INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 9 - Revista da Editora Betel


AULA EM 30 DE NOVEMBRO DE 2014 – LIÇÃO 9
(Revista: EDITORA BETEL)

O milagre da cura de Naamã
Texto Áureo: Lucas 4.27
 _________________________________________
 INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição recomendo que você leia toda a história desse milagre e procure focar nos ensinamentos acerca do comportamento humano. Recomendo que você comece perguntando para a classe, se todos conhecem a história da cura de Naamã. Se houver alguém que não conheça, repasse em resumidamente.
- “principiam no orgulho humano”, se referindo ao orgulho de Naamã em não querer se lavar no rio Jordão.
- “de forma despropositada”, quer dizer: “sem propósito”, sempre há um propósito para as coisas de Deus.
_______________________________________________
1.  Naamã, o vencedor vencido
- “orgulhoso e autossuficiente”, ele era general do maior exército da época, se achava a vontade para ser orgulhoso. Ele escondia sua doença por baixo da armadura. Assim como muitos que escondem suas fraquezas por baixo de uma capa de guerreiro, mas na verdade são frágeis.
 - “um homem respeitado”, percebe-se que Naamã não era um mal chefe, talvez fosse até um bom indivíduo, pois ele é auxiliado pelo conselho de uma de suas escravas. Provavelmente a menina não daria uma dica daquela para um chefe mal.

1.1.  Campeão por fora, leproso por dentro
- “era portador de lepra”, a lepra era uma doença que até mesmo na Síria leva a disicriminação.
- “não era daquele tipo que o segregava”, embora o texto não fale, é possível que Naamã conseguisse esconder a sua lepra dos demais, dessa forma ele poderia conviver com sua família.
- “um propósito especial na realização desse milagre”, os milagres hoje em dia tem o propósito de auxiliar a pregação da Palavra de Deus.

1.2.  General, mas orientado por uma menina anônima
- “uma menina sem nome”, não quer dizer que ela não tivesse nome, mas apenas que o nome dela não é citado no texto.
- “foi trazida cativa da terra de Israel”, ela foi tirada de casa pelo exército do homem que ela estava ajudando.
- “profeta que estava em Samaria”, Samaria era a capital do reino do Norte. Tanto Elias como Elizeu profetizaram no reino do Norte.
- “entrega provisões a seu valoroso general”, essas provisões eram como um presente para assinalar que a visita era de paz.
- “sua compaixão é quem influencia a vida de Naamã”, é isso que Cristo quer de cada um de nós, que possamos influenciar o mundo com nosso comportamento genuinamente cristão.

1.3. General, mas auxiliado por uma mulher especial
- “um amor que excede aos limites”, a lepra é uma doença degenerativa e a medida que a esposa de Naamã convivesse com ele, ela veria aos poucos sua liberdade e vigor se acabar, porque em breve ela teria de cuidar de um homem acamado.
- “mas o de seu casamento é de surpreender”, muitos casamentos hoje se desfazem por motivos pequenos. Muitas esposas deveria aprender com essa valorosa esposa, que se permitia ouvir os conselhos de uma jovem escrava.
__________________________________________
2.        Naamã e o profeta Eliseu
- “ignorou sua presença quanto seus presentes”, as atitudes de Elizeu era um tiro no direto no orgulho de Naamã. Para ele receber a sua benção ele primeiro teria que deixar seu orgulho de lado.
- Observamos que muitas pessoas querem receber a vitória da parte de Deus, mas não querem abandonar coisas que os atrapalham de receber a Deus.

2.1.  A comitiva e a decepção
- “esperando ser recebido com toda pompa compatível”, Naamã vinha com uma comitiva e uma carta de apresentação do rei, realmente ele deveria ser recebido como um chefe de estado. Ele tinha todo direito, mas precisamos aprender que ter direito a honras não quer dizer que receberemos as honras. Algumas pessoas só querem trabalhar para Deus se forem reconhecidas e elogiadas pelos homens, isso é uma falha.
- “foi receber apenas a receita para a cura”, é como receber um teste da parte de Deus, se ele passasse então seria abençoado. Às vezes somos testados para depois sermos abençoados. Precisamos estar prontos para receber a vitória.



2.2. Tratamento de choque no orgulho

- “melhores do que todas as águas de Israel?”, note que Naamã começou a se desfazer do local da benção. O orgulho de Naamã alcançou um nível perigoso, pois estava falando mal das águas de onde viriam a cura. Alguns irmãos abençoados, quando tem seu orgulho ferido começam a proferir palavras contra o ministério e a igreja que os acolheu.

- “símbolos de seu fino gosto”, poderíamos dizer também símbolos da vaidade.

- “símbolo do seu prestígio”, também podemos dizer que aquela carta era o reconhecimento de sua posição.

- Notamos que Naamã trás com ele três símbolos: riqueza, vaidade e posição. Notamos que são essas três coisas que movem o coração humano, e isso ocorre muito dentro das igrejas de hoje.

2.3. Ele desceu (2Rs 5.14)
- “ele desceu, mergulhou”, Naamã só precisava de tratamento para o orgulho, pois ele já tinha a qualidade de ser sensato, porque ele só desceu após ouvir os conselhos de seus servos que o chamavam de “meu pai”. Um general capaz de ouvir conselhos de servos e criados, é um verdadeiro líder. Existem nas igrejas pessoas que tem essas boas qualidades, mas precisam ainda de tratamento para o orgulho.
- “mostrar a todos quem realmente era”, para curar orgulho muitas vezes é doloroso, o Senhor mostra quem somos na realidade e que ninguém deve estar em posição orgulhos, porque somos todos pó e cinza.
- “despir-se publicamente”, aqui pode se fazer alusão ao pecado oculto, pois a verdadeira conversão também requer a exposição de mazelas escondidas.

3. As lições da cura de Naamã
- “um homem restaurado”, não se sabe depois o que Naamã fez, ou quais foram suas conquistas. Sabe-se que Naamã agora estava preparado para ter uma vida com Deus.



3.1. Chegou um general, retornou um servo

- “uma carga terra”, Naamã passou a considerar a nação de Israel como terra santa e como ele não queria mais oferecer sacrifícios aos deuses pagãos, ele ofereceria sacrifícios ao Deus de Israel sobre terra retirada de Israel.

- “este teu servo”, “teu servo”, é uma expressão para indicar submissão a outro. Naamã estava reconhecendo a autoridade espiritual de Elizeu e declarando-lhe obediência.
- “cura da alma”, existem enfermidades da alma, como foi tratado nas lições do 2º trimestre de 2014 pela revista da editora Betel, algumas enfermidades permanecem com alguns crentes por não deixarem Deus trabalhar em seus corações totalmente. O orgulho é uma dessas enfermidades e foi tema de lição de 04 de maio desse ano. Se o(a) amado(a) professor(a) quiser dar uma conferida acesse:
http://marcosandreclubdateologia.blogspot.com.br/2014/04/escola-dominical-conteudo-da-licao-5_27.html

3.2. Um grande ministério não pode ser comprado
- “autenticada por Deus”, a autenticação é um procedimento que comprova a assinatura. Autenticar um documento é provar que a cópia da assinatura é fiel ao original. A atitude de Elizeu demonstrou que o milagre realmente veio de Deus.
- “sequer balançaram”, é uma metáfora para dizer que o profeta não fraquejou na sua determinação em não receber nada das mãos de Naamã. Notamos atualmente que algumas propostas balançam bem a determinação de muitos crentes, pregadores, cantores e pastores. Alguns afirmam que é de Deus e aceitam sem terem feito nenhuma consulta a Deus ou tendo feito não aguardam a resposta.
- “Eliseu era um homem conectado”, “conectado” é uma expressão moderna para afirmar que Elizeu estava ligado com Deus, em ligação com o coração do Pai.
- “misturando o santo com o profano”, entre muitas formas de representar essa mistura poderíamos dizer que seria, praticar os atos do Rei no de Deus e também praticar os atos profanos desse sistema mundano. Ex: Ocorre muitas vezes de irmãos que pregam santidade, mas aceitam suborno e usam meios ilícitos para conseguir algo, misturam o santo e o profano.



3.3. Deus cura quem ele quer
- “e nenhum deles foi purificado”, alguém pode até perguntar se isso não seria incorreto ou ilógico, Deus deixar de ajudar o Seu povo e ajudar um ímpio de outro país. Mas os milagres do Senhor pelas mãos de Elizeu seguem propósitos bem específicos.
- “sua conversão se tornou notória a todos”, além dessa finalidade apresentada aqui, podemos citar também que nesse milagre foi manifestada a ganância de Geazi, e Elizeu pode ver quem era aquele que andava do seu lado.
2 Reis 5.21,22.

CONCLUSÃO,
- “nos fazer enxergar apenas aquilo que nos convém”, é possível alguém ouvir uma pregação e adorar e outra pessoa ouvir a mesma pregação e detestar, conta muito a forma como a pessoa recebe a mensagem.
- “o milagre mais precioso de sua vida”, o milagre mais precioso para Naamã era o da sua cura, mas cada um tem uma necessidade vital, que muitas vezes não é a cura, mas pode ser a salvação de um filho ou do conjugue.

Boa aula!

Marcos André – Editor
Evaldo Barbosa - Colaborador

Um comentário:

  1. PONTO DE VISTA PESSOAL
    Embora tivesse sido ajudado pelo o próprio Deus para vencer a batalha, (porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios;
    2 Reis 5:1) ele não deu a gloria devida para Deus, antes tomou para si, diz os historiadores que por onde Naamã passava as pessoas se encurvavam e faziam reverencia, tipo: viva o grande Naamã! e na mente dos Sírios Naamã não havia vencido apenas o exercito de Israel, ele tinha vencido o próprio Deus de Israel, e com isso ele se sentia o grande, mas Deus que não dá a sua gloria para ninguém, convocou um exercito de bichinhos invisível a olhos nus, (bactérias cancerígenas) que derrotam o grande general.
    JORDÃO
    Me recordo que em mil novecentos e poucos, em que eu morava em São Paulo, era muito comum se ouvir dos aspirantes a pregador, quando pregavam sobre esta passagem bíblica, comparavam o rio Jordão com o rio Tietê, rsrsrs ou seja eles falavam que o Jordão era tão poluído como é o Tietê. Em nossos dias o Jordão já tem um nível de poluição, mas totalmente tolerável, é possível se banhar em suas águas sem danos alguns a saúde. O que tornava o Jordão diferente dos rios da Síria era a cor da água, Jordão significa o que desce, justamente devido o seu declive da nascente a foz, ele desce mais de novecentos metros, ele não desce em linha reta mas em curvas, que do alto parece uma grande serpente, isso faz com que a correnteza desbarranque as barreiras tornando suas águas turvas, mas não suja.
    O NUMERO SETE E O MISTICISMO RELIGIOSO
    Tomando por base o numero de vezes que Eliseu mandou Naamã mergulhar, alguns pastores acham que isso é via de regra, e que para as coisa darem certo tudo tem que está relacionado com o numero sete, sete sexta, sete madrugada, sete volta, sete tópico e por aí vai, mas nós bem sabemos que deus não está alienado a um dia a uma hora ou a numero, se Deus assim quisesse Naamã poderia apenas ter molhado os pés e ter sido curado. O que realmente Deus queria com este ato é o que a lição está ensinado: QUEBRAR O ORGULHO DE NAAMÃ.

    Forte abraço, irmão Evaldo em Catalão-GO.

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.