INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sexta-feira, 27 de março de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 13 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2015 - LIÇÃO 13
(Revista: Central Gospel - nº 41)

Tema: O IRMÃO DO FILHO FAVORITO

Texto Áureo: Provérbios 17.17
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição sugiro que você faça um pequeno resumo de todas as lições e apresente aos alunos.
- “O que esses personagens...têm em comum?”, aproveite esse pergunta e veja se seus alunos conseguem respondê-la. Uma resposta simples é que esses são nomes de irmãos.
- “contraponto oferecido pelo outro”, quer dizer que cada um desses irmãos foram exatamente o contrário do outro, ou fizeram o oposto do que o irmão fez.
_______________________________________________
1. FAVORITISMO OU IDENTIFICAÇÃO
- “replicação do comportamento”, replicar nesse caso pode ser produzir replica, ou seja, o indivíduo produz na sua vida adulta uma réplica de seu comportamento na infância.

1.1.  Existem filhos favoritos
- “não é favoritismo”, podemos definir o favoritismo como a expressão em atitudes da preferência de um pelo outro.
- “afinidade”, podemos definir afinidade como a identificação com alguém. Nesse caso o pai ou a mãe, se identifica com um dos filhos, isso não precisa ser expresso em palavras ou atitudes.
- O problema é que a afinidade, se não for controlada pelos pais, podem originar a preferência.

1.2. Os frutos do favoritismo.
- “atribuímos conotação adversa”, quer dizer que damos significados diferentes conforme a situação.
- “com contornos de anormalidade”, quer dizer que damos os significados mais anormais.
- “por meio de subterfúgios”, usando algo como desculpa para manifestar o ódio ou a hostilidade.
________________________________
2. O TEXTO BÍBLICO E A INVEJA ENTRE IRMÃOS
- “inconscientemente, comparou situações”, quer dizer que a pessoa que sente inveja, sem perceber faz uma comparação, na qual julga estar em desvantagem. Essa é a premissa básica.

2.1. Esaú e Jacó
- “amava Esaú porque era caçador”, é uma preferência que se originou da afinidade que Isaque tinha por Esaú.
- “situação inopinada e dúbia”, situação inopinada, quer dizer que foi de surpresa, e dúbia significa duvidosa.

2.2. Os irmãos de José
- “José tinha sonhos”, lembrando que os sonhos foram dados por Deus. Logo foi um situação que estava no controle de Deus.
- “os onze chegaram a pensar em matá-lo”, menos Rúben, que teve a ideia de jogá-lo numa cova. Gn 37.22 e depois Judá que teve a ideia de vendê-lo aos ismaelitas Gn 37.26,27.

2.3. O favor divino e o coração humano
- “um dos genitores”, genitores são os pais.
- “perpassam a necessidade...de sentir-se especial”, perpassar significa passar pelo, ou passar por. Quer dizer que quase todas as invejas passam por essa necessidade.
- “preteridos por Deus”, preterido significa rejeitado, como é o caso de Caim e Abel, e também Moisés, Arão e Miriã.

2.3.1. Caim e Abel
- “mas rejeitou o de Caim”, um fato normal, qual quer pai pode se agradar de algo que um faz e não se agradar de outro. Isso mostra que algumas situações fogem ao controle dos pais. Infelizmente temos a tendência sempre a condenar os pais, mas nem sempre os pais são os culpados.

2.3.2. Moisés, Arão e Miriã
- “tomado para si uma mulher cuxita”, Cuxe era a Etiópia, essa mulher cuxita tinha a pele da cor negra, aquele foi o segundo casamento de Moisés.
- “inveja do relacionamento”, observamos que a inveja surge não só por causa do relacionamento com os pais, mas também com os relacionamentos com Deus. Muitos crentes são alvos de inveja devido ao relacionamento com Deus, por serem usados na palavra e no louvor. Assim como os fariseus invejavam Jesus, muitos irmãos são invejados.

2.3.3. Maria e Marta
- “uma só é necessária”, Jesus não estava se importando se teria ou não comida, Ele não estava preocupado com a casa limpa. Só havia uma coisa necessária ali, ouvir as palavras de Deus.
- “não lhe será tirada”, asa coisas materiais, com as quais Marta estava preocupada, eram passageiras e poderiam ser perdidas. Mas a bênçãos espirituais advindas da palavra de Deus, não poderiam ser tiradas.
_________________________________
3. CARTA AOS PAIS

3.1. Não transfira para seus filhos seus anseios e aspirações
- “ela pediu que o jovem fosse ao rebanho”, a mãe de Jacó alimentou um clima de disputa entre os filhos.
- “um preço altíssimo pela predileção”, Rebeca trabalhou para que seu lar fosse dividido, ela não agiu para unir os filhos. Muitas brigas entre irmãos podem ser amenizadas pelos pais. Mas para que isso aconteça, é necessário deixar de lado a preferência por um dos filhos. O irmão percebe quando as decisões são favoráveis ao outro.  
______________________________________
CONCLUSÃO
- “somente por meio da Cruz”, ao que parece Jesus quer que entendamos que a família só é plena em torno da cruz.
- “e que se dão pelo outro”, Jesus não partiu sem deixar Maria com uma família, Cristo se preocupa que nos tratemos como família. A família de Cristo é o Pai e todos os servos do Senhor. Mt 12.48-50
- Ore com os alunos pelo fim do trimestre e convide-os para o próximo.

Boa aula!

Marcos André – professor

2 comentários:

  1. obrigada professor por nos abençoar com estes esboços !!!!!!. irmã nice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmã, estou trabalhando para que os esboços sejam cheio de qualidades para os nossos professores da EBD, espero que esteja sendo útil para todos vocês.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.