segunda-feira, 11 de agosto de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Conteúdo da Lição 7 - Revista da Editora Betel


A Visão de Um Líder Chamado por Deus
17 de agosto de 2014

TEXTO AUREO
“Então o Senhor me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo”. Hc 2.2



VERDADE APLICADA
Visão é a capacidade de ver não somente o que é, mas o que pode vir a ser uma realidade.


TEXTOS DE REFERÊNCIA
Gn 15.3 - Disse mais Abrão: A mim não me concedeste descendência, e um servo nascido na minha casa será o meu herdeiro.
Gn 15.4 - A isto respondeu logo o Senhor, dizendo: Não será esse o teu herdeiro; mas aquele que será gerado de ti será o teu herdeiro.
Gn 15.5 - Então, conduziu-o até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posteridade.
Gn 15.6 - Ele creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça.
Gn 15.7 - Disse-lhe mais: Eu sou o Senhor que te tirei de Ur dos caldeus, para dar-te por herança esta terra.


INTRODUÇÃO
Quando Deus chamou Abraão, deu-lhe um encargo e lhe fez grandes promessas. A partir de então, uma visão passa a dar sentido a sua vida. Todavia, essa visão precisava se desenvolver e tomar forma, vindo a tornar-se clara com a experiência do tempo e do convívio ao lado de Deus. O desenvolvimento e a compreensão dessa visão fizeram de Abraão um homem esperançoso e cheio de fé no Deus que chama a existência as coisas que ainda não são.

1. A aquisição de uma visão
O que é uma visão? Visão é a habilidade de enxergar além do que nossos olhos físicos conseguem ver (Mc 6.34a). A capacidade de não apenas ver o que é, mas também o que pode vir a ser realidade. E como se adquire uma visão? Visão é um conceito que é inspirado por Deus no coração de um ser humano. Nós podemos enxergar e ao mesmo tempo não ter visão (Is 6.9). Vejamos alguns aspectos de uma verdadeira visão:


1.1. Deus a fonte da visão
“Então o Senhor me respondeu: Escreva claramente a visão em tábuas, para que se leia facilmente.” (Hc 2.3). Deus é a fonte. Ele comunica a visão a seus servos, e, embora seus caminhos sejam desconhecidos, eles são sempre seguros. Pois as visões dadas por Deus são sempre perfeitas em seus propósitos (Am 3.7). As visões divinas são coerentes com as circunstâncias e com o futuro desejável que Deus quer para seus filhos. Deus cria e modifica o futuro de seus filhos, a partir dessa visão desejável. Abraão, por exemplo, era um produtor e comerciante pastoril já bem sucedido em sua terra de origem (At 7.2). Mas Deus transformou sua vida e a de muita gente por causa de uma visão a ele confiada. A visão cria prioridades (ela diz o que devemos fazer). Sem visão o povo perece (Pv 29.18). O maior bem que um líder dá a seus seguidores é uma visão.


1.2. A visão de uma realidade futura (Gn 15.5)
Deus é quem projeta em nós a visão de uma realidade futura preferível (Ez 40.2). Tanto o nosso presente quanto nosso futuro podem sofrer alteração mediante o poder de uma visão comunicada por Deus. As pessoas seguem e são influenciadas, porque acreditam na grandiosidade da visão que elas demonstram possuir. Essa visão sempre é maior que o visionário, sempre desafia o natural e o óbvio, gera esperança e, por isso, é tão contagiante. Jamais faltaram seguidores a Moisés, porque ele inspirava seus seguidores. Para o povo tudo era escravidão, mas para ele a liberdade era uma realidade visível, mesmo sob as mais turbulentas circunstâncias (Hb 11.27).


1.3. Visão transformadora (Gn 15.6)
Abraão estava adiantado em idade juntamente com Sara sua mulher, e seu maior questionamento era a ausência de um herdeiro na família. Ele vai a Deus e questiona sua situação, Deus lhe compreende e lhe dá um entendimento diferente de sua promessa. Não seria o damasceno Eliezer, seu servo, o herdeiro de sua fortuna e sim aquele que viria nascer dele próprio. Para uma compreensão maior, Deus lhe convida a sair da tenda, lhe mostra as estrelas do céu, os grãos de areia do mar, fazendo-lhe entender que assim seria a sua descendência. Tal visão foi tão poderosa que mudou o interior de Abraão a partir dali. “Abraão creu no Senhor, e isso lhe foi imputado por justiça”. Embora a visão de Deus seja um retrato futuro, ela é poderosa para mudar o nosso íntimo.


2. O conteúdo de uma visão
Existe uma diferença muito grande entre visão e devaneio. E a diferença está na origem, no conteúdo e no fim de ambos. Visão tem origem em Deus e nas suas promessas, e, embora se pareça utópica em dado momento da vida, ela difere de um devaneio, cujo produto é o resultado de fantasia mental ou de delírio. Uma visão afeta positivamente o relacionamento com Deus e a realidade, enquanto o devaneio sendo uma coisa utópica nada acrescenta.


2.1. A visão coloca os liderados em consonância com o líder(Jo 15.15)
Existe um enorme abismo entre um sonhador e uma pessoa com visão. Um sonhador tem muitos sonhos e raras vezes converte esse sonho em realidade, enquanto que uma pessoa com visão, não somente tem sonhos, como também sabe como os converter em realidade (Dn 2.36). A fonte da visão espiritual de um líder não está em si mesmo, mas em uma revelação que vem da parte de Deus para dar sentido a sua vida. Sua visão deve ser mais que uma boa ideia, deve ser um destino inspirado por Deus (At 16.10). E crucial para um líder aprender a distinguir de onde vêm seus recursos e sua força. Finalmente, deve saber que Deus é a origem de seu sonho ou sua visão. O conteúdo de uma visão divina e o interesse em realizá-la coloca criador e criatura em plena sintonia.


2.2. Deus trabalha para o cumprimento da visão (Gn 15. 9-10)
A visão de Deus para Abrão tinha dois aspectos: primeiro, uma descendência numerosa. Ele creu e recebeu a justiça de Deus; O segundo aspecto era que daria a Abraão a terra de sua peregrinação. Interessante que neste ponto Abraão questiona como ele poderia ter certeza ou saber que isso lhe sucederia? De modo surpreendente Deus lhe dá uma receita específica de adoração (Gn 15.9-18). Nela havia alguns animais que ele deveria sacrificar, porém, algumas aves de rapina tentaram macular o sacrifício e impedi-lo de realizar. Abraão lutou, mas se cansou, e Deus completou com fogo divino o que Ele mesmo havia pedido. Isto nos alerta para as dificuldades de uma grande liderança, onde as hostes malignas sempre tentarão impedir nossos sacrifícios de adoração a Deus. Por outro lado, uma visão dada por Deus também é por Ele corroborada. Abraão dormiu, mas Deus não dorme! (SI 121.3-4). Quando Deus tem um projeto a realizar, está sempre se unindo a quem concedeu a visão para que esta se torne realidade (Gn 15.12,17).


2.3. Líderes protegem a visão (Gn 15.11)
A adoração por meio do sacrifício foi o método eficaz para que Abraão tivesse certeza que seria herdeiro da terra de sua peregrinação. A primeira parte consistiu em ele obedecer sacrificando os animais pedidos. A segunda parte foi o fogo divino que passou entre aqueles pedaços. Essa foi a maneira de Deus confirmar a Abrão a sua visão a ele entregue. Quando um sonho é de Deus e fazemos a nossa parte, Deus se compraz em confirmar através do fogo. Agora é importante que assim como Abraão lutou para proteger o holocausto das aves de rapina, que eram uma oposição a seu destino profético, de igual modo, um líder deve proteger a visão que Deus lhe confiou.


3. Relacionando-se com a visão
A visão divina é para todo possuidor uma fonte de esperança. A função dos olhos é enxergar, mas a visão se estende além do globo ocular, quem a possui tem um alvo e um destino a chegar, vive e respira por ela, é incansável em sua caminhada, e nem mesmo a afronta e a presença da morte o pode desestimular. Abraão viveu por aquilo que Deus lhe mostrou. Ele tinha no coração a convicção de que era real e isso era sua força para viver. Vejamos alguns pontos importantes de como se relacionar com uma visão.


3.1. Um líder deve amar a visão, mas priorizar a fonte
A visão de um líder deve ser ultracontigencial, ou seja para além dos limites (Gn 13.14-17). Deve ser capaz de tornar o invisível em realidade, e o desconhecido em possibilidade. Todavia o visionário não pode esquecer a origem da visão: DEUS! No caso de Abraão a base de sua fé foi Deus, não suas promessas. Ele não foi chamado de amigo de Deus pelo interesse da promessa, mas pelo convívio com o que prometera (2Cr 20.7; Is 41.8; Tg 2:23). O mais fascinante numa visão é que quando se passa a ter afinidade com seu doador ela se torna secundária, e Ele a principal razão de nossas vidas.


3.2. Um líder fala sem o uso de palavras
Deus tem prioridades. E os líderes, precisam conhecê-las para não motivar erroneamente as pessoas a trabalharem e a sacrificarem por sua própria visão, em vez da visão e propósitos divinos. Deus tem como finalidade estar unido a nós. Todavia, o chamado é para aqueles que desejam desenvolver e equipar a outros para cumprir seus propósitos. Assim, devemos avaliar nossa visão de acordo com a vontade e direção de Deus, e aprender a comunicar isso àqueles que influenciamos. O mundo precisa urgentemente de pessoas visionárias capazes de romper com o natural (Pv 29.18; Rm 8.19). Abraão hoje está calado, mas sua vida fala e ensina gerações e gerações através de seu exemplo de fé (Tg 2.23).


3.3. Um líder deve se manter fiel a visão
Deus tem como amigo o homem que com dignidade é fiel à visão que lhe foi entregue. Abraão teve motivos de sobra para abandonar a visão, mas sua respiração não estava nas coisas temporais, e sim, nas que são eternas. Ele deixou tudo para trás, foi fiel e capaz de sacrificar sua vida e seus sentimentos. A visão torna o sofrimento e o desapontamento suportáveis, é capaz de gerar esperança em meio ao desespero e prover paciência na tribulação, ela é o fundamento da coragem e o combustível da persistência. A vida é dinâmica, o tempo passa, as coisas se transformam, e desprezar uma visão pode provocar um vazio que nem mesmo a eternidade será capaz de preencher. Quem sabe Esaú pudesse explicar melhor sobre esse vazio quando viu o real valor da benção que trocou por um prato de comida?


CONCLUSÃO
A aquisição, o desenvolvimento e o relacionamento de uma visão são etapas que todo líder deve passar. Quando falamos de fidelidade à visão confiada, compete-nos também passá-la adiante e não morrer com ela. Toda a visão que se encerra com a existência de um líder indica que tudo foi feito na pessoa dele próprio, por isso, ela morreu com ele. Líderes geram filhos, jamais deixam a próxima geração órfã de visão. O líder passa, mas a visão é de gerações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.