamento de Elias com o Senhor
- “cuja a face estou”, essa afirmação era para que o rei desse crédito ao que Elias iria falar em seguida.

1.2.1. Elias obedece ao Deus da Palavra
- “ribeiro”, é um riacho, um pequeno curso d’água.
- “Querite”, esse parece ser o nome daquele riacho e não o nome da região.
- “Sarepta”, era uma cidade estrangeira na terra dos sidônios onde atualmente fica o Líbano.

2. O TEMPO DE DEUS

2.1. Onde esperar o cumprimento da promessa.
- “o mesmo em que nos encontramos”, o ensinamento geral é que não podemos esperar a promessa da forma que queremos, mas sim da forma que Deus quer.
- “sai deste lugar”, aqui o comentarista sugere que para receber a promessa a pessoa precisa se mover do lugar de acomodação ou de desânimo.

2.2. Por que devemos esperar o cumprimento da promessa?
- “existe uma lógica”, a lógica aqui é a de Deus, por isso não parece lógico para nós, pois o Senhor considera elementos que nós não conhecemos, como o futuro e os planos do inimigo. Assim o Senhor traça planos melhores que os nossos.
- “período de recolhimento”, se refere ao período em que Elias esteve na casa da viúva de Sarepta.
- “voltar-nos para nós”, seria um momento de reflexão sobre a nossa própria vida, uma análise de si mesmo.

3. O PROPÓSITO DO SENHOR E SEUS MÚLTIPLOS ENCADEAMENTOS
- “o tempo do Eterno”, o tempo de Deus no grego é “kairos”, enquanto o tempo normal da física  se chama “chronos”, palavra da qual surgiu o termo “cronológico”. O chronos dá ideia de tempo contínuo e o kairós dá ideia de tempo determinado.

3.1. Rompendo o isolamento
- “se abençoarão mutuamente”, quer dizer que o Senhor nos aproximará de pessoas que nos ajudarão e serão ajudadas por nós.

3.2. Elias apresenta-se a Acabe
- “o fogo consumiu”, lembrando que o fogo lambeu a água que Elias mandou jogar sobre o altar como se fosse gasolina.
- “profetas de Baal”, o texto sagrado fala de 450 profetas de Baal e também de 400 profetas de Aserá 1 Reis 18.19

4. A RECEITA PARA CUMPRIR SEUS OBJETIVOS

4.1. Fique atento
- “coxeava indeciso”, coxear é andar com dificuldade devido a deficiência, assim coxear entre dois pensamentos é se conduzir com dificuldade devido a conflitos mentais.
- “façamos dois altares”, o texto não afirma que foram construídos altares ali naquele dia, mas dá a ideia de que os altares já estavam ali, talvez a uma distância razoável um do outro.

4.2. Restaure o altar
- “fazendo com que o povo reconhecesse”, houve muitos exageros nesse milagre, para que não restasse nenhuma sombra de dúvida de que o Senhor é o Deus todo poderoso.

4.2.1. O significado do altar.
- No tempo do profeta Elias, “existiam vários altares de adoração ao Senhor”. Entretanto, o povo estava adorando ídolos e muitas vezes usando o altar para Baal. Por isso, o profeta Elias convocou o povo para tomar uma decisão radical “disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu” (I Reis 18.21).Então Elias marcou um desafio com os seguidores de Baal para saber quem é Deus. Fariam um sacrifício sem colocar fogo e o Deus que respondesse com fogo seria o verdadeiro Deus. Foram ao altar no monte Carmelo, prepararam dois cordeiros e os seguidores de Baal escolheram o primeiro cordeiro e começaram a clamar, mas Baal não respondia. Chegaram ao ponto de se cortar e gritar desesperados para que Baal mandasse fogo, mas nada aconteceu.
Chegada a vez de Elias, primeiramente “restaurou o altar do SENHOR, que estava em ruínas” (v.30). Ele sabia que não teria resultado se não fizesse isso antes. Deus não manda fogo em altar quebrado ou profanado. Em obediência à palavra do Senhor, “tomou doze pedras ... e ... edificou o altar em nome do SENHOR” (v.31,32).
Para provar que seria algo sobrenatural, também fez um rego ao redor do altar e derramou muita água para que ficasse completamente encharcado. Somente pelo poder de Deus aquela lenha umedecida, o cordeiro molhado, bem como as pedras do altar pegaria fogo. E foi isso que aconteceu quando Elias orou (v.37) ao Senhor “caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e a terra, e ainda lambeu a água que estava no rego” (v.38). E o povo glorificou reconhecendo o poder de Deus “O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!” (v.39).

4.3. Tenha convicção
- “para verificar se a chuva estava se aproximando”, Elias fez isso por sete vezes. Não descansando enquanto o sinal de Deus não foi apresentado.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “para cumprir um propósito”, existe um propósito geral para a humanidade, que é de louvar ao Senhor Efésios 1.6, fora isso, existe propósitos específicos para cada ser humano.
- Faça um resumo das lições aprendidas nesta aula.

Boa aula!


Marcos André – professor
colaboração: André M. Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.