sábado, 25 de abril de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 4 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2015 - LIÇÃO 4
(Revista: Central Gospel - nº 42)

Tema: UMA HISTÓRIA DE AMOR EM BELÉM

Texto Áureo: Juízes 21.25
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição apresente a misericórdia de Deus nessa história, expressada pela tipologia dos personagens e pelas leis em favor das viúvas e órfãos.
- “dias em que os juízes julgavam sobre Israel”, logo depois que Josué faleceu nenhum líder se levantou e o Senhor ungia homens para liderar o povo nos momentos em que eles clamavam e se concertavam com Deus.
- “densa degradação moral e espiritual”, isso é representado pelo texto que afirma que cada um fazia aquilo que parecia correto a seus olhos. Jz 21.25
- “em razão de sua fé”, devido a essa fé semelhante a fé de Abraão, foi que Rute recebeu a grande benção de fazer parte da descendência que traria o Filho de Deus ao mundo. Mt 1.5
_______________________________________________
1. INRODUÇÃO AO LIVRO DE RUTE
- “Malom (hb. doente) e Quiliom (hb. definhando)”, provavelmente esses nomes foram colocados no período da fome em Belém, devido ao costume de os judeus usarem os nomes de acordo com a situação.
- “seus filhos tomaram para si mulheres moabitas”, essa era uma transgressão da Lei, isso mostra que a falta de fé Elimeleque acarretou que a sua casa inteira transgredisse a Lei de Deus.

1.1.  Morte e separação
- “deixando três viúvas desamparadas”, naquela época não havia programas sociais de apoio às viúvas e órfãos. Elas só poderiam contar com a boa vontade de homens, mas havia uma chance caso elas fossem para Israel, pois a Lei de Moisés ordenava a ajuda dos ricos aos pobres e miseráveis.

1.2.  A dor de uma viúva
- “pediu para não mais ser chamada de Noemi”, o judeu poderia manter seu nome original na família e ser chamado por um novo nome, a fim de expressar sua situação. No nosso país isso é proibido.
________________________________                 
2. RUTE, UMA TIPIFICAÇÃO GENTIA
- “convencer Rute a voltar para Moabe”, Rute era jovem e bonita poderia casar-se de novo e assim seguir a sua vida.

2.1. Rute, a moabita
- “incesto cometido por Ló”, esse incesto partiu das filhas de Ló, para evitar que a sua casa se acabasse por não ter ele descendente homem.

2.2. Uma confissão de fé e amor
- “evidencia tanto a realidade de sua fé”, a fé de Rute era semelhante a de Abraão por ter acreditado em Deus sem está vendo Ele. Rute deu atenção e acreditou nas histórias dos feitos de Deus que ouviu na casa de Noemi.
_________________________________
3. BOAZ, UM HOMEM COMPASSIVO
- “uma esperança de resgate”, de acordo com a lei do resgate se águem perdesse sua terra, e essa pessoa tivesse um parente com condições de reaver a terra, o comprados deveria revender para a família de volta. Isso para evitar que as gerações futuras das famílias que receberam a herança ficassem sem a terra.

3.1. A Lei da respiga
- “o direito legal de apanhar espigas”, essa lei mandava que os donos das propriedades que produziam alimentos não colherem todas as espigas ou frutos da lavoura para que o pobre e os órfãos possam colher também. Dt 24.19-21
Só em Israel havia esse tipo de Lei.

3.2. A Lei do Levirato
- “preservar a memória de determinado clã”, o clã era composto de uma família e outras famílias menores que advinham dessa.
- “a Lei do Levirato”, de acordo com essa Lei se um homem morresse sem filhos homem, o seu irmão ou parente deveria tomar a viúva por mulher e gerar descendência em nome do irmão. Dt 25.5,6

4. O PLANO DE NOEMI
- “Noemi. Então planejou como Rute”, nada como alguém experiente e com conhecimento da Lei do Senhor para orientar os mais novos a agirem.
- “o pedido de ele estender sobre ela a sua capa”, essa tradição representava a proteção do homem sobre a mulher, tomando-a por esposa.

4.1. O parente remidor
- “um parente ainda mais próximo”, Boaz não queria fazer nada fora da lei.
- A Lei da remissão dava o direito de retorno da terra que foi vendida, caso algum parente próximo pudesse comprar de volta. Está expressa em Lv 25.25.

4.2. O casamento
...

4.3. Tipologia bíblica
- Dentro dessa tipologia apresentada o elemento que possibilita a existência dos outros elementos da tipologia é o casamento. O casamento de Rute com Boaz proporcionou que essa tipologia tivesse sentido. Esse casamento é também uma tipologia do casamento de Cristo com a Igreja (gentios).
______________________________________
CONCLUSÃO
- “YHWH”, tetragrama sagrado que significa o nome de Deus.
- “protegia Seu povo em detrimento de todos”, os judeus acreditavam que Deus não se importava com os demais povos, mas o caso de Raabe e de Rute mostraram que Deus usa a todos.
- “contrasta com as disputas”, e mostra a misericórdia de Deus em relação ao ser humano.

Boa aula!


Marcos André – professor

2 comentários:

  1. obrigada pastor marcos por mais este esboço que DEUS te abençoe mais e mais. irmã nice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada vaso, obrigado você por apreciar essa obra, paz de Cristo.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.