segunda-feira, 24 de setembro de 2018

ESCOLA DOMINICAL CENTRAL GOSPEL - Conteúdo da Lição 1


O Cristão e os Valores Eternos
___/___/____

Líções Bíblicas nº 56

TEXTO BÍBLICO BÁSICO

2 Coríntios 13.1-81 - É esta a terceira vez que vou ter convosco. Por boca de duas ou três testemunhas, será confirmada toda palavra.
2 - Já anteriormente o disse e segunda vez o digo, como quando estava presente; mas agora, estando ausente, o digo aos que antes pecaram e a todos os mais que, se outra vez for, não lhes perdoarei,
3 - visto que buscais uma prova de Cristo que fala em mim, o qual não é fraco para convosco; antes, é poderoso entre vós.
4 - Porque, ainda que tenha sido crucificado por fraqueza, vive, contudo, pelo poder de Deus. Porque nós também somos fracos nele, mas viveremos com ele pelo poder de Deus em vós.
5 - Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis, quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.
6 - Mas espero que entendereis que nós não somos reprovados.
7 - Ora, eu rogo a Deus que não façais mal algum, não para que sejamos achados aprovados, mas para que vós façais o bem, embora nós sejamos como reprovados.
8 - Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade.
TEXTO ÁUREO
"Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver.", 1 Pedro 1.14,15

ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS
A sociedade brasileira, assim como a do mundo inteiro, está vivendo uma profunda crise de valores. Os ensinos indispensáveis à boa convivência, às vezes, são ignorados, outras vezes, invertidos. A civilização judaico-cristã, da qual nós, brasileiros, fazemos parte, tem passado por momentos muito difíceis relacionados aos valores que regem as atitudes e comportamentos nas mais variadas esferas. É importante mostrar aos alunos os valores bíblicos inegociáveis e a importância de eles viverem suas vidas de acordo com esses valores. Certamente, isto ajudará na construção de uma sociedade melhor e mais justa.
É preciso enfatizar aos alunos o fato de que o cristão deve ser sal e luz neste mundo. Sua influência pode, pelo peso do seu testemunho — baseado nos valores que a Bíblia apresenta —, produzir grande impacto na sociedade.
Excelente aula!

Palavra introdutória
As pessoas, em geral, declaram ter muitas verdades. Há aquelas, inclusive, que relativizam, invertem, ou, simplesmente, não creem em verdade alguma. Em que valores você acredita? Em sua opinião, existem valores que vão além das questões culturais, geográficas ou históricas?
Na verdade, a Bíblia, às vezes, traz valores que se limitam ao tempo e ao espaço dos seus primeiros destinatários. No entanto, ela também possui uma escala de preceitos e valores que transcendem às questões temporais.

Além de ser o livro da revelação de Deus à humanidade, a Bíblia é, também, um manual normativo de preceitos éticos para o comportamento do ente humano. Ela dá orientações sobre o que é recomendável e justo diante das ponderações morais; sobre como proceder em comunidade, na família, no trabalho, na igreja, nos estudos etc.

1. A FORMAÇÃO DOS VALORES
O sistema de constituição de valores de uma pessoa tem início na infância. Nesta etapa, tudo se mostra mais vigoroso, em virtude da ausência de experiências prévias. Assim, os fatos são gravados mais fortemente na memória infantil.
__________________
Na família apreende-se os
primeiros valores, enquanto
a criança está crescendo
e se desenvolvendo,
principalmente nos anos
mais tenros. Os pais, com
mais intensidade,
e os irmãos mais velhos,
de modo secundário,
exercerão esta influência no
aprendizado e fixação dos
valores na criança.
___________________ 

1.1. Como são formados os primeiros valores
Depois da família, os educadorespassam a ter uma participação muito importante junto ao ser humano
na formação dos seus valores. Nesse caso, podem ser mencionados dois tipos de educadores: os professores na escola secular e os educadores na igreja.
Como as crianças passam mais tempo com os educadores seculares, é normal que a influência deles seja maior. No entanto, a Bíblia deixa uma orientação em Provérbios 22.6, afirmando a importância do ensino dos valores cristãos.
Não existem impedimentos para que alguém, por meio de novas experiências, mude alguns valores na vida. Todavia, as possibilidades de ocorrer na idade adulta são bem menores, porque seus valores já foram estabelecidos.

1.2. Formação dos valores bíblicos
Antes de receber a Cristo como Salvador, a pessoa pensa em fazer tudo que lhe faça feliz. Porém, depois do novo nascimento, o critério é avaliar se os valores utilizados agora honram a Deus.A formação dos valores cristãos deve ocorrer na família, primeiramente, e na igreja, pelo ensino da Palavra de Deus.
O testemunho de vida dos cristãos mais velhos, com valores sólidos de piedade e retidão, contribuirá de maneira decisiva no preparo moral e ético dos cristãos mais novos na fé.
O apóstolo Paulo afirmou que quem está em Cristo, nova criatura é (2 Co 5.17). Isso inclui, também, novos valores. Os valores bíblicos absolutos não se alteram.
Diante de uma divergência, os valores pessoais devem ser analisados de acordo com os valores bíblicos, prevalecendo os da Palavra de Deus, e o conflito será resolvido.
Paulo deixa uma instrução em 2 Timóteo 3.16,17, que nos fornece os alicerces para a edificação dos valores bíblicos.
1.3. Formação dos valores éticosE. M. Bório estabelece: “Ética […] é uma reflexão sistemática sobre o comportamento moral. Ela investiga, analisa e explica a moral de uma determinada sociedade”.
A palavra ética tem origem no grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa). Em outra definição, a ética é “um conjunto de princípios e de valores morais que orientam o comportamento do ser humano na sociedade”.
A palavra ética não está na Bíblia. Entretanto, para solucionar aspectos éticos, existe o bom senso e a sabedoria. A sabedoria é uma condição para que se acerte nas escolhas éticas. A sabedoria está disponível a todos que a desejarem, fato afirmado em Tiago 1.5. Os valores éticos são as normatizações, os princípios que devem nortear a vida. Desde a infância, na família, na escola e na igreja, os valores éticos são formados. Muitas vezes, o exemplo de vida de pessoas idôneas ajuda na edificação dos mais novos. Os princípios de igualdade, liberdade, solidariedade, justiça, responsabilidade, respeito, confiança e disciplina são exemplos de valores éticos.
2. VALORES MORAIS
“Os valores morais são a prática dos princípios éticos de uma sociedade”. (Mário Sérgio Cortella) Inicialmente, é preciso entender o que são valores morais.
Há uma definição que afirma: “Valores morais é o conjunto de regras aplicadas no cotidiano e usadas continuamente por cada cidadão. Essas regras orientam cada indivíduo, norteando as suas ações e os seus julgamentos sobre o que é moral ou imoral, certo ou errado, bom ou mau” (Fonte: https://www.significados.com.br).
Há uma enorme lista de valores morais que devem nortear o comportamento humano.
Seguem alguns abaixo.

2.1. ConsciênciaO termo consciência traz algumas conotações diferentes quando associado a outras palavras, criando determinadas expressões. No contexto deste estudo, será abordado o sentido de consciência moral.
No aspecto moral, como entender o significado de consciência? Uma definição de destaque é a de Charles Ryrie, um dos teólogos cristãos mais influentes do século 20: “A consciência é aquela voz interior que impele a pessoa de fazer o que ela considera correto”.
A Bíblia afirma que Deus colocou em cada ser humano uma consciência (lei) que o orienta (Rm 2.14,15). Esta lei o orienta sinalizando positiva ou negativamente diante de uma decisão ou de algo a ser feito.

A consciência necessita de treinamento; ela deve ser orientada pelas Escrituras e guiada pelo Espírito Santo. A consciência precisa ter como fundamento o modelo de Jesus, para que não seja motivada pelo mal (At 24.16).

2.2. IntegridadeA palavra integridade vem do latim integritate; o que é íntegro ou completo. Os termos honestidade, retidão, inteireza e probidade são sinônimos de integridade. Em uma perspectiva simbólica, a integridade pode ser definida como honradez ou dignidade, sendo a qualidade de alguém incorruptível.
Integridade é quando existe coerência entre o que uma pessoa diz, pensa e faz. A integridade é a estrutura sobre a qual são erigidos o caráter e uma existência à semelhança de
Cristo.
A Bíblia relata casos da integridade de servos de Deus. José foi íntegro no Egito ao recusar a mulher de Potifar e ser preso (Gn 39.7-20); o profeta Jeremias preferiu ir para a prisão a abrir mão da sua integridade (Jr 37—38); João Batista manteve-se íntegro diante de Herodes e foi morto (Mt 14.1-12); Daniel permaneceu íntegro em meio à pressão do palácio do imperador babilônico (Dn 6.1-24).
A integridade tem um custo. Para o cristão, ela não é opcional, mas, sim, um compromisso. O exemplo de integridade dos servos de Deus é inspirador — e também desafiador — para que seja seguido pelos cristãos.

2.3. PurezaA pureza moral é uma manifestação da consagração de vida (Lv 19.2b). O apóstolo Pedro expressou a
mesma ideia da santidade divina em 1 Pedro 1.14-16. Assim como Deus é santo e, por consequência, puro, a pureza deve ser uma característica do Seu povo.
O apóstolo Paulo disse a Timóteo que fosse modelo na pureza (1 Tm 4.12). Por intermédio de Paulo, Deus convoca cada cristão a ter pureza nos pensamentos (Fp 4.8).
Um coração puro deve dedicar-se ao Senhor, com a motivação adequada, deixando toda a semelhança com o mal. Não se deve cortejar o pecado: bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus (Mt 5.8).







_____________________
Pureza é o adjetivo do
que é puro — que está
isento de qualquer tipo de
mistura, sem contaminação
ou sem falhas morais. O
termo pureza, no grego,
é hagneia, e significa
castidade e pureza, tanto
de pensamento quanto
do corpo, impedindo as
compulsões sexuais. Mas
o conceito da palavra vai
além, alcançando o âmago
das intenções e razões.
 ____________________

3. VALORES ESPIRITUAIS
Diferentemente dos morais, os valores espirituais são aqueles que têm origem no Evangelho e foram mostrados e ensinados por Jesus Cristo durante o Seu ministério.

3.1. Amor
O principal valor do cristianismo é o amor. É a mais específica característica de um cristão e a base de todas as virtudes do cristianismo, pois diversas qualidades cristãs só funcionam se estiverem conectadas com o amor.
O amor é um dom de Deus, mas é impossível amar apenas com as energias humanas. Só por meio do Espírito Santo uma pessoa poderá amar sinceramente, como Paulo afirmou em Romanos 5.5.
O amor é a solução para as contendas, é o que age com eficácia, abrandando os corações e as palavras, esfriando os ânimos e perdoando o agressor. O amor suplanta os obstáculos sociais, culturais e vai além das barreiras raciais.
Jesus afirmou aos discípulos que eles seriam identificados como cristãos, a princípio, ao mostrarem que amavam uns aos outros (Jo 13.35). O amor do cristão deve ser sem condições
e interesses; esse amor também pode significar uma ação sacrificial em benefício de outros. Paulo orientou os cristãos de Roma sobre o amor (Rm 12.10).

3.2. Fé
A fé é um presente, um dom de Deus (Ef 2.8,9). Ninguém a merece, e ela não é alcançada por meio da vontade própria, mas é concedida a cada cristão pelo estudo das Escrituras e pela graça e misericórdia do Senhor.
O autor da Carta aos Hebreus afirma que se o cristão não tiver fé verdadeira, ele não agradará a Deus (Hb 11.6). A fé não é só o fundamento da salvação, mas, também, suprimento para a vida cristã, consagração, desenvolvimento e edificação (Hb 1.1).
_________________________
A fé cristã, que pode ser
chamada de fé bíblica,
é a convicção de uma
expectativa. À medida que
se aguarda, torna-se uma
certeza absoluta, alicerçada
na integridade de quem fez
a promessa. A fé é um dos
fundamentos do cristianismo.
_________________________
3.3. Humildade
A humildade é uma das mais difíceis virtudes cristãs. Humildade é ter uma concepção equilibrada de si, considerando que Deus é sempre digno de louvor (Rm 12.3). Humildade é, também, a característica de quem age com modéstia, entendendo os próprios limites, sem traços de orgulho.
A verdadeira humildade não é uma virtude criada pela filosofia humana, mas pela ação do Espírito na vida do cristão. A pessoa humilde não é arrogante; entretanto, isso não significa que não ame a si próprio. Na verdade, ele tem conhecimento de suas qualidades e louva a Deus por elas, sendo conhecedor de suas fraquezas, pedindo auxílio ao Senhor para corrigi-las.
C. S. Lewis declarou sobre a humildade: “O primeiro passo rumo à humildade é o reconhecimento do nosso orgulho”.
Depois que o seu orgulho é reconhecido e confessado a Deus, pode-se caminhar para a prática da humildade, ou seja, a arte da restrição e renúncia da vaidade e do excesso de estima.

Jesus mostrou humildade quando abriu mão de sua posição junto a Deus, tomando a forma de homem, sofrendo e morrendo por todos (Fp 2.8b).
Conclusão.
A ajuda do Altíssimo é de fundamental importância para a compreensão dos valores morais e espirituais. A prática deles por cada cristão torna-se um testemunho vivo e real do evangelho, que é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê (Rm 1.16).

ATIVIDADE PARA FIXAÇÃO

1. Quais são os valores espirituais descritos nesta lição?
R.: O amor, a fé e a humildade.
Fonte: Revista Lições da Palavra de Deus n° 55

Pr Marcos André - contatos palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.