sábado, 22 de abril de 2017

ESCOLA DOMINICAL BETEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 4



AULA EM 23 DE ABRIL DE 2017 – LIÇÃO 4
(Revista: Editora Betel)

Tema: Jeremias: suas crises e solidão

Texto Áureo: Jr 1.18
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição passe as lições de Deus para Jeremias e que possamos toma-las para nós e nossos alunos também.
- “ele corajosamente sustentou a sua fé”, com isso podemos aprender e ensinar que os servos de Deus que estão trabalhando em Sua obra também passam por crises, porém tem condições de se sustentarem nelas pela graça de Deus.  
__________________________________________
1. Vocação: um convite para servir
- “ainda bem jovem, para uma missão especial”, a semelhança dos jovens de hoje, naquela época Jeremias sentiu o peso da grande responsabilidade, precisamos ensinar e estimular os jovens de hoje a se esforçarem para assumir as grandes missões na obra de Deus.
- “os recursos necessários dos quais careceria para combater”, muitos jovens e adultos tem a dificuldade de saberem se terão condições e recursos para o chamado, mas é necessário a fé para saber que Deus não deixará de nos suprir.
- “negar-se a si mesmo”, negar-se a si mesmo é necessário, pois aquele que tem muito cuidado de si mesmo deixa de lado as coisas de Deus.
- “perdoar erros, aceitar opinião”, sem perdão não tem como prosseguir a caminhada e sem aceitar opinião reduz a possibilidade de realizar projetos. Às vezes Deus coloca pessoas para nos ajudarem com ideias.

1.1. O perigo de ser mal compreendido.
- “o manancial de águas vivas”, Deus está declarando que Ele é uma fonte de água viva e que se a pessoa o deixar ficará sedento dessa água.
- “cavaram cisternas, cisternas rotas”, tentaram se sustentar pela suas próprias condições e força, porém as cisternas eram rotas, quer dizer rompidas, quebradas, danificadas.
- “que Deus o havia blindado dos seus inimigos”, por isso ele teve coragem de falar daquela forma, pois naquela época quem profetizasse o que não agradasse as autoridades poderia até morrer.
- “deixe que Deus seja o seu defensor, não existe outro”, quando o crente tenta se defender pode acabar saindo da graça e perdendo a oportunidade de Deus o honrar.

1.2. Vivendo entre inimigos.
- “não queriam que seus pecados fossem revelados”, havia muitos falsos profetas falando o que eles queriam ouvir e apenas um falando a verdade, por isso eles se animaram a perseguir Jeremias.
- “apelam a medidas extremas para calar o mensageiro”, muitas vezes o conserto é doloroso e envolve a perda de algo, como o cargo ou posição. Por isso decidem que é melhor calar o profeta.
- “Ao líder não há muito o que fazer”, o jeito é continuar fazendo a obra que o Senhor colocou em suas mãos e se apegar mais ainda com Deus, pedindo Sua proteção e graça.

1.3. Amigos inimigos.
- “O próprio Jesus também sofreu este mal”, professor(a) admoeste os alunos a não abandonarem a obra de Deus por conta da rejeição dos que estão próximos, isso aconteceu com Jesus e acontecerá com todos nós.
- “Davi era rejeitado pelos próprios de sua casa”, há quem diga que Davi fosse bastardo, mas duvido muito disso, porém notamos que na hora da refeição familiar ele estava no campo com as ovelhas, isso parece ser a tarefa de alguém não era dispensável na mesa da família.
_____________________________________________
2. Jeremias lamenta sua condição
- “procuravam esconder suas fragilidades”, isso acontece até hoje com muitos líderes, que tentam a todo custo passar uma imagem de grandeza espiritual, mas na verdade são falhos como todos nós.
- “escreveu seu livro com a alma e o coração”, no livro do profeta notamos que ele coloca muito de si, de seus sentimentos e por isso é conhecido como o “profeta chorão”. Ele escreveu também o livro de Lamentações.

2.1. Pare de reclamar e comece a viver.
- “o Senhor havia deixado o caminho dos ímpios prosperarem”, também o levita Asafe teve problemas com isso Sl 73.2,3 e até hoje crentes se lamentam por verem os ímpios com prosperidade e muitas áreas.
- “estão firmadas na Palavra de Deus terão a força”, isso é alcançar a maturidade para resistir aos problemas e conseguir seguir a diante para o alvo, sem isso o servo irá para nessas dificuldades.
- “se fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com cavalos?”, é como se Deus dissesse para ele que tem corridas mais velozes para ele participar e por isso ele deveria se esforçar para correr de igual para igual com os homens a pé. Ou seja, Deus tinha coisas grandes para ele fazer no futuro, mas como seria possível se ele não conseguia fazer o pouco hoje.
- “que farás na enchente do Jordão?”, Deus estava dizendo que a tranquilidade estava deixando ele sem preparo para as adversidades.

2.2. Como evitar conflitos existenciais.
- “ser excluído de todo o contexto social”, isso porque ele passou a ser visto como o rebelde, sem ética e que fala mal dos líderes, isso era o que s pessoas pensava, porém na verdade, ele estava incomodando os líderes que tinham pecados ocultos.
- “como ilusório ribeiro e como águas inconstantes?”, esse argumento é de quem está prestes a se desiludir, com a dúvida de que Deus realmente estava ao seu lado ou não.
- “agora o chamou de riacho seco.”, esse desabafo não se constitui em uma blasfêmia contra Deus, sendo somente uma argumentação, o fato é que o Senhor falava com Jeremias como a um amigo e Deus concede a seus íntimos essas prerrogativas.

2.3. Uma questão de confiança.
- “nunca chamou alguém para ser um fracassado”, geralmente ficam fracassados os que não atendem ao chamado do Senhor e seguem suas vidas sem compromisso com Deus, passam a vida a se perguntar: e se eu tivesse atendido a voz do Senhor? E tivesse aceitado aquela incumbência?
- “será como a árvore plantada junto as águas”, está se falando de alguém que em tempos de crises estará firme, enquanto outros ao redor estarão caídos.
________________________________________
3. Vale a pena confiar em Deus.

3.1. O legado de Jeremias.
- “que se encaixe em uma vida de lealdade ao Senhor”, apesar de existirem outros, podemos dizer que o profeta Jeremias se parece com os crentes de nosso tempo, que anuncia a destruição e é rejeitado por isso. Hoje as pregações sobre vitória e prosperidade é que fazem sucesso.
- “Davi adulterou”, e mandou matar Urias.
- “sua trajetória marcada por chorar pelo povo”, não quer dizer que ele não pecou, porém não houve um erro grava como os outros para ser narrado.

3.2. Crescimento na mudança.
- “talvez fosse um pouco infantil, sem maldade”, o que é uma falha para alguém com tantos inimigos, não vemos isso em Paulo que agia com mais astúcia.
- “a razão porque apanhava e sofria”, ainda que fosse isso uma falha grave, devemos considerar que Deus sabia disso quando o chamou, logo, Ele estava disposto a usar Jeremias com suas falhas. Deus nos usa do jeito que somos.
- “não poderia confiar nos seus irmãos e na casa do seu pai”, é algo que todos os obreiros e servos de Jesus devem aprender, pois muitos dos que nos abraçam sentem ódio de nós. Devemos estar com eles, mas sempre estar preparados para a traição.
- “Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor.” (Jr 17.5).” cuidado com essa citação meu caro professor(a), pois esse versículo fala de confiança em si mesmo e o comentarista fala de confiar nos parentes e irmãos. Erro básico por parte do comentarista. Fique alerta para que nenhum aluno não te contradiga por conta de uma afirmação teológica incoerente.

3.3. Um profeta dependente de Deus.
- “espírito de inteira dependência ao Senhor.”, a palavra “espírito” aqui se refere a “ânimo”. Fala do ânimo dele em fazer a obra de Deus, estava em dependência ao Senhor.
- “a compra de um terreno de seu primo em Jerusalém”, Deus mandou ele comprar para que pudesse profetizar algo com aquela atitude. A ideia era mostrar que o Senhor restauraria a Israel a terra da promessa.
- “Jeremias demonstra sua absoluta confiança em Deus”, as terras que seu primo interesseiro veio vender estava ocupada pelos inimigos, ninguém compraria, mas o Senhor mandou ele comprar e pagar o valor normal.
Naquela época os profetas pregavam com as próprias atitudes.

CONCLUSÃO
- “Depois vinha o árduo compromisso de anunciar”, mas ele só conseguia cumprir sua tarefa de anunciar, porque tinha investido no seu relacionamento com o Senhor, por isso devemos sempre estar em intimidade com Deus para termos forças a cumprir nossa chamada.
- “não o tornava muito popular entre o povo”, Jeremias só foi reconhecido por todos como profeta de Deus, durante e depois do cativeiro. Quem quer sucesso não serve para a chamada do Senhor.
- Faça o resumo para a revisão e corrija o questionário.

QUESTIONÁRIO
                  
1. Segundo o apóstolo Paulo, como deve agir um servo de Deus?
R: Deve negar-se a si mesmo, perdoar erros, aceitar opinião e ser visionário (Rm 15.1, 6).

2. Como se chamava a cidade natal de Jeremias?
R: Anatote (Jr 11.21).

3. O que a fidelidade a Deus muitas vezes gera?
R: Perseguição e morte (2Tm 3.12).

4. O fato de estar sempre sozinho fez com que Jeremias se voltasse contra quem?
R: O Senhor (Jr 15.18).

5. De quem Jeremias comprou um terreno em Jerusalém?
R: Do seu primo (Jr 32.9).

Marcos André – professor
Contatos palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

AVISO - AJUDEM O CLUBE DA TEOLOGIA A CONSEGUIR RECURSOS

ESTES SÃO OS SUBSÍDIOS POSTADOS ATÉ O MOMENTO,  ESTOU TRABALHANDO NO DA BETEL: 

LIÇÃO 4  CPAD CENTRAL GOSPEL 3º BETEL

AMADOS SÓ PEÇO MAIS UMA VEZ, QUE OS IRMÃOS CLIQUEM NESSAS PROPAGANDAS, COMO ESSA AÍ ABAIXO! É muito importante, pois o CLUBE DA TEOLOGIA não possui nenhuma outra forma de renda, CONTAMOS CONTIGO!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

ESCOLA DOMINICAL CENTRAL GOSPEL ESBOÇO - Subsídio a Lição 4


AULA EM___DE______DE 2017 – LIÇÃO 4
(Revista: Central Gospel - nº 50)

Tema: A IMPORTÂNCIA DO OLHAR

Texto Áureo: Lc 11.36
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição tente usar esse estudo sobre o olhar para falar no contexto familiar, evite sair do foco de família.
- “o poder transformador do olhar”, os especialistas afirmam ser possível identificar quando uma pessoa fala a mentira ou a verdade através dos gestos e do olhar.
- “palavras revolucionárias de Jesus”, Jesus falou com séculos de antecedência o que os psicólogos descobririam mais tarde que o olhar pode revelar aspectos das intenções humanas.
- “candeia do corpo”, a candeia é uma peça usada para iluminar a base de óleo, quando Jesus fez essa afirmação Ele disse que os olhos são os que iluminam o corpo.
_______________________________________________
1. QUAL A IMPORTÂNCIA DO OLHAR NA VIDA?

1.1. O olhar aponta o foco do nosso presente
- “O que você quer da vida”, está se afirmando aqui que o olhar pode descrever como nós estamos no momento, ou seja, o foco do nosso presente.
- “As respostas...estão no nosso olhar”, quer dizer que é possível identificar essas coisas sobre a pessoa observando o olhar da pessoa.

1.2. O olhar direciona o nosso futuro
- “projetar de modo coerente”, ninguém pode afirmar exatamente onde estará daqui a um ano, mas pode projetar a atividade que estará desempenhando. Alguns projetam uma faculdade, outros um ministério, ou uma casa nova, etc.
- “reciclando lágrimas”, significa chorar por coisas que já chorou antes, ficar se lamentando repetidamente.
- “planos realizáveis”, são planos possíveis de serem realizados, diferente dos planos utópicos, não se deve projetar montar uma grande empresa se no momento não temos nada, esse é um projeto para uns dez anos, é interessante fazer planos para curto, médio e longo prazo.
- “de fazer seus filhos servos de Deus”, com um projeto desse a pessoa já pode visualizar daqui a cinco anos um lar na presença do Senhor.

1.3. O olhar revela as verdades da nossa alma
- “Luiz Cuschnir”, escritor brasileiro renomado, mora em São Paulo.
- “brotam as empatias”, é onde as pessoas começam a analisar a situação das outras e se identificar com os problemas dos outros.
- “conectam suas almas”, as paixões, os namoros e até casamentos se originam de olhares é onde começa tudo.
- “nos olhos de seus filhos”, quando um filho fala a mentira através dos olhos e dos gestos os pais podem facilmente identificar.

1.4. O olhar orienta os nossos relacionamentos
- “sonho de vida feliz”, isso é o que as pessoas buscam, mas na verdade a maior felicidade do ser humano será passar a eternidade com Deus.
- “imperativos moderno”, aquilo que parece ser regra, ordenanças impostas pela sociedade pós-moderna.
- “Você se sente incomodado”, a série de perguntas que o comentarista faz aqui serve para identificar a pessoa que está no imperativo da sociedade, querendo isolamento. O ser humano é sociável.
__________________________________________
2. OS OLHARES QUE AGRADAM A DEUS
- “exterioridades culturais”, se referindo a roupa, ou seja, não é a roupa que agrada ao Senhor, pois alguns no passado acreditavam nisso fervorosamente.
- “gratidão, que brota do nosso interior”, quando estamos gratos a Deus pelo que temos, passamos a ter atitudes alegres e alegramos o Senhor e o próximo.


2.1. Olhando para trás com gratidão
- “compunção pelo ter”, estamos no tempo do consumismo onde as pessoas medem as outras pelo que possuem e não pelo que são.
- “invadiu a mente evangélica”, atualmente há uma quantidade muito grande de crentes que buscam as bênçãos materiais em primeiro lugar.
- “está repleto de gente”, repletos de gente, mas apenas uns poucos adoradores.

2.1.1. Razões para agradecer
- “certeza da salvação em Cristo”, alguns crentes não valorizam essa salvação promovida pelo Senhor Jesus e por isso vivem reclamando da vida e de tudo. Basta que algo não saia de acordo com o previsto, que tudo vai por água a baixo.
- “mínimas coisas que dão sentido a nossa existência”, quase nada material e muitas coisas espirituais, devemos ser gratos a Deus por elas.
- “por seu marido, por seu filho”, somente aqueles que valorizam a família conseguem se sentir gratos a Deus pela vida do cônjuge e dos entes queridos.

2.2. Olhando para os lados com amor
- “Caim onde está teu irmão?”, representa Deus interessado em que cada um de conta de seus familiares, somos responsáveis uns pelos outros e o crente que se nega a isso é pior do que o ímpio 1 Tm 5.8 e passa a ser semelhante à Caim.
- “com amor para os que vivem ao seu lado”, esse tópico fala de um problema comum nas famílias, é o tratar mal os entes queridos ou não cuidar dele como se deve.
- “olhar para os lados”, entende-se então que é olhar para os que estão próximo, ou seja, o crente deve cuidar dos da sua família, pois ela o ajudará na hora das dificuldades. Estimule os alunos a não esperarem que um parente morra para que vá ao velório dizer as qualidades dele, deve-se fazer isso enquanto ele está vivo.

2.3. Olhando para dentro de si com arrependimento
- “olhar esquadrinhador”, esquadrinhar é medir com esquadro a fim de acertar, e olhar para dentro de nós é para verificar nossas falhas e nos corrigir.
- “mas acabo sendo”, esse é o mesmo Paulo que nos chama a sermos imitadores dele, por isso podemos dizer que apesare de sermos falhos, devemos fazer a obra de Deus e ir corrigindo as nossas falhas com a ajuda do Santo Espírito. Aquele que deixa de se esquadrinhar, aceita o erro e perde a salvação.

2.4. Olhando para cima com louvor
- “para que todos pudessem ver”, a ideia dos romanos era de que os executados servissem de exemplo, por isso colocavam em lugar alto e próximo às estradas.
- “quando olhamos para cima”, significa olhar para obra de Jesus, para o que ele fez por nós e considerar isso em nosso coração.
- “que há um Deus soberano”, todos os dias devemos nos lembrar disso, pois o ser humano se esquece rapidamente dessas verdades. Existem crentes que hoje estão nas nuvens por um milagre que Deus fez e que depois estão completamente desviados, só a graça.

2.5. Olhando para frente com esperança
- “se vê para além da dor”, quando alguém foca na vitória que está por vir, não sente a dor da luta d presente.
- “a esperança é o combustível”, a esperança é o que nos ajuda a se levantar, é a motivação para aqueles que alimentam uma perspectiva do futuro. Quando alguém se suicida é porque perdeu toda esperança de solução do problema.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “a cuidar do nosso olhar”, atualmente o inimigo tem tirado a visão de muitos crentes, não olham para o presente, ou para o futuro, nem para os lados, ou para o céu e nem para dentro de si, mas olham para os entretenimentos dessa vida e outros só olham para trás para se lamentar da desgraça de hoje, é hora de mudar.
- “olhe para trás e diga...”, brilhante conclusão, não deixe de fazê-la.
- Faça a revisão com a classe repassando os pontos mais importantes.
- Corrija o questionário.

Boa aula!

Marcos André – professor
Contatos palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!  

quinta-feira, 20 de abril de 2017

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 4


AULA EM 23 DE ABRIL DE 2017 – LIÇÃO 4
(Revista: CPAD - ADULTOS)

Tema: Isaque, um caráter pacífico

Texto Áureo: Gn 17.19
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição tente mostrar que para se demonstrar o caráter é preciso mais do que palavras.
- “caráter de uma pessoa é demonstrado por suas atitudes”, às vezes tentamos observar o caráter a partir do que as pessoas falam, porém são as atitudes que vão denunciar o caráter e para observar as atitudes é preciso observar de perto, conviver com a pessoa.
- “grande significado para a história do povo de Israel”, dos três patriarcas ele parece o mais tranquilo, com menos histórias ou com poucas lições para passar, porém ele é melhor exemplo de caráter, homem de uma mulher só e que buscou a paz com todos.
- “quando o anjo anunciou seu nascimento”, a reação foi de incredulidade, assim como a de Sara, veja:
“Então caiu Abraão sobre o seu rosto, e riu-se, e disse no seu coração: A um homem de cem anos há de nascer um filho? E dará à luz Sara da idade de noventa anos?” Gn 17.17
_______________________________________
I - ISAQUE, O FILHO DA PROMESSA

1. Promessa de Deus a Abrão. 
- “história que moldou sua personalidade e forjou o seu caráter”, o caráter e a personalidade vão sendo moldados com o tempo e as experiências, o verbo “forjar” significa fabricar na forjar com o fogo, assim foi moldado o caráter de Isaque no calor das provações.
- “fora de tempo”, na concepção dos homens”, porque seu pai era idoso e sua mãe também, mas para Deus ele estava no tempo certo. Deus estava trabalhando a fé de Abraão e por isso fazia algumas coisas impossíveis acontecer.
- “fez-lhe promessas gloriosas”, Abraão ficou um longo período de sua vida vivendo somente de promessas e algumas ele nem viu se cumprir.

2. Seu nascimento, um verdadeiro milagre
- “Abraão riu considerando coisa impossível”, algumas traduções da Bíblia afirmam que ele riu de dar gargalhadas, o que não parece comum a um homem como Abraão.
- “para um homem de 100 anos e uma mulher de 90”, naquele período a idade vital do homem do ser humano já havia sido reduzida por Deus, assim seria extremamente complicada uma gravidez para Sara naquela idade.
- “Por ter rido, o nome do menino seria Isaque, que significa “riso””, assim eles aprenderam a não ficar rindo quando o Senhor fizer uma promessa.
_________________________________
II - UM HOMEM ABENÇOADO POR DEUS

1. A prosperidade espiritual. 
- “para escapar da fome que ocorreu onde morava”, havia épocas de grande fome na região da palestina por conta da falta de chuva e perda das colheitas, por isso os povos eram nômades naquele período.
- “falou que não descesse ao Egito.”, não era o momento ainda de Deus enviar seu povo para o Egito, pois havia um projeto no coração de Deus com o neto de Isaque que se chamaria José.

2. A bênção divina é passada de pai para filho.
- “transferida para Isaque, não pela hereditariedade”, não por um processo genético e nem pelo costume humano de se passar ao primogênito as posses do pai, mas pela palavra de Deus e pela forma de se enxergar e se conduzir na presença do Senhor. Isaque recebe a benção pela palavra do Senhor que havia dito que seria o filho de Abraão e Sara que receberia a promessa, no entanto Jacó recebeu pela forma de se pensar e se conduzir, pois Esaú não se importava com as coisas de Deus.
- “demonstrado em sua conduta”, a conduta é a forma de se conduzir, atitudes que se toma, por isso havia dito antes que as nossas atitudes, isso é, nossa conduta denuncia nosso caráter.
- “E ele prosperou espiritualmente.”, melhor do que a prosperidade material que tantos crentes buscam hoje.

3. A prosperidade material.
- “cem medidas, porque o SENHOR o abençoava”, ele colhia bem numa terra que não produzia muito, sendo isso um prova da benção de Deus, por isso a comunidade em volta começaram a invejá-lo.
- “dá bênçãos espirituais e também materiais”, às vezes a benção material vem primeiro devido à emergência, porém normalmente o Senhor nos dá a benção espiritual primeiro.
- “a prosperidade material não é o objetivo da vida cristã”, porém algumas igrejas ensinam exatamente o contrário e encontramos crentes buscando a todo custo essa prosperidade, entregando o dízimo para barganhar com Deus e entrando em campanhas a fim de conseguir recompensas financeiras.
- “falsa “teologia da prosperidade””, essa teologia nem sequer existe do jeito como afirmam, pois o Senhor fala de prosperidade visando as necessidades humanas e não o acúmulo de bens.
___________________________________________
III - LIÇÕES DO CARÁTER DE ISAQUE

1. Um homem esforçado e trabalhador.
- “era tão grande que incomodava os filisteus”, isso ocorre até o dia de hoje, onde algumas pessoas se sentem incomodadas com as bênçãos em todas as áreas dos filhos de Deus.
- “desejando o mal aos servos de Deus”, desejando e praticando o mal contra os crentes, isso ocorre pela inveja que guia seus passos.
- ““Como amaldiçoarei o que Deus não amaldiçoa?”, pelo menos esse profeta mercenário identificou que seria inútil se esforçar para amaldiçoar o povo de Deus.

2. O caráter pacífico de Isaque.
- “Isaque não fez questão alguma”, não convém ao servo de Jesus responder a altura da ofensa dos ímpios, pois assim não será diferente deles e então eles começarão a acusa-lo de mal comportamento cristão.
- “Honrando o nome e a memória do seu pai”, mas parece que ele fez isso por necessidade mesmo e não por uma questão de honra.
- “chamou os poços com os mesmos nomes dados por Abraão”, isso é honrar, pois ele poderia dar novos nomes aos poços, mas não o fez pela memória de Abraão.

3. Um caráter resiliente.
- “Mais do que resistente, ele foi resiliente”, resiliente é ter a capacidade de voltar ao mesmo estado que estava antes da situação difícil.
- “Soube praticar a longanimidade”, soube praticar a paciência, esperando a hora de Deus abençoar sem partir para a contenda com ninguém.
- “e não porfiaram sobre ele”, se cansaram de arrumar briga, pois Isaque estava focado em se estabelecer na terra e por isso não tinha tempo para confusões.
- “fizeram um juramento de que seriam amistosos.”, ambos sabiam que tinham muito a perder com uma luta entre eles, dessa forma aprendemos que nem sempre é compensador partir para a luta pessoal, alguns crentes acreditam que a melhor forma de evangelizar os incrédulos é fazendo guerra com eles por suas idolatrias, mas quase sempre conversar é a melhor estratégia.
- “Daí, Berseba significar “juramento”, naquele período muitos lugares não possuíam nomes e no decorrer do livro de Gênesis vão sendo colocados os nomes conforme as ocasiões e fatos.

4. Obediência e submissão.
- “esses são os aspectos mais marcantes do caráter de Isaque.”, devemos ler acerca desses homens de Deus e aprender a agir como eles nas suas qualidades e se prevenir quanto a seus erros, para isso serve as Escrituras.
- “Isaque foi amarrado sobre o altar para o sacrifício, e não se rebelou”, notamos a obediência de Abraão à Deus e por isso Isaque aprendeu a ser obediente também, e a honrar seu pai e mãe.
- “E proveu um cordeiro para ser oferecido em seu lugar”, Isaque representava a benção de todas as famílias da terra, então Deus proveu um cordeiro para que fosse liberada a benção de todas as famílias da terra, dá uma pregação!!!rsrs
____________________________________
CONCLUSÃO
- “O seu nome se inclui entre os três patriarcas mais citados”, os que são obedientes e que possuem caráter santo, entram para o rol dos grandes servos de Deus e fica conhecido no céu, no inferno e na história.
- “nos espelhemos no caráter de Isaque”, o Evangelho tem sido marcado por escândalos e mais escândalos por conta do mau caráter de alguns que se dizem cristãos, precisamos ensinar o bom caráter.  
- Faça uma revisão da aula com os alunos.
- Não deixe de corrigir o questionário.

Respostas:
   
Qual o significado do nome Isaque?
“Aquele que ri”, “ele ri” ou “riso”.

Que promessa Deus fez a Abraão, quando ele tinha 75 anos de idade?
Que ele seria “uma grande nação” (Gn 12.2).

Quais os aspectos mais marcantes do caráter de Isaque?
Um homem trabalhador, humilde e obediente a Deus.

Por que a bênção dada a Abraão foi transferida para Isaque?
Por causa de sua fidelidade a Deus.

Cite algumas características do caráter de Isaque.
Obediente aos pais, temente a Deus e pacificador.

Pr Marcos André – professor
Contatos palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

AVISO - Sequência dos Esboços da Lição 4

POSTAREMOS OS ESBOÇOS NESSA SEMANA NA SEGUINTE ORDEM:

LIÇÃO 4  CPAD CENTRAL GOSPEL - 3º BETEL

SOLICITAMOS QUE O AMADO USUÁRIO CLIQUE NESSA PROPAGANDA ABAIXO! É importante, pois o CLUBE DA TEOLOGIA não possui nenhuma outra forma de renda. Enquanto isso estamos trabalhando aqui nos esboços!

quarta-feira, 19 de abril de 2017

ESCOLA DOMINICAL CPAD - Conteúdo da Lição 4 - Revista da CPAD - JOVENS


Jesus e sua interpretação da Lei
23 de Abril de 2017




TEXTO DO DIA
“Somente deveis portar-vos dignamente conforme o evangelho de Cristo [...]” Fp 1.27.

SÍNTESE
Jesus expôs o que havia de mais profundo na Lei, pois Ele conhece a finalidade de cada mandamento.

TEXTO BÍBLICO

Mateus 5.21-48.
21 — Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo.
22 — Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão será réu de juízo, e qualquer que chamar a seu irmão de raca será réu do Sinédrio; e qualquer que lhe chamar de louco será réu do fogo do inferno.
23 — Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti,
24 — deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta.
25 — Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão.
26 — Em verdade te digo que, de maneira nenhuma, sairás dali, enquanto não pagares o último ceitil.
27 — Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.
28 — Eu porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar já em seu coração cometeu adultério com ela.
29 — Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti, pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que todo o teu corpo seja lançado no inferno.
30 — E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que todo o teu corpo seja lançado no inferno.
31 — Também foi dito: Qualquer que deixar sua mulher, que lhe dê carta de desquite.
32 — Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério; e qualquer que casar com a repudiada comete adultério.
33 — Outrossim, ouvistes que foi dito aos antigos: Não perjurarás, mas cumprirás teus juramentos ao Senhor.
34 — Eu, porém, vos digo que, de maneira nenhuma, jureis nem pelo céu, porque é o trono de Deus,
35 — nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés, nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei,
36 — nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto.
37 — Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna.
38 — Ouvistes que foi dito: Olho por olho e dente por dente.
39 — Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;
40 — e ao que quiser pleitear contigo e tirar-te a vestimenta, larga-lhe também a capa;
41 — e, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.
42 — Dá a quem te pedir e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes.
43 — Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo.
44 — Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem,
45 — para que sejais filhos do Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos.
46 — Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?
47 — E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim?
48 — Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos céus.

INTRODUÇÃO
O Evangelho é superior a qualquer código de regras, pois o seu fundamento é a Boa Notícia de que, além de nos salvar, Deus, em Jesus, tornou-se modelo de ser humano para toda a humanidade (Mt 5.48). Esta é, basicamente, a próxima mensagem e lição do Sermão do Monte. Através de seis antíteses (teses contrárias, cf. vv.22,28,32,34,39,44), o Mestre demonstra que a observância mecânica dos mandamentos nada significa se o intento maior não for alcançado, ou seja, a transformação do caráter e da natureza, extirpando todo ódio, cobiça, desprezo, falsidade, vingança e egoísmo. Jesus mostra que a “justiça” dos escribas, doutores da Lei, estava muito aquém do real propósito da Lei, e também muito longe do que era esperado das pessoas que diziam crer em Deus como seu Pai (Mt 5.48).

I. NÃO ODIAR, COBIÇAR OU DESPREZAR

1. Mais que não matar, é preciso não odiar.
De acordo com a Lei, além de pecado, matar é crime passível de severa punição (Êx 20.13; 21.23-25; Lv 24.21; Dt 5.17). O Mestre, porém, toca no âmago do problema ao dizer que a raiva gratuita ou mesmo depreciações verbais, frutos do ódio, são condenáveis (v.22). Como o Templo ainda estava em atividade, Jesus diz que alguém que sabe que existe uma pessoa aborrecida por sua causa deve, antes de apresentar sua oferta ao sacerdote, procurar a pessoa em questão e reconciliar-se com ela, antes que seja tarde demais (vv.23.26 cf. Pv 18.19).

2. Não basta fugir do adultério, é preciso extirpar a cobiça.
Segundo a Lei, o adultério merecia uma punição exemplar e, por isso, os adúlteros recebiam a pena capital (Lv 20.10 cf. Êx 20.14; Dt 5.18). Jesus, contudo, ensina que não basta simplesmente não consumar o ato, antes, é preciso eliminá-lo em seu nascedouro, isto é, no “coração” ou na mente, onde tudo tem início (v.28). Uma vez mais, o Mestre lança mão de uma figura de linguagem para falar o quanto pode custar para nós libertar-se de desejos impuros. Todavia, é melhor livrar-se do prazer momentâneo, que experimentar a condenação eterna (vv.29,30).

3. Não é suficiente cumprir a legislação, antes é preciso não desprezar. 
Apesar de Jesus aludir a uma lei de Deuteronômio (24.1-4), que tinha como finalidade auxiliar a mulher para que ela não ficasse desassistida, sua reinterpretação é objetiva (v.32). O Mestre tem em conta a indissolubilidade do casamento, instituída pelo Criador no início de tudo, ponto que Ele tratou mais explicitamente por causa da insistência dos fariseus (Mt 19.1-9). Agindo dessa forma, não se preservava apenas o auxílio e o amparo necessários à mulher, mas resguardava igualmente o homem, posto que a separação deixa marcas dolorosas para ambas as partes.

Pense!
Você acha correto equiparar a intenção ao ato propriamente dito?

Ponto Importante
Antes que qualquer ato se materialize, ou venha se concretizar, invariavelmente, é precedido de elaboração mental, por isso Jesus trata do pecado nessa esfera e área.

II. NÃO JURAR, REVIDAR OU VINGAR-SE

1. Recuperando a credibilidade.
Conquanto jurar fosse prática comum (Lv 19.12; Nm 30.2), Jesus veda toda forma de juramento, quer apelando para Deus, quer utilizando qualquer outro recurso (o céu, a Terra, Jerusalém ou mesmo a própria pessoa; cf. vv.34-36). O Mestre ensina que a palavra deve ser sincera a ponto de corresponder à intenção. Somente assim, recuperando a credibilidade, é que quando alguém disser “sim” ou “não”, será aceito sem necessidade alguma de qualquer juramento. Para o Senhor Jesus, tudo o que passar disso é de “procedência maligna” (v.37).

2. Não somente rejeitar a “lei do talião”, mas não revidar e ainda fazer o bem.
No mundo antigo era conhecida a “lei de talião” que, surgida na Caldeia, servia para inibir os crimes, pois aplicava pena proporcional à violência. A Lei de Moisés continha regra similar (Êx 21.24; Lv 24.20; Dt 19.21), a qual Jesus faz menção (v.38). O Mestre, contudo, contrapõe a lógica da retribuição, pois a justiça na perspectiva do Reino nada tem com a justiça no aspecto das relações sociais, tal como convencionado pelos homens. É assim que, conforme Ele ensina, ao prejuízo e perseguição perpetrados por alguém, a resposta deve ser o amor que constrange (vv.39-41). De maneira semelhante deve-se agir com quem quer algo emprestado ou solicita mesmo um simples favor (v.42). Tal postura realmente transcendia qualquer significado que pudesse ter o conceito de justiça na legislação, tanto do mundo antigo, quanto no mundo de então e até nos dias atuais (Mt 5.20).

3. Não apenas os de “casa”, mas amar igualmente os de fora e até mesmo os “inimigos”. 
De acordo com Levítico 19.18, havia a obrigatoriedade de se amar o “próximo”. Entretanto, “próximo” ali referia-se exclusivamente aos judeus. Nesse sentido, a antítese de Jesus é profunda e sem precedentes, pois como o “amor” de Levítico poderia não ser mais que bairrismo ou corporativismo, o Mestre afirma que somente amando os inimigos, bendizendo quem maldiz, fazendo o bem aos que odeiam e orando por quem maltrata e persegue, é que alguém pode considerar-se filho de Deus (vv.44,45). Isso porque, em uma cultura que considerava até mesmo o nome como algo que deveria seguir a linhagem paterna, não combinava com alguém que se dizia filho, comportar-se de forma tão diversa do pai (Lc 1.59-63). Assim, Jesus coloca quatro questões reflexivas que os leva a não ter outra conclusão (vv.46,47).

Pense!
Em uma sociedade competitiva, é possível viver da forma apresentada por Jesus Cristo?

Ponto Importante
A interpretação do Mestre transcende a mera observação compulsória da regra, pois atinge o ponto central e a fonte dos pecados humanos — o nosso “eu”.

III. PERFEITOS COMO O PAI

1. A perfeição.
A maior dificuldade com o versículo final desse capítulo é o significado mais popular da palavra “perfeição” em nosso idioma: sem defeito algum. Tal ideia faz com que as pessoas, diante da inevitável realidade de que todos temos defeitos, sintam-se perplexas e desanimadas.

2. Perfeição na Lei.
É interessante notar que o Mestre propõe, na perspectiva do Reino, o mesmo que a Lei também visava (Dt 18.13). Isso significa que a intenção do Filho de Deus não apenas convergia com o grande objetivo da Lei, mas que era a mesma do Pai (cf. Jo 10.30).

3. Perfeitos como o Pai.
A perfeição pronunciada pelo Senhor refere-se a ser íntegro, inteiro e coerente, tal como Deus, o Pai, o é (2Tm 2.13; 2Pe 3.9). Não está em pauta uma exigência de que as criaturas assemelhem-se ao Criador de uma forma absoluta, o que seria, obviamente, impossível (Is 55.9). A questão gira em torno da mudança de perspectiva que, só pode ocorrer de verdade, com uma profunda transformação da natureza e personalidade de cada um (v.48). Tal processo, é bom lembrar, dura a vida toda (Ef 4.12,13).

Pense!
É possível ser perfeito no plano terreno e em nosso corpo material?

Ponto Importante
A perfeição apresentada por Jesus não significa igualar-nos a Deus, antes, refere-se à identificação natural que cada filho deve procurar ter com o Pai.

CONCLUSÃO
A perfeição mencionada por Jesus demonstra claramente o que é mais importante na Lei, e na perspectiva do Reino, qual seja: as intenções. Tal justiça excede a dos escribas, doutores da Lei (Mt 5.20). Isso porque ser íntegro não apenas nas ações, mas também nas intenções, faz com que nos pareçamos com o Pai celestial.

HORA DA REVISÃO

1. Qual é o fundamento do Evangelho?
A Boa Notícia de que, além de nos salvar, Deus tornou-se modelo de ser humano para toda a humanidade (Mt 5.48).

2. Onde o pecado tem início?
No “coração” ou na mente.

3. Acerca do divórcio, Jesus diverge do que prescrevia a Lei. Isso representa um prejuízo ou um benefício para as mulheres? Explique.
Um benefício, pois não se preservava apenas o auxílio e o amparo necessários a mulher, mas resguardava igualmente o homem, posto que a separação deixa marcas dolorosas para ambas as partes.

4. O que é perfeição na perspectiva de Jesus?
Refere-se a ser íntegro, inteiro e coerente, tal como Deus, o Pai, o é.

5. Como é possível ser “perfeito” como o Pai?
Com mudança de perspectiva que, só pode ocorrer de verdade, com uma profunda transformação da natureza e personalidade de cada um (v.48). Tal processo, é bom lembrar, dura a vida toda (Ef 4.12,13).

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

terça-feira, 18 de abril de 2017

ESCOLA DOMINICAL CPAD - Conteúdo da Lição 4 - Revista CPAD - ADULTOS


Isaque, um caráter pacífico

23 de Abril de 2017



TEXTO ÁUREO
“E disse Deus: Na verdade, Sara, tua mulher, te dará um fi lho, e chamarás o seu nome Isaque; e com ele estabelecerei o meu concerto, por concerto perpétuo para a sua semente depois dele” (Gn 17.19).


VERDADE PRÁTICA

Isaque, segundo filho de Abraão, deixou um exemplo de humildade e submissão a Deus e a seus pais.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE


Gênesis 26.12-25.

12 — E semeou Isaque naquela mesma terra e colheu, naquele mesmo ano, cem medidas, porque o SENHOR o abençoava.
13 — E engrandeceu-se o varão e ia-se engrandecendo, até que se tornou mui grande;
14 — e tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira que os filisteus o invejavam.
15 — E todos os poços que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de Abraão, seu pai, os filisteus entulharam e encheram de terra.
16 — Disse também Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós, porque muito mais poderoso te tens feito do que nós.
17 — Então, Isaque foi-se dali, e fez o seu assento no vale de Gerar, e habitou lá.
18 — E tornou Isaque, e cavou os poços de água que cavaram nos dias de Abraão, seu pai, e que os filisteus taparam depois da morte de Abraão, e chamou-os pelos nomes que os chamara seu pai.
19 — Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale e acharam ali um poço de águas vivas.
20 — E os pastores de Gerar porfiaram com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso, chamou o nome daquele poço Eseque, porque contenderam com ele.
21 — Então, cavaram outro poço e também porfiaram sobre ele. Por isso, chamou o seu nome Sitna.
22 — E partiu dali e cavou outro poço; e não porfiaram sobre ele. Por isso, chamou o seu nome Reobote e disse: Porque agora nos alargou o SENHOR, e crescemos nesta terra.
23 — Depois, subiu dali a Berseba,
24 — e apareceu-lhe o SENHOR naquela mesma noite e disse: Eu sou o Deus de Abraão, teu pai. Não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua semente por amor de Abraão, meu servo.
25 — Então, edificou ali um altar, e invocou o nome do SENHOR, e armou ali a sua tenda; e os servos de Isaque cavaram ali um poço.

HINOS SUGERIDOS

151, 225 e 432 da Harpa Cristã.

INTRODUÇÃO

O caráter de uma pessoa é demonstrado por suas atitudes, testemunho e práticas. Isaque é um personagem da Bíblia que tem grande significado para a história do povo de Israel. Seu nome foi dado por Deus mesmo antes do seu nascimento conforme Gênesis 17.19. O significado de seu nome é interessante: quer dizer “aquele que ri” ou “ele ri”, em alusão à reação de seu pai e de sua mãe, quando o anjo anunciou seu nascimento, sendo seus pais de idade avançadíssima.

I. ISAQUE, O FILHO DA PROMESSA


1. Promessa de Deus a Abrão.

Para entender o caráter de Isaque, é importante conhecer a história que moldou sua personalidade e forjou o seu caráter. A história de Isaque ocupa nada menos que nove capítulos do livro de Gênesis. Filho de Abraão e Sara, pela lógica humana seu nascimento seria absolutamente impossível. O “filho da promessa” teria nascido “fora de tempo”, na concepção dos homens. Quando Deus chamou Abrão para sair de sua terra e ir para uma terra estranha, fez-lhe promessas gloriosas. Uma delas era que ele seria “uma grande nação”, quando ele tinha 75 anos (Gn 12.2). Abraão já era idoso, e sua esposa estéril. Parecia impossível o casal ter um filho. Quanto mais serem pais de uma grande nação.

2. Seu nascimento, um verdadeiro milagre.
Ao ouvir que Sara seria “mãe de nações”, Abraão riu considerando coisa impossível para um homem de 100 anos e uma mulher de 90 (Gn 17.17). Percebendo Deus o pensamento de Abraão lhe fez saber que Ele é Fiel (Gn 17.19). Por ter rido, o nome do menino seria Isaque, que significa “riso” ou “aquele que ri”. Sua mãe, ao saber que teria um filho aos 90 anos (Gn 18.9,10), também não se conteve e, a exemplo do marido, também se riu no seu interior (Gn 18.12). Abraão aos 100 anos, e Sara com 90, foram pais de um lindo bebê, que causou espanto a todos que souberam daquele milagre.

II. UM HOMEM ABENÇOADO POR DEUS


1. A prosperidade espiritual.
Depois da morte de seu pai, já casado com Rebeca, e pai de Esaú e Jacó (Gn 25.19-23), Isaque foi buscar abrigo em Gerar, na terra dos filisteus, para escapar da fome que ocorreu onde morava. Ali, Deus lhe falou que não descesse ao Egito. “[...] em tua semente serão benditas todas as nações da terra, porquanto Abraão obedeceu à minha voz e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis. Assim, habitou Isaque em Gerar” (Gn 26.4-6).

2. A bênção divina é passada de pai para filho.
A bênção de Abraão foi transferida para Isaque, não pela hereditariedade em si, mas pela sua fidelidade a Deus. Seu caráter, demonstrado em sua conduta, agradou a Deus. E ele prosperou espiritualmente.

3. A prosperidade material.
“E semeou Isaque naquela mesma terra e colheu, naquele mesmo ano, cem medidas, porque o SENHOR o abençoava” (Gn 26.12). Este é o segredo da vida de Isaque. Ele era abençoado por Deus. Deus dá bênçãos espirituais e também materiais, quando o homem obedece à sua voz. A produção dos seus campos lhe deu cem por cento de colheita (Gn 26.12). É preciso entender que a prosperidade material não é o objetivo da vida cristã, como propalam os adeptos da falsa “teologia da prosperidade”. Mas Deus promete abrir “as janelas do céu” e derramar grande abundância; repreender “o devorador” e fazer as nações perceberem que seu povo é bem-aventurado, para quem é fiel nos dízimos e nas ofertas (Ml 3.10-12).

III. LIÇÕES DO CARÁTER DE ISAQUE


1. Um homem esforçado e trabalhador.
A prosperidade que Deus concedeu a Isaque chamou a atenção dos filisteus. A bênção de Deus era tão grande que incomodava os filisteus (Gn 26.15,16). Há pessoas a quem Deus abençoa e os adversários ficam com inveja, desejando o mal aos servos de Deus. Mas a maldição não alcança os que são fiéis a Deus. Balaão foi convocado para amaldiçoar os filhos de Israel. Mas não conseguiu. “Como amaldiçoarei o que Deus não amaldiçoa?” (Nm 23.8). Deus converteu a maldição em bênção (Ne 13.2 b; Pv 10.22).

2. O caráter pacífico de Isaque.
Ao sofrer terrível oposição dos invejosos e ser aconselhado a sair do lugar onde prosperara, Isaque não fez questão alguma. Foi habitar “no vale de Gerar” (Gn 26.17). Honrando o nome e a memória do seu pai, Isaque reabriu os poços que seu pai abrira e foram tapados pelos filisteus, e chamou os poços com os mesmos nomes dados por Abraão (Gn 26.18). Os pastores de Gerar questionaram os outros poços que Isaque abrira, mas ele não os confrontou (Gn 26.19,21).

3. Um caráter resiliente.
Após perder a posse de dois poços, Isaque não desistiu. Mais do que resistente, ele foi resiliente. Soube enfrentar as oposições sem se exasperar. Soube praticar a longanimidade (Gl 5.22). Continuou mandando abrir poços: “E partiu dali e cavou outro poço; e não porfiaram sobre ele. Por isso, chamou o seu nome Reobote e disse: Porque agora nos alargou o Senhor, e crescemos nesta terra” (Gn 26.22, 23). Era o “poço do alargamento” concedido por Deus. Livre da contenda, Isaque “subiu dali a Berseba” (Gn 26.28,29). Ali, Isaque e Abimeleque, rei de Gerar, fizeram um juramento de que seriam amistosos. Daí, Berseba significar “juramento”, ou “poço do juramento”. Em meio a essas experiências, “[...] apareceu-lhe o SENHOR naquela mesma noite e disse: Eu sou o Deus de Abraão, teu pai. Não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua semente por amor de Abraão, meu servo” (Gn 26.24).

4. Obediência e submissão.
Certamente, esses são os aspectos mais marcantes do caráter de Isaque. Ele soube honrar seu pai e sua mãe, como manda o Senhor (Êx 20.12). A prova mais eloquente desse caráter foi demonstrada, quando Deus falou com Abraão e ordenou que ele oferecesse o seu filho em holocausto (Gn 22.2). Isaque foi amarrado sobre o altar para o sacrifício, e não se rebelou. Mas obedeceu. Submeteu-se à vontade do pai. Deus não permitiu que Abraão o imolasse. E proveu um cordeiro para ser oferecido em seu lugar (Gn 22.11-13). Uma figura de Cristo oferecido em nosso lugar como “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29). Deus aceitou o gesto de Abraão como realizado pela fé (Hb 11.17-19).

CONCLUSÃO

A Bíblia nos mostra quão importante foi Isaque para história do povo de Deus. O seu nome se inclui entre os três patriarcas mais citados no Antigo Testamento e também no Novo. O Deus de Israel é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Que Deus nos abençoe para que nos espelhemos no caráter de Isaque para o fortalecimento da nossa fé no Deus Todo-Poderoso.

PARA REFLETIR


A respeito de Isaque, um caráter pacífico, responda:

Qual o significado do nome Isaque?

Que promessa Deus fez a Abraão, quando ele tinha 75 anos de idade?

Quais os aspectos mais marcantes do caráter de Isaque?

Por que a bênção dada a Abraão foi transferida para Isaque?

Cite algumas características do caráter de Isaque.

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!