INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sábado, 18 de outubro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 3 - Revista da CPAD


AULA EM 19 DE OUTUBRO DE 2014 – LIÇÃO 3
(Revista: CPAD)

Tema: O Deus que Intervém na História

Texto Áureo: Daniel 1.8
  
INTRODUÇÃO
- Amado(a) professor(a), nesta lição mostre aos alunos como Deus exaltou Seu servo na presença dos ímpios em Babilônia.
- "gentílico", se refere aos estrangeiros, aqueles que não são judeus, o termo é oriundo de gentes.
- "reino messiânico", é o reino de Jesus, não somente no milênio, mas por toda a eternidade.
- "apogeu da Babilônia", período em que a cultura babilônica atingiu seu ponto máximo.
- "circunstâncias mais adversas", são as circunstâncias que fogem à normalidade, para as quais geralmente não estamos preparados. São circunstâncias que geralmente o Senhor mesmo cria, para nos mostrar o Seu poder.
__________________________________________
1. O SONHO PERTURBADOR DE NABUCODONOSOR

1.   O tempo do sonho (v1).
- “contrasta com os três anos do treinamento", quer dizer, como Daniel poderia ter falado ao rei nesse período se ele ainda não era considerado um sábio do reino, ainda estava no treinamento. Daniel 1.5
- "era o segundo ano do reinado", parece que Daniel teria completado seus estudo antes de fechar os três anos completamente.

2. Habilidade dos sábios é desafiada no palácio (2.2).
- “revelar e interpretar o que ele havia sonhado", o rei lançou teste para ver se eles eram adivinhos de verdade.
- "tinham a pretensão de ser privilegiados com sonhos", eles acreditavam serem superiores ou semi deuses.
- "requeriam então o trabalho dos sacerdotes adivinhos", os sacerdotes iam enganando o rei com interpretações lógicas, mas que não traziam qualquer acréscimo para o reino, é provável que o rei tenha se saturados disso.

3. O fracasso da sabedoria pagã (2.3-13).
- “não somente adivinhar o sonho, mas interpretá-lo", com certeza o ato de adivinhar o sonho é bem mais difícil do que interpretar.
- "pena capital", é a pena de morte.
- "incapazes de decifrar o sonho do rei", o Senhor deve ter vedado que qualquer entidade demoníaca revelasse aos magos o sonho. 
_____________________________________________
2. A ATITUDE SÁBIA DE DANIEL (2.16-30)

1.  A cautela de Daniel (vv 16-18)
- “não agiu isoladamente", procurou ajuda em seus amigos, esse foi o principal ponto de sabedoria de Daniel. Ele tinha amigos com quem podia contar, todo crente deve buscar boas amizades, pessoas com quem se pode contar nas situações difíceis.
- "ousadia da fé", a fé ousada é a fé que lança desafios, isso é coragem. Precisamos exercitar a nossa fé, fazendo desafios corajosos. Só dessa forma teremos testemunho para contar.
- "demandam oração perseverante", a oração perseverante é a oração que não esquece o propósito enquanto esse não se realiza.

2. Deus ainda revela mistérios (vv. 19-27).
- "terem buscado a Deus em oração", foi um verdadeiro trabalho em equipe, onde Daniel e seus amigos foram livrados e o nome do Senhor foi engrandecido.
- "o Altíssimo interveio na história", com esse evento o Senhor engrandeceu o Seu nome e exaltou o nome de Daniel perante os sábios de Babilônia. O Senhor marcou a história de Daniel e seus amigos no palácio.
- "perscrutar o pensamento", perscrutar significa sondar, investigar, quer dizer que ninguém poderia saber o que o rei estaria pensando, nem Satanás, por isso os sábios não puderam saber o que o rei havia sonhado, pois só Deus conhece o pensamento humano.

3. O caráter profético do sonho de Nabucodonosor (vv. 28,29)
- "acontecimentos futuros envolvendo outros reinos", Deus mostrou quais seriam os impérios da Terra a partir do babilônico até o reinado de Cristo.
- "ter os créditos da revelação", Daniel não aceitava créditos em lugar de Deus e ele viu uma excelente oportunidade de anunciar o Senhor a Nabucodonosor, veja o versículo 28 do capítulo 2.
Daniel ficaria assustado com alguns crentes hoje que usurpam a glória de Deus e até vendem as visões e revelações.
- "imensurável graça", imensurável é aquilo que não se pode medir, assim é a graça de Deus.

III. DANIEL CONTA O SONHO E INTERPRETA-O (2.31-45)

1. A correta descrição do sonho (vv. 31-35).
- "quatro impérios pagãos...já existiram", se refere ao império babilônico, medo-persa, grego e romano.
- "ainda não foi literalmente estabelecido", Jesus já foi ungido Rei, mas ainda não assentou-se sobre os reinos da terra, assim como Davi foi ungido, mas não assumiu de imediato o trono, primeiro foi perseguido e foi formando um exército de homens escorraçados do mundo. Também o Rei Jesus foi ungido e está formando Seu exército de valentes.

2. A interpretação dos elementos materiais da grande estátua (2.34-45).
- "a transformou no império mais poderoso", a principal característica do império de Nabucodonosor foi a riqueza, pois ele saqueou os reinas da Terra e transportou muito ouro para Babilônia.
- "união dos Medos e dos Persas", Ciro o grande foi quem conseguiu unir esses dois reinos e invadiu Babiblônia na noite em que o rei Belsazar bebia vinho nas taça do templo do Senhor, logo após a revelação que Daniel falou sobre os dedos na caiadura da parede, Daniel 5.
- "último império da história", aparece aqui as pernas de ferro, as pernas alude à rapidez, essa era a principal característica do império romano a rapidez de suas legiões.

3. "A pedra cortada, sem ajuda de mãos" (2.45).
- "desfará o poder mundial do Anticristo", essa pedra bate violentamente contra os pés da estátua e os destrói.
- "cortada vinda do monte significa", note que ela veio do céu, mas foi tomada do monte por providência divina (sem auxilio de mãos) foi levantada com material terreno, pois essa é a matéria do corpo de Jesus.

CONCLUSÃO
- "destruído a Cidade Santa e o seu Templo",  ao destruir a Cidade de Jerusalém e Templo o rei de Babilônia achou que estava acima de todos no mundo, mas esse sonho mostrou-lhe quem ele era e quem realmente estava acima de todos.
- "compreendeu isto", mas infelizmente não tomou nenhuma atitude para mudar a sua situação, continuou na sua presunção louca. 
Mas há um Deus no céu, o qual revela os mistérios; ele, pois, fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de acontecer nos últimos dias; o teu sonho e as visões da tua cabeça que tiveste na tua cama são estes:

Daniel 2:28
Mas há um Deus no céu, o qual revela os mistérios; ele, pois, fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de acontecer nos últimos dias; o teu sonho e as visões da tua cabeça que tiveste na tua cama são estes:

Daniel 2:28

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.