INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sexta-feira, 13 de junho de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 11 - Revista da Editora Betel


AULA EM 15 DE JUNHO DE 2014 – LIÇÃO 11
(Revista: EDITORA BETEL)

Enfrentando o Sentimento de Rejeição

Texto Áureo: Juízes 11.21
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição é interessante você concentrar esforços em quebrar a arrogância e altivez, em apontar as situações em que esses sentimentos ocorrem na igreja.
- “o individuo pensa que não é valorizado”, dá a ideia principal de que se trata de algo fictício que reforça a constatação de enfermidade, na realidade pode não haver nada acontecendo, às vezes isso acontece quando você esquece ou deixa de saudar, a pessoa acha que esta sendo rejeitada.
- “valorizado pelas pessoas com quem se relaciona”, podemos notar algumas vezes, irmãos que chegam a tomar atitudes incoerentes com a fé para serem notados, como exigir o reconhecimento ou atuar somente nas áreas em que podem ser notadas.
- “capaz de fazer qualquer coisa para ser notado”, é como o crente menino que faz algo somente para aparecer, assim como as crianças.
_______________________________________________
1. O que é o sentimento de rejeição
- “A sensação de ser rejeitado”, existem dois pontos a serem considerados: a sensação daquele que foi rejeitado realmente e a sensação daquele que tem esse complexo.

1.1. A rejeição na história de vida da pessoa
- “durante a infância”, repreensão demasiada, frequentes correções e ameaças sem necessidade em momentos vergonhosos, alguns pais não sabem distinguir qualidades da criança, levando à subjetividade que às vezes pode ser afoita, imperativa, desinibida e é interpretada incorretamente desejando que as tais tenham suas mesmas características.
O resultado são pessoas que atualmente não conseguem expressar suas ideais e concepções num mundo tão capitalista e que só oferece status aos que se comunicam bem.
- “favoritismo (real ou imaginário)”, real ou imaginário aqui se refere à dois tipos de favoritismos. O real é o favoritismo de fato, onde os pais demonstram claramente a preferência por um dos filhos. O imaginário ocorre quando o filho possui o complexo e dessa forma ele imagina que os pais estão dando preferência ao irmão o tempo inteiro.
- “exacerbado”, áspero, exigente ao extremo.
- “dificuldade em sentir-se amada”, ela se torna exigente demais, por isso o afeto que a outra pessoa demonstra sentir em relação a ela nunca é o suficiente.

1.2. Rejeição internalizada
- “introvertida”, é a pessoa voltada para si própria devido à timidez, não ri alto evita a presença de muitas pessoas e não suporta ser o centro das atenções.
- “internalizam o sentimento de rejeição”, guardam dentro de si, não o deixa aflorar em forma de queixas e ações que sejam como protesto às pessoas ao redor.
- “gerando sofrimento para a pessoa”, também aqueles que internalizam seus sentimentos estão mais propensos a sofrerem derrames e surtos psicóticos.

1.3. Rejeição externalizada
- “arredio”, que se afasta deliberadamente dos locais que frequenta e dos amigos.
- “mecanismo de defesa”, tem atitudes agressivas e soberba, como uma maneira de dizer, não se aproxime de mim, as vezes se passam por suficientes a si mesmas.
- ““defender-se da carência”, mostrar de certa forma que não necessita de afeto e nem precisa de ninguém, pode ser o sentimento de rejeição disfarçado.

2. A história de Jefté
- “destinado a ser infeliz”, É uma sentença gramatical que não cabe no dicionário do Cristão. Talvez o mundo destine isso para alguém, mas no ventre materno o Senhor já tem traçado uma história de vitória para cada ser humano.
- “Ainda no ventre de sua mãe”, embora seja apenas um feto, segundo estudos já é capaz de perceber sentimentos e expectativas de seus pais, essa relação e muito mais vezes intensa com a mãe pois não compartilham só do mesmo alimento e ar, mas de sensações impares que lhe sobrevém, entendo o que levou Deus a escrever em Isaías 49:15, o Senhor cita a mãe como exemplo pois não existe amor maior de que o de mãe sendo superado só por Deus.
- algumas crianças hoje são rejeitadas dessa mesma forma por serem de gravidez indesejada, fruto de estupro ou má formação, com isso muitas mães tentam o aborto produzindo filhos que sofrerão no futuro com o complexo de rejeição. Mas a história de Jefté nos mostra que Deus cura o complexo de rejeição.

 2.1. Jefté e seus irmãos
- “enfrentou mais um momento difícil”, o momento com certeza foi o mais difícil, porque Jefté estava agora um jovem e vivendo a rejeição na pele.
- “foi expulso por seus irmãos”, motivados pela herança.
- “movidos pelo preconceito, apoiaram”, o preconceito foi devido ao fato de Jefté ser filho de uma prostituta. “Preconceito” Conceito ou opinião formados antecipadamente, sentimento tal que tem atravessado as épocas. Esse sentimento e anti – bíblico At:10;34.
- “Ninguém moveu uma palha em seu favor”, é a omissão, a história que afirma: “quem cala consente.”

2.2. As consequências da rejeição na vida de Jefté
- “uma vida dominada pela revolta”, esse complexo na vida de Jefté pode ser observado quando ele fez a seguinte proposta aos anciãos:
 “Então Jefté disse aos anciãos de Gileade: Se me levardes de volta para combater contra os filhos de Amom, e o Senhor mos der diante de mim, então eu vos serei por chefe? Juízes 11:9-10.
- “Formou um bando”, Jefté se revoltou, mas ele tinha características de líder, por isso foi requisitado. Porém o mesmo não acontece com muitos jovens hoje, pois agora existem no mundo, assassinos violentos e drogas mortais para destruir aqueles que se afastam de suas famílias ou igrejas.
- O fato de sua vida ser difícil não justifica o caminho que Jefté escolheu, temos exemplo de alguns homens de Deus que sofreram antes dele, nos tempos bíblicos e tiveram chance de seguir por um caminho mais fácil, porém escolheram sofrer com Deus do que os prazeres de uma vida desregrada e sem limites, Hb:11;24. Atualmente temos também pessoas que abandonam a família, amigos e a Igreja, passando a frequentar baladas noturnas que esconde seus grandes perigos, caindo nas garras do adversário.

2.3. Dificuldade em lidar com a autoridade
- “impor limite”, romper limites faz parte da natureza caída.
- “como sendo mais um ato de rejeição”, o complexo cega a pessoa e faz com que ela julgue as decisões das autoridades dessa forma, essas autoridades podem ser os pais, os líderes da igreja ou professores na escola.
______________________________________
3. O sentimento de rejeição na Igreja
- “-“preterido” desprezado, rejeitado. O contrário de preferido.
- “Alguns se têm esquecido”, outros, no entanto, nunca aprenderam sobre o grande amor de Deus na prática, talvez conheceram-no na teoria somente.
- “relação a algo ou a alguma pessoa”. trata-se de desenvolver algum trabalho, nem sempre isso ocorre na forma apresentada, na maioria dos casos a pessoa que se sente rejeitado não é qualificado(a) para tal função ou trabalho a ser realizado ou nunca realiza nada, mas quando surge uma atividade importante ou que se tornará pública, então gera o interesse, e geralmente já existe uma pessoa certa para tal trabalho Êx:35;30-34.

3.1. O sentimento de rejeição pode ser perigoso
- “uma arma perigosa”, seria uma arma na mão do adversário, para dividir e causar confusão nos ministérios.
- “pode entrar em disputa contra”, o caso de Caim e Abel é o grande exemplo disso.
-“entrar em disputa...Pensa que o rejeitou”, fica bem claro em Lucas 15, que não havia rejeição nenhuma porém o filho mais velho teve sua indignação manifesta e quis justificar com rejeição, e em muitos casos isso ocorre mesmo.

3.2. Deus nunca se esquece
- “figura da mãe para exemplificar”, foi usada a figura da mãe, por ser esse o melhor exemplo de amor encontrado na terra e que mais se aproxima do amor de Deus, mas o próprio texto declara que esse amor ainda não é como o de Deus, pois afirma que se uma mãe puder se esquecer de seu filho, mesmo assim Deus não se esquece dele.
- “não há razão para nos sentirmos rejeitados”, o problema é muitas igrejas não ensinam ou não querem ensinar a profundidade desse amor. Preferem ficar na superficialidade das doutrinas, fazendo com que o povo busque outros objetivos na igreja e não a salvação.

3.3. Como combater o sentimento de rejeição?
- “materialista”, apegado às coisas materiais.
- “consumista”, que visa o consumo, se refere ao sistema capitalista que tem sua base na produção e comercialização de produtos.
- “como se fossem mercadorias”, dessa forma aqueles que possuem poucos bens ou tem poucas condições financeiras são rejeitados e deixados de lado, até mesmo em algumas igrejas.
- “se afasta, isola-se, poderá...quadro de depressão”, nesse ponto a igreja deve tentar intervir com visitas e palavras de apoio, pois essa pessoa deve se fortalecer para a aprender que o mais importante para um crente não é ser reconhecido pela igreja, pelo pastor ou pelo líder, mas sim por Deus. Quando a igreja não busca ensinar isso ela começa a produzir o sentimento de rejeição nos membros.
- “até mesmo sabe o que é sentir-se abandonado por seu Pai (Mt 27.46).”, CONCORDO COM O IRMÃO MENDES E O GUSTAVO DE QUE ESSE EXEMPLO NÃO SERVE PARA DEMONSTRAR O SENTIMENTO DE REJEIÇÃO.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “suficiente para vencer o poder de Deus”, toda via o sentimento de rejeição pode vencer o crente, se ele se afastar do Senhor ou não buscar em Deus a sua satisfação na igreja.
- “que tem certeza das promessas de Jesus”, essa certeza se chama “fé” e ninguém pode consegui a verdadeira fé se não se aprofundar nas palavras de Deus. Quem adquire a fé pela Palavra de Deus, nunca se sente rejeitado.
- “Com uma orientação profissional terapêutica”, É, E NÃO PRECISARÁ MAIS DE JESUS, PODERÁ VIVER GASTANDO SEU DINHEIRO COMO AQUELA MULHER DO FLUXO DE SANGUE. É LAMENTÁVEL QUE EM UMA AULA DOMINICAL SE ENSINE UM OUTRO CAMINHO PARA SE RESOLVER OS COMPLEXOS DO ENGANOSO CORAÇÃO HUMANO.

Boa aula!

Marcos André – editor
Alexandre Teixeira Mendes – colaborador
Juliane Souza – colaboradora

Gustavo Matos - colaborador

2 comentários:

  1. Paz do Senhor Jesus, Marcos André
    Agradeço a Deus a há você e meus colegas colaboradores, por nós conceder essa luz de revelação Divina na Palavra, que possamos ajudar os professores de EBD desse Pais ou os que acessão o Blog, Domingo estarei lecionando que o Senhor continue nós abençoando para o próximo domingo.
    Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  2. VERDADE APLICADA:
    “Por mais que não sintamos”: Isso ocorre devido ao ambiente em que se esta inserido, independente se é hostil ou agradável é na relação social que podemos encontrar situações que gerem rejeição ou simpatia.
    “Devemos lembrar”: Se temos a mente de Cristo, concordaremos em primeira instancia com o texto “que o Amor do Nosso Pai e Sua Graça nos alcançam diretamente”, mas mesmo sabendo isso não é a realidade que vivemos as pessoas querem ser bem tratadas, afinal de contas se existe rejeição sempre esta acompanhada de uma pitada de desprezo, porém não devemos errar como Israel errou e ficar implorando por aceitação, mas sim enxergar o ponto de vista oponente e corrigir o erro se houver se não à erro façamos conforme a recomendação de Paulo em Rm:12;18.
    E não façamos com Israel se esquecendo que o Altíssimo esta conosco ISm:8;5.

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.