INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sexta-feira, 25 de julho de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 4 - Revista da CPAD


AULA EM 27 DE JULHO DE 2014 - LIÇÃO 4
(Revista: CPAD)

Tema: Gerados pela Palavra da Verdade

Texto Áureo: 1 Pedro 1.26
  
INTRODUÇÃO
- Amado(a) professor(a), nesta lição se concentre em explicar os problemas que envolvem os relacionamentos entre as pessoas e suas causas.
- “qualidade relacional da igreja”, se refere à qualidade de relacionamento dos irmãos em Cristo entre si.
- “distorções sociais”, são as distorções que ocorrem no meio da sociedade. Os desrespeito aos pais, a inversão de valores, o anarquismo e diversos outros.
- “Ligados, sobretudo, pelo Evangelho.”, o evangelho é o ponto em comum entre os irmãos em Cristo. Independente das diferenças que há entre nós, devemos ter relacionamentos cristãos com nossos irmãos em Cristo.
__________________________________________
1. A RELAÇÃO ENTRE OS POBRES E OS RICOS DA IGREJA (Tg 1.9-11)

1.   Os pobres na Igreja do primeiro século.
- “a dos pobres e a dos ricos”, é bom lembrar que era muito mais difícil ser pobre na época da igreja apostólica do que atualmente, devido à falta de assistência do estado.
- “eles eram acolhidos pela igreja local”, a igreja em Jerusalém vivia no modelo de comunidade, quando alguém se convertia entrava para a comunidade dos santos e ali, caso tivesse bens, vendia-os e davam para a comunidades e aqueles que nada tinham eram acolhidos nessa comunidade.
Veja:
“E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.
E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.
Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos.”
Atos 4:32-34

2.  Os ricos na Igreja Antiga.
- “negligenciavam as obrigações”, aos ricos haviam muitas obrigações no que tange a cuidar dos pobres, na verdade não se deve generalizar, porque nem todos os ricos deixavam de cumprir suas obrigações como cidadãos dessa classe. Alguns ricos que eram bons exemplos: Abraão, Isaque, Jacó, Jó, Ló, Boaz e outros.
- “tendência a desenvolverem a arrogância”, “arrogância” é o contrário de humildade, seria a falta de humildade. A arrogância acumula os outros sentimentos como a inveja, altivez, presunção, vaidade, etc.
- “postura de senhores poderosos”, a postura é um elemento essencial, pois às vezes, o indivíduo não disse nada demais e nem agiu arrogantemente, mas a postura dele pode transmitir a imagem de arrogante.
- “não pode ser comprado por dinheiro algum”, alguns crentes que possuem dízimo elevado acabam pensando que podem viver de qualquer maneira, trazendo escândalo para a igreja.
- “Porém, ele pode encontrar maior dificuldade”, isso é fato, é bem mais difícil para alguém que possui muitos bens, se desprender deles do que aqueles que possuem pouco, a começar pelo cálculo do dízimo.
3.  Perante Deus, pobres e ricos são iguais.
- “ através da salvação em Cristo, independentemente da condição”, Jesus é a razão pela qual todos são aceitos diante de Deus, Seu sacrifício não foi dirigido a uma classe e nem a um povo somente.
- “coerdeiros”, coerdar significa herdar juntamente.
- “saberá biblicamente”, através da Bíblia toda pessoa tem a forma de viver diante dos homens e de Deus. Não adiante buscar nos livros seculares ou ficar simplesmente copiando as outras pessoas de sucesso, é necessário que cada pessoa busque sua orientação na Palavra..
_____________________________________________
2. DEUS SÓ FAZ O BEM (Tg 1.16,17)

1.  Não erreis (v.16).
- “meio-irmão”, lembrando que Tiago e Judas eram filhos de Maria com José, por isso são chamados de meio-irmão de Jesus.
- “santidade plena”, seria a natureza santa semelhante a dos anjos.
- “uma vez remido, não mais pecará”, não deve ser confundido com a predestinação fatalista que afirma: “uma vez salvo, salvo para sempre”.
- “concupiscência carnal”, a concupiscência é o desejo exagerado da carne. A concupiscência é a arma que Satanás usa para atacar o ser humano.

2.  Todo dom e boa dádiva vêm de Deus.
- “recebido pelo crente através de esforço humano”, lembrando que a sabedoria a que se refere aqui é a espiritual, pois o conhecimento humano para uma sabedoria puramente racional se adquire a base de muito esforço, mas caso você não concorde com isso pode passar simplesmente dessa forma: a sabedoria se consegue sem esforço humano, mas o conhecimento se conquista com muita disciplina e persistência.  
- “ascetismo religioso”, é a ideia de sacrificar a própria natureza em prol de uma posição espiritual mais elevada. Seria a prática demasiada de jejuns, vigílias, montes, etc. Nem o monte, nem o jejum é errado, mas se for feito com exagero pode prejudicar a família e a vida espiritual.
- “tende a tirar o foco da glória de Deus”, muitos acreditam que a espiritualidade vem dessas coisas e passam a buscar isso mais do que a fazer a vontade de Deus. Alguns passam dias no monte, enquanto a Bíblia manda mostrarmos nossas boas obras diante dos homens.
- “tornando o ser humano “digno” do céu”, o ser humano não é digno do céu, é Jesus quem o justifica. Porém quando a pessoa passa a focar mais na prática de obras ela começa a se achar digno devido a seu trabalho árduo.


3. A origem de tudo o que é bom está no Pai das Luzes.
- “Pai das Luzes”, ao que parece somente Tiago se refere a Deus dessa forma, é compreensível por ter sido Deus quem formou a luz.
- “não há momentos de trevas e outros de luzes”, aqui está uma clara comparação entra a natureza humana e a divina. Mostrando que a divina é imutável, enquanto o homem é mutável.
- “uma visão turva de Deus”, turvo é qualidade do que está escurecido, opaco, impedindo a transparência. Assim está a visão de muitos em relação a Deus, eles vêem Deus como um pai cruel que está sempre disposto a disciplinar com rigor os seus filhos.
- “ensinamento joanino”, se refere ao ensinamento do apóstolo João.
outro.
 _________________________________________
3. PRIMÍCIAS DE DEUS ENTRE AS CRIATURAS (Tg 1.18)

1  Algo que somente Deus faz.
 - “regeneração”, é a doutrina que firma que a alma humana é regenerada à posição que estava antes da Queda. De acordo com essa doutrina a pessoa se torna uma nova criatura ao aceitar a Cristo de coração e evidencia isso nas obras.
- “é um milagre proveniente do Pai das Luzes”, a regeneração é o grande milagre que Deus opera no homem. Muitas vezes esperamos um grande sinal miraculoso, mas o maior milagre é a salvação de uma alma.
- “implantando-lhe um novo caráter”, caráter é a característica que define a personalidade de alguém, a mudança do caráter humano é o grande diferencial nessa obra de regeneração, pois o homem que antes tinha uma má índole agora passa a ter uma boa índole.

2. A Palavra da Verdade.-
- “primícias do Senhor entre as criaturas”, se refere à colheita dos primeiros frutos. O melhor da terra, e não o resto. Assim Deus vê a Sua Igreja.
- “enxertados pela Palavra”, “enxertado” em agricultura é aplicar um ramo de uma planta em outra, misturando as naturezas. O judeu conhecia muito bem essa terminologia e por isso Tiago afirma que a Palavra foi enxertada em nós, passando a fazer parte da nossa natureza. Paulo afirmava que fomos enxertados na natureza de Cristo. Romanos 11.24

3. O propósito de Deus.
- “a maior bênção de Deus para a humanidade”, muitos ministérios deturparam essa verdade, pregando a aquisição de coisas materiais como sinal de vitória.
- “abençoar o crente com bênçãos materiais”, professor(a), seja enfático e decisivo, se alguém pensa que Deus está querendo deixar seus filhos ricos, está “diabolicamente” enganado.
- “Você faz parte das primícias”, aqui o comentarista está falando diretamente a nós, quer dizer que depois de nós virão muitos outros.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “processo de aperfeiçoamento espiritual”, é o processo no qual vamos melhorando a cada dia, crescendo na graça e no conhecimento.
- “viver o Evangelho em fidelidade”, é viver o Evangelho de forma fiel, não enganando as pessoas se mostrando ser aquilo que não é, e nem se enganando a si mesmo.
- “dominado por relacionamentos distorcidos”, essa é uma característica dos relacionamentos do mundo atual. As pessoas confundem o que é colega ou amizade verdadeira, atualmente todos são contatos.

Marcos André – Superintendente e professor
Gustavo Matos – Cooperador
Juliane Souza – colaboradora

Luiz Evaldo Barbosa - colaborador

Boa Aula!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.