INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

segunda-feira, 24 de abril de 2017

ESCOLA DOMINICAL BETEL - Conteúdo da Lição 5 - Revista Betel


Atributos indispensáveis de um profeta
30 de abril de 2017


Texto Áureo
“Não tomarás para ti mulher, nem terás filhos nem filhas neste lugar”. Jr 16.2


Verdade Aplicada

O cerco de Jerusalém causou uma carnificina, eliminando famílias inteiras. Jeremias foi poupado da dor de perder a esposa e os filhos.

Textos de Referência.


Jeremias 16.3, 5, 8, 14
2 Não tomarás para ti mulher, nem terás filhos nem filhas neste lugar.
5 Porque assim diz o Senhor: Não entres na casa do luto, nem vás a lamentar, nem te compadeças deles; porque deste povo, diz o Senhor, retirei a minha paz, benignidade e misericórdia.
8 Nem entres na casa do banquete, para te assentares com eles a comer e a beber.
14 Portanto, eis que dias vêm, diz o Senhor, em que nunca mais se dirá: Vive o Senhor, que fez subir os filhos de Israel da terra do Egito.

Introdução

Nesta lição, veremos que o profeta Jeremias só teve uma opção: falar a verdade! Seja qual for a palavra pronunciada por Deus, ela jamais cairá por terra e se cumprirá fielmente (Nm 23.19).

1. Coragem atributo indispensável.

Jeremias foi preso covardemente após se recusar a profetizar o que o Senhor não lhe havia mandado. Após ser solto pelo rei, e posto em uma cisterna, onde não havia água, senão lama e Jeremias se atolou na lama (Jr 38.6). Para cumprir bem a missão transmitida por Deus, é necessário passar alguns sofrimentos e aflições.

1.1. Vai e fale aos ouvidos de Jerusalém.

As ordens de Deus, num primeiro momento, parecem descabidas de amor ao povo de Judá. No entanto, se formos observar cada juízo que Deus transmitiu a Jeremias, percebemos que tinham como objetivo fazer com que o povo obedecesse e voltasse seu coração a Ele. Deus é justo e o povo sofreu as consequências dos seus atos. A rebeldia, ingratidão e autossuficiência do povo levou-o a passos largos para a destruição. Jeremias não teve prazer nestas mensagens. Ele é conhecido como o profeta que chorava, pois sofria profundamente ao ver a angústia do povo, mesmo sabendo que o castigo era merecido. Obedecer a Deus é a melhor coisa que podemos fazer na nossa vida. Somente um profeta obediente à vontade de Deus, em meio à intensidade de tamanha desgraça, poderia anunciar a salvação e graça no juízo divino (Jr 29.4, 7).

1.2. Uma genuína submissão.

As narrativas históricas indicam que jeremias foi submisso à vontade de Deus em tudo. O Senhor deu algumas ordens árduas ao profeta, como: não casar (Jr 16.1-4); não entrar em funeral (Jr 16,5, 7); não entrar em numa festa (Jr 16.8-9); pregar no portão da cidade (Jr 17.19, 21); ir a casa de um oleiro para vê-lo trabalhando (Jr 18.1, 6); comprar uma botija e fazer uma representação (Jr 19.1, 3). Jeremias sabia que para se ter comunhão autêntica com Deus ele precisaria se submeter à Sua vontade. O aspecto importante que aprendemos com o profeta é que quando seguimos a Deus os resultados são duradouros e eficazes.

1.3. Assumindo a responsabilidade.

Jamais desista de sua chamada. Jeremias em certo momento pensou em gerenciar uma pousada no deserto em vez de cumprir sua chamada (Jr 9.2). Jeremias havia se esquecido que o Senhor o separou para ser um valioso profeta perante as nações. Entretanto, Deus explicou a Jeremias o que Ele queria que fosse feito: “Assim diz o Senhor: Põe-te no átrio da casa do Senhor, e dize a todas as cidades de Judá, que vêm adorar na casa do Senhor, todas as palavras que te mandei que lhes dissesses; não te esqueças nem uma palavra”. (Jr 26.2).

2. Uma única missão: falar a verdade.

Quando o Senhor escolheu a Jeremias, era para que ele alertasse aos que estavam em pecados a abandonarem e se converterem ao Senhor de todo o coração, que deixassem de ser apenas religiosos. Esta é a verdadeira missão de um profeta: falar a verdade (Jr 26.3).

2.1. Abandonado pelos próprios amigos.

Nos dias de hoje, assim como nos dias de Jeremias, existe uma geração cruel, que não sabe ouvir a voz do Senhor. Os profetas são alvos de escárnio por confrontarem a mentira com a verdade. Os negócios pessoais estão acima da fé cristã, Jeremias foi desprezado pelos amigos (Jr 20.10. Jeremias era um homem solitário e abandonado, mas isso não impediu que o seu ministério tivesse êxito. Ele foi um dos mais ousados e destemidos profetas do Antigo Testamento.

2.2. Como Jeremias levava a vida.

Querendo ou não, um homem como Jeremias incomodava muita gente. A atitude de muitos era dar risadas do profeta (Jr 20.7). Outros o perseguiam (Jr 11.21; 18.18). Outros, ainda o amaldiçoaram (Jr 15.10). Por causa da sua missão, ele não casou, não ia a festas e nem a velórios (Jr 16.5, 7-8). Ele realizou várias ações simbólicas, como: comprar um cinto e escondê-lo até apodrecer (Jr 13.1, 11); comprar um pote e quebrá-lo logo em seguida (Jr 19.1, 15). Andar com uma canga nas costas pelas ruas de Jerusalém (Jr 27.2; 28.10, 14). Vivia como um estranho (Jr 23.9).

2.3. Contaminados pelo adultério.

A imaginação do povo de Judá estava pautada em adultérios generalizados. A fantasia sexual afastava o reino de Judá do Senhor com seus pensamentos lascivos (Jr 5.7-8; 13.27; 23.10, 14; 29.23). Com estas práticas, o caminho da destruição era questão de dias, haja vista que a miséria espiritual estava intensa neste momento. Judá descia cada vez mais a ladeira da perversão, esquecendo-se do Senhor, buscando um prazer desenfreado no sexo, que os afastava do verdadeiro Deus. Jeremias, ao pregar contra esta prática insana, foi rejeitado por todo o povo, que preferiu continuar em suas desordens espirituais.

3. Assumindo riscos.

Jeremias foi um profeta admirável, prova disso foi que Deus notou nele alguém que seria leal à Sua missão (Jr 1.7-8). Por quarenta anos, Jeremias teve a responsabilidade de profetizar como porta-voz do Senhor. Em um tempo de idolatria, impureza e luxuria sem comparação, o profeta deveria servir de exemplo na vida e no caráter, adorando ao verdadeiro Deus de Israel.

3.1. Deus está no controle.

Quando os sacerdotes, profetas e a população ouviram a mensagem a respeito da ruina do templo e a destruição de Jerusalém, eles ficaram furiosos e levaram o profeta na presença dos príncipes para ser morto (Jr 26.8). Jeremias repetiu novamente suas palavras aos príncipes (Jr 26.12-14), que não viram mal algum nelas (Jr 26.16). O Senhor quer apenas que confiemos nEle e o mais Ele fará. Ele sempre envia alguém para nos socorrer. Não duvidemos. Creiamos somente Êx 23.20).

3.2. O valor de um sábio conselho.

Jeremias em meio ao abandono de todos, continua a falar com firmeza que toda aquela destruição era culpa do próprio povo de Judá e de seus líderes, que deveriam admitir suas responsabilidades pelos seus pecados. Assim como o reino do Norte que havia sido derrotado pelos assírios em 722 a.C., o povo de Judá sofreria uma derrota esmagadora, se tentasse afrontar a Babilônia. Neste momento Jeremias aconselha a se render a esta potência para não sofrer um dano maior (Jr 27.11-12). O povo, obstinado por seus pecados, não ouviu seus conselhos. A situação da liderança era tão grave que Deus disse que nenhum dos filhos diretos de Joaquim, rei de Judá, se assentaria no trono de Davi (Jr 22.30).

3.3. A destruição de Judá era uma questão de tempo.

Jeremias faz uma análise da realidade, criticando em sua totalidade o povo por seus pecados (Jr 9.14; 17.19; 27; 22.1). Jeremias enumera uma série de atos cometidos pelo povo de Judá: desonestidade, assassinatos, injustiças com os pobres, transgressão do sábado, perseguições aos verdadeiros profetas, etc. Pecados deste tipo eram vistos com bons olhos pela população da época, mas decididamente não eram normais aos olhos do Senhor. Se eles pudessem antevir o que estava para acontece, as coisas seriam diferentes. A destruição deste povo para Deus era uma questão de tempo.

Conclusão.

A mensagem do profeta Jeremias é impregnada de palavras árduas ao povo de Judá. Percebemos ainda que suas pregações foram rejeitadas por um povo rebelde, que insistiu em caminhar para o castigo divino: a destruição pelas mãos dos babilônios.

Questionário.


1. O que tinha na cisterna que Jeremias foi lançado?

2. Cite duas ordens árduas que o Senhor deu a Jeremias?


3. Qual é a verdadeira missão de um profeta?


4. Cite uma ação simbólica realizada por Jeremias?


5. Qual a nação que Jeremias aconselhou que Judá tinha que se render para não sofrer um dano maior?


SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!  

4 comentários:

  1. Uso toda semana e recomendo,o esboço?é uma sua completa!!!Deus o abençoe Pastor 🙏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz irmã Ana Paula, obrigado pelo carinho, Deus abençoe a sua vida, estamos trabalhando e o Senhor tem nos honrado nessa luta.

      Pr Marcos André - Editor
      21 969786830

      Excluir
  2. Muito obrigada pelos esboços, nos ajuda bastante. Que Deus o abençõe grandemente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmã, eu é que agradeço o apoio.
      E peço perdão pelos atrasos nas postagens.

      Pr Marcos André - Editor

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.