INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

quarta-feira, 30 de julho de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 5 - Revista da CPAD


AULA EM 03 DE AGOSTO DE 2014 - LIÇÃO 5
(Revista: CPAD)

Tema: o cuidado ao falar e a religião pura

Texto Áureo: Tiago 1.19
  
INTRODUÇÃO
- Amado(a) professor(a), nesta lição você ensinará a sabedoria do uso da comunicação, se concentre na praticidade da aula, tente mostrar como se pratica isso hoje.
- “potencialmente perigoso: a fala”, nós encontramos Tiago se referindo a língua, tem o mesmo efeito, porém ficaria até melhor se chamássemos de “comunicação”.
- “verdadeira religião”, a palavra “religião”, significa religar, ou seja, religar o homem a Deus. Logo a religião verdadeira seria aquela que religa o homem a Deus. De fato se fizermos a obra que Tiago cita aqui com certeza religaremos bem mais pessoas a Deus.
- “identidade cultural de uma sociedade”, a identidade cultural de uma sociedade são as características pelas quais ela é conhecida, por seus costumes e tradições e a comunicação é responsável por isso porque esses costumes são passados de pai para filho principalmente pela fala.
- “falar às outras aquilo que pensam”, aqui está um grande defeito da comunicação, o excesso de sinceridade. Isso pode causar grandes problemas nos relacionamentos. Nem tudo que se sabe deve ser dito.
__________________________________________
1. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20)

1.   Pronto para ouvir.
- “Ouvir é um empreendimento”, é trabalhoso porque envolve disciplina e dedicação, é preciso parar, prestar atenção e processar o que está sendo dito.
- “preocupação pastoral”, Tiago, irmão de Jesus, era pastor da igreja em Jerusalém.
- “depende de uma disposição”, estar disposto é estar com vontade. Quem para pra ouvir deve fazer isso não por obrigação, mas por vontade de fazê-lo.
- “foi ensinado a ouvir a voz divina”, o jovem Samuel não tinha intimidade com Deus e por isso não reconheceu a Sua voz. Deus hoje fala conosco através de Cristo, mas de formas diferentes e muitas vezes nos falta a intimidade necessária para reconhecer a Sua voz.

2.  Tardio para falar.
- “ouve com atenção adquire a rara capacidade”, ouvir apenas por ouvir, não nos permite aprender, mas quando damos atenção, o assunto falado entra para a nossa mente e é devidamente armazenado lá, para ser consultado quando precisarmos dele novamente.
- “pode provocar verdadeiras tragédias”, professor(a), você pode fazer uso de ilustrações, tente se lembrar de algum fato em que o uso indevido da fala ocasionou uma discórdia, divisão, separação ou algo semelhante.
- “refletir sobre o que vamos dizer”, muitas vezes a pessoa até tem essa intenção, mas por ter o costume de falar muito, acaba por deixar passar alguma coisa.
- “uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios”, esse é um recurso da poesia de Salmos, na verdade o que Davi está pedindo é: “me ajude a guardar os meus lábios para não cometer pecado através deles”.

3.  Controle a sua ira.
- “tardio para se irar”, significa demorado a se irar, Tiago exorta o crente a praticar a calma de maneira que seja difícil tirar-lhe do sério.
- “profundo sentimento de ódio e rancor”, ela pode ser momentânea, como também pode ser armazenada no coração. Quando o crente a esconde no coração então ele começa a perder o que recebeu de Deus, como a unção, sabedoria e a salvação.
- “não produz a justiça de Deus”, a pessoa que age debaixo da ira, não consegue pensar em nada, toma decisões precipitadas e desprovidas de senso cristão.
- “para o nosso temperamento não se achar irrefletido”, o temperamento é o elemento do comportamento humano que define como ele agirá diante de cada situação. Alguns são mais explosivos e outros não. Quando a pessoa não segue a direção de Deus pela orientação bíblica, age sem controlar seu temperamento, apenas pelo impulso temperamental.
- “domínio próprio (Gl 5.22 — ARA).”, esse termo domínio próprio pode ser visto na ARA (Almeida Revista e Atualizada), e não na que a revista usa a ARC (Almeida Revista e Corrigida) onde é usada a palavra “temperança”, mas pode ser encontrado também na NVI (Nova Versão Internacional), porém na NVI ele aparece no verso 23 e não no 22.
_____________________________________________
2. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25

1.  Enxertai-vos da Palavra (v.21).
- “firmar uma posição radical”, o radicalismo só é ruim quando atinge aos outros e afeta os relacionamentos, mas que somos radicais conosco mesmo dentro da medida certa, podemos produzir bons frutos.
- “rejeitando toda a imundícia”, devemos ser extremamente radicais contra o pecado, não aceitando nem seque a aparência do mal perto de nós.
- “abra o coração para ouvir a voz do Senhor”, convém lembrar que a passagem onde Jesus afirma e solicita “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa” Apocalipse 3:20a É uma carta escrita para crente e não para ímpio.

2.  Praticai a Palavra (vv.22-24).
- “incoerência entre o que se “diz” e o que se “faz””, seria a pessoa dizer acreditar numa coisa e fazer outra diferente, IMPRESSIONANTE, MAS EU VEJO ISSO ACONTECER TODO DIA.
- “devemos porfiar em vivê-los.”, porfiar aqui é empregado com o sentido de insistir, teimar, persistir. Devemos insistir em viver a palavra de Deus.
- “dissimulado”, significa fingido, que apresenta uma falsa aparência para enganar.

- “homem que contempla a própria imagem no espelho”, Tiago usa essa comparação para mostrar o quanto é tolo a pessoa se olhar no espelho e se esquecer em seguida de como era sua fisionomia. E ele disse isso numa época em que os espelhos eram embaçados, imagine como seria tolo hoje. O aprendizado eficaz ocorre com a combinação de dois elementos: a teoria e a prática, se a pessoa só aprende na teoria e não na prática acontece isso que Tiago relata, o esquecimento.

3. Persevere ouvindo e agindo (v25).
- “quem é cuidadoso...nela persevera”, perseverar é insistir na ação. Aqui está afirmando que aqueles que zelam pela lei devem agir insistentemente de acordo com ela, senão nós passamos a cobrar que outros a cumpram e nós mesmos não cumprimos.
- “ouvindo-a negligentemente”, a negligência é o ato de não intervir em situações que requerem uma atitude. Então ouvir negligentemente seria ouvir sem a obrigação de tomar qualquer atitude.
- “Entremos na presença de Deus”, um texto bíblico que pode melhor representar essa palavra é o de Hebreus 4.16. Essa passagem parece falar de oração.
- “Falamos, mas não vivemos”, esse tem sido um grande mal dos últimos dias. Os crentes estão muito teóricos e pouco fiéis, sabemos debater, sabemos louvar, sabemos falar de Jesus, mas o mais importante que é o testemunho, não damos diante dos homens, falo de forma genérica.
- “alma despida”, sem esconder nada de Deus, não ocultando nada na oração. Muitos crentes oram a Deus, mas não falam tudo.
_________________________________________
3. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
1  A falsa religiosidade.
- “por frequentarem um templo”, por frequentarem e muito mal, atualmente basta que a pessoa vá aos domingos na igreja e já se dizem cristãs.
- “ativismo religioso”, é o excesso de atividades religiosas que acaba por tirar o foco da verdadeira mensagem.
- “mas em detrimento do próximo”, o ativismo envolve o crente desapercebido de maneira que ele fica extremamente religioso e passa a ver a religião como o mais importante, se esquecendo que o ser humano é o mais importante para Deus.
- “só fala daquilo que o coração está cheio”, essa é uma lógica incontestável, se a pessoa se encher de mundanismo, ela pode até disfarçar por algum tempo, mas em um momento ela deixará escapar a linguagem do mundo com seus padrões.
- “Quem não se entrega inteiramente”, na verdade aquele que vive dividido, no meio termo, na dúvida, na mornidão, desagrada mais a Deus do que aquele que ainda não o conhece.

2. A verdadeira religião (v.27).
- “imaculada”, significa puro, aquilo que não foi corrompido.
- “assentados, ao nosso lado”, às vezes a pessoa que está ao nosso lado na igreja está a beira de um suicídio e não sabemos. Só saberemos se nos aproximarmos e conversarmos e buscar saber do que ele precisa.
- “mas foi até eles”, Jesus se aproximou deles, os ouviu, parava para os ensinar e para os curar. Muitas vezes nos envolvemos demais em muitas atividades que não temos tempo para nem metade do que Jesus fazia.
- “bendizem o seu nome, visitando e acolhendo”, bendizem, visitando..., isto é, dando testemunho, não com palavras, mas com gestos e ações.

3. Guardando-se da corrupção (v.27). 
- “recomendar a obrigatoriedade de visitarmos”,impressionante como depois de quase dois mil anos, essa Palavra permanece atual, pois o problema de abandono dos necessitados ainda é tão grave quanto naquela época.
- “mas não fazemos parte do seu sistema”, lembra da ilustração da garça? A garça anda sobre a lama, tira o alimento dela, mas não se mistura com ela, permanece com sua plumagem branca.
- “flerte com o modo corrupto de viver”, flertar significa lançar olhares, se atrair e atrair buscando se envolver. Há uma geração de crentes que admitem muitas corrupções do mundo como se fosse algo normal.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- Professor(a), recomendo que nesta conclusão você convide os alunos a refletirem sobre o que eles tem feito na obra de Deus, se eles tem praticado a verdadeira religião ou a falsa. Se são crentes só de argumentos ou se são de prática de justiça.

Marcos André – Superintendente e professor
Gustavo Matos – Cooperador


Boa Aula!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.