sábado, 21 de março de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 12 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2015 - LIÇÃO 12
(Revista: Central Gospel - nº 41)

Tema: OS FILHOS DOS TEUS FILHOS

Texto Áureo: Salmo 78.5,6
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição ensine os alunos a refletirem sobre as suas gerações.
- “primitiva promessa divina”, se refere a promessa feita no Éden, da vinda daquele que pisaria a cabeça da serpente.
_______________________________________________
1. TRÊS GERAÇÕES, UMA HISTÓRIA
- “aliança abraâmica”, é o pacto que Deus fez com Abraão com base na  promessa de fazer dele uma grande nação.

1.1.  Abraão o pai da fé
- “para viajar em condições precárias”, ele somente acreditou no que Deus havia prometido.

1.1.1. Uma promessa aparentemente tardia
- “e vários reveses”, se refere aos problemas que Abraão encontrou ao peregrinar na terra do Egito.
- “e Isaque aos 100 anos”, realmente aparentemente Deus tardou no cumprimento da promessa, mas Deus nunca falha e se Ele deu um filho com aquela idade de Abraão é porque era o tempo certo.

1.1.2. Uma prova de fé
- “fosse oferecido em holocausto”, holocausto é a oferta queimada.
- “predispôs-se a obedecer”, Abraão obedeceu a ordem porque ele acreditava que Deus era poderoso para resuscitar a Isaque Hb 11.18. Por isso ele é chamado de o pai da fé, pois foi o primeiro a desenvolver essa fé de acreditar nas coisas que se esperam. 

1.2. Isaque, filho de Abraão e pai de Jacó

1.2.1. Infância, circuncisão, desmame e separação
- “amamentada até...três anos de idade”, entre outros costumes esse é um dos motivos pelo qual os hebreus era um povo que crescia em número, a taxa de mortalidade infantil era baixa.
- “a expulsão de Ismael e Agar”, eles não teriam sido expulsos se Ismael estivesse mamando ainda.

1.2.2. Adolescência, experiência traumática
- “permitiu-se amarrar”, não há registro bíblico de que Isaque tenha questionado, a não ser na tradição registrada por Flavio Josefo que afirma que teria havido um diálogo entre Isaque e seu pai sobre o motivo daquilo.
- “permitiu-se amarrar”, uma tipologia para essa situação seria a de que Isaque representava as famílias da terra, devido a promessa Gn 12.3, e o cordeiro que foi sacrificado no lugar de Isaque representa o Senhor Jesus.

1.2.3. Juventude e idade adulta: orfandade, casamento e filhos
- “Rebeca, de quem se enamorou”, quer dizer que se apaixonou por Rebeca. Interessante que Isaque não adquiriu outra esposa, foi apenas Rebeca e o mais interessante é que ele não passou tribulação com sua esposa.

1.2.4. Fim dos dias
- “benção da primogenitura”, o primogênito era o principal herdeiro e o que detinha o sacerdócio da família, no caso da família de Abraão o primogênito herdava a promessa.

1.3. Jacó, pai da nação israelita
- “Jacó compra de Esaú”, essa vendo do direito da primogenitura não tinha qualquer valor legal, mas deixou bem claro o que Esaú pensava da primogenitura.
________________________________
2. A FÉ DOS NOSSOS PAIS E A NOSSA FÉ

2.1. A impotência das memórias
- “não se traduzirem em verdades pessoais”, as verdades pessoais são aquelas que podemos aplicar em nossas vidas pessoais. Aqui está afirmando que se só conhecermos os fatos sobre a vida de alguém e não extrairmos disso nenhuma lição para a nossa vida, então esse conhecimento não serviria para nada.

2.2. Fé na fé do outro pode tornar-nos cínicos
- ...

2.3. Fé na fé do outro pode produzir em nós uma síndrome de onipotência
- “sem precisar assumir as consequências”, muitos crentes na verdade, se comportam dessa forma, acreditam que as consequências de seus atos serão sempre amenizadas ou simplesmente não ocorrerão.

2.4. O dia em que as memórias dos pais transformam-se em verdades em nós
- “tornou-se o Deus de Israel”, até ali Jacó conhecia Deus pelas memórias que Isaque havia lhe contado, mas agora Jacó estava vendo a mão de Deus operando.
_________________________________
3. NOSSOS FILHO, FILHOS DE DEUS
- “os descendentes de Josué desviaram-se”, e Josué havia declarado que a casa dele serviria ao Senhor Js 24.15, isso mostra filho de crente nem sempre será crente.

3.1. Coerência: o valor da pós-modernidade
 - “em nenhum outro momento da história”, quer dizer que vivemos em um tempo que se fala muito, mas se pratica muito pouco. Há pouquíssimos exemplos de vida para se seguir.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “só ouvira falar a respeito”, Jacó não seria o portados da promessa, mas as atitudes de Esaú fizeram com que ele perdesse esse direito e o passasse para Jacó. Esaú não valorizava a promessa.

Boa aula!

Marcos André – professor

3 comentários:

  1. Muito obrigado. Esse blog salvou minha vida (risos). Emprestei minha revista para um amigo que precisava dar aula, mas um desencontro me impediu de pegá-la de volta, então encontrei aqui o conteúdo necessário para preparar minha aula de domingo pela manhã. Que Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal irmão Rodrigo, que bom que estamos trabalhando para ajudar a Escola Dominical, e essa lição eu preparei correndo, mas as próximas ficarão melhores. Obrigado pelo belo comentário.

      Paz.

      Excluir
  2. pastor marcelo gostei do comentario que deus continue te abençoando

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.