INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

terça-feira, 14 de outubro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 2, Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2014 - LIÇÃO 2
(Revista: Central Gospel - nº 40)

Tema: UMA OVELHA, UMA DRACMA, UM FILHO
  
Texto Áureo: Lucas 19.10
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição .
- "favorável ao Evangelho", é favorável ao Evangelho porque ele é a proposta de salvação da alma humana e essas parábolas propostas falam diretamente de conversão de vidas.
- "pressupostos religiosos", lembrando que o pressuposto é a ideia pré-estabelecida, aquilo que está subentendido. Um pressuposto religioso que Jesus mais combateu é de que a unica nação que Deus ama é Israel e que a salvação é somente para os judeus.
- "ortodoxia farisaica", ortodoxia é a correta aplicação da doutrina, aqui se refere ao correto entendimento dos conceitos farisaicos, ou seja, dos fariseus.
- "pessoas que eles mais desprezavam", no conceito farisaico os pecadores devem ser afastados da convivência dos santos e isolados, mas na prática do evangelho é o contrário, o pecador deve ser trazido para perto dos servos de Jesus.
_______________________________________________
1. A OVELHA PERDIDA
- “similaridades dos textos", se refere ao fato de eles serem muito parecidos, isso se deve por serem evangelhos sinóticos, ou seja, semelhantes.
- "pequenas diferenças editoriais", isso ocorreu porque esses evangelhos vieram da mesma fonte, mas foram escritas por pessoas diferentes e destinados a culturas diferentes.

1.1. A proposta da parábola
- "zeloso pastor", uma ideia interessante que essa parábola apresenta é o fato de o pastor deixar as noventa e nove no aprisco e partir atras da perdida. Propõe que Deus se preocupe mais com quem está perdido do que os que estão salvos.
- “débito financeiro", se refere ao à perda do valor da ovelha caso ela morresse no deserto.

1.2. A incansável busca
- “Sumo pastor", se refere a Jesus nosso Sumo sacerdote.
Nessa parábola a ideia central é a preocupação que o Senhor tem de nós e que os líderes devem ter palas almas.

1.3. A esperança da conversão e a alegoria da salvação
- ...
_________________________________
2. A DRACMA PERDIDA
- “assinala essa semelhança", professor(a), quero apresentar somente uma diferença entre essas duas parábolas. Enquanto a parábola da ovelha apresenta algo que se perdeu fora, a da dracma apresenta algo que se perdeu dentro. Enquanto um faz alusão à alma que se perdeu no mundo o outro faz alusão à alma que se perde dentro da igreja, isso é, aqueles que estão na igreja e não estão libertos. 

2.1. A mulher
- "dentre as posses do esposo", sempre que se falava dos bens de alguém no Antigo Testamento eram mencionadas as mulheres.
- Lembrando da analogia da alma que se perde dentro da igreja, lembro que a mulher para encontrar a dracma, acende a candeia a arruma a casa.

2.2. A moeda
- "deusa minerva", era deusa romana da sabedoria. Aqui Jesus está usando uma moeda pagã apara trazer um ensinamento espiritual. Jesus sempre derruba paradigmas religiosos.

2.3. A proposta da parábola
- Considerando que a perda da moeda representa a alma que se desvia dentro da igreja e permanece na igreja mesmo estando desviada, assim podemos entender que cada ação da mulher no sentido de encontrar a moeda pode ser um elemento de ensino. Veja:
- "acendeu a candeia", representa a busca pelo Espírito Santo.
- "varreu a casa", representa a busca pelo conserto no meio da igreja, afastamento do pecado.

2.4. Está acesa a candeia do Evangelho
- "várias formas que Deus utiliza", se refere ao fato de a mulher ter tomado algumas atitudes para encontrar a moeda.
- "o Eterno varreu as condenações", existe aqui uma outra comparação mais genérica que se refere à obra feita por Jesus.

3. O FILHO PRÓDIGO
- "é a mais longa deste Evangelho", isso porque ela tem uma característica especial, se a parábola da ovelha falou de alguém que se perdeu no mundo e a da dracma falou de alguém que se perdeu dentro da casa, a do filho pródigo fala dos dois tipo. Ela conta de dois jovens, um se foi para o mundo e o outro permaneceu dentro da casa, mas não aprendeu nada sobre o amor e o perdão.
- "um fato verídico", algo que teria acontecido na realidade, mas não há como comprovar essa tese.

3.1. A proposta da parábola
- "em busca de independência", note que esse é um penamento modernista sendo analisado naquela época.
- "partiu para uma terra distante", para ficar longe das vistas do pai e assim sua consciência não o condenaria por seus maus atos.
- "viver dissolutamente", é o mesmo que viver depravadamente, sem regras.
- As atitudes desse filho mais novo pode se comparar integralmente às atitudes de alguns jovens imaturos, que de vez em quando resolvem dar uma voltinha no mundo.

3.2. O filho mais novo
- "só seria factível", só poderia se tornar em fato, só poderia ocorrer.
- "não se tratava de um direito legal", um direito amparado pela lei.
- "um terço da propriedade", dividiu-se a propriedade em três, para que o mais velho pudesse receber o dobro do mais novo, ficaria uma parte com o mais nove e duas pro mais velho.

3.3. A graça, o amor e o perdão
- "Jesus reafirma o amor de Deus", para o judeu era difícil compreender um Deus amoroso a esse ponto, porque eles valorizavam mais as histórias em que Deus punia os inimigos de Israel. Jesus estava enfatizando um aspecto da personalidade de Deus que a humanidade nunca havia experimentado antes.
- "não como simples lidadores", não como aqueles que simplesmente lidão com Deus, mas como filhos.

3.4. O filho mais velho
- "indignação com a atitude do pai", ele viveu a vida toda ao lado do pai e nunca notou essa característica nele. Assim existem muitos nas igrejas que estão a muito tempo no ministério, mas não desenvolvem o amor de Deus.
- "questiona a justiça do pai", na verdade ele questiona a misericórdia do pai. Muitos crentes hoje amam em pregar um Deus justo, que pune o transgressor, mas não se alegram com um Deus misericordioso que perdoa o pecador.
- "clara referencia aos escribas", note mais uma vez a outra forma de interpretar, se referindo aos fariseus, mas as duas formas podem ser usadas. Ou seja, o filho mais velho poderia ser tanto os religiosos daquela época, como os de hoje.

CONCLUSÃO
- "centésima parte", era uma de cem, pois ele tinha cem ovelhas.
- "objeto inanimado", que não possui vida em si.
- "50% da herança", se referindo aos filhos, pois se ele tinha dois e um foi embora, então agora ele tem metade. 

2 comentários:

  1. Prezado Muito útil o esboço, inclusive ampliou a minha visão a cerca do tema. Obrigado e Deus te Abençoe!

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.