domingo, 28 de junho de 2015

AGENDA - Encerramento do 2º Trimestre da Escola Bíblica Dominical


NESTE DOMINGO 28 Jun 2015 - 9:00h - Estarei ministrando a Aula de encerramento do 2º Trimestre da Escola Bíblica Dominical na igreja Assembleia de Deus Ministério Shalon Adonai - na rua Campista, nº 24, Jardim Sumaré - São João de Meriti-RJ.

VAI SER GLÓRIA DE DEUS - AMO ESSA OBRA, VAI LÁ.

sábado, 27 de junho de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Lista de Esboços do 2º Trimestre de 2015


LIÇÃO 1 - CPAD
LIÇÃO 2 - CPAD
LIÇÃO 3 - CPAD
LIÇÃO 4 - CPAD
LIÇÃO 5 - CPAD
LIÇÃO 6 - CPAD
LIÇÃO 7 - CPAD
LIÇÃO 8 - CPAD
LIÇÃO 9 - CPAD
LIÇÃO 10 - CPAD
LIÇÃO 11 - CPAD
LIÇÃO 12 - CPAD
LIÇÃO 13 - CPAD (NOVO)
LIÇÃO 1 - BETEL
LIÇÃO 2 - BETEL
LIÇÃO 3 - BETEL
LIÇÃO 4 - BETEL
LIÇÃO 5 - BETEL
LIÇÃO 6 - BETEL
LIÇÃO 7 - BETEL
LIÇÃO 8 - BETEL
LIÇÃO 9 - BETEL
LIÇÃO 10 - BETEL
LIÇÃO 11 - BETEL
LIÇÃO 12 - BETEL
LIÇÃO 13 - BETEL (NOVO)
LIÇÃO 1 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 2 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 3 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 4 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 5 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 6 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 7 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 8 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 9 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 10 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 11 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 12 - CENTRAL GOSPEL
LIÇÃO 13 - CENTRAL GOSPEL (NOVO)

ACESSAR AS LIÇÕES DO 1º TRIMESTRE 2013
ACESSAR AS LIÇÕES DO 2º TRIMESTRE 2013
ACESSAR AS LIÇÕES DO 3º TRIMESTRE 2013
ACESSAR AS LIÇÕES DO 4º TRIMESTRE 2013
ACESSAR AS LIÇÕES DO 1º TRIMESTRE 2014
ACESSAR AS LIÇÕES DO 2º TRIMESTRE 2014
ACESSAR AS LIÇÕES DO 3º TRIMESTRE 2014
ACESSAR AS LIÇÕES DO 4º TRIMESTRE 2014
ACESSAR AS LIÇÕES DO 1º TRIMESTRE 2015

Clique em nossos anúncios e nos ajude a levantar alguma renda.
Cada clique que você dá nos anúncios, é uma pequena ajuda que somado com a ajuda de outros irmãos beneficiará o CLUBE DA TEOLOGIA, ajude-nos!

SE VOCÊ QUISER ABENÇOAR FAZENDO UMA SIMPLES DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR: CLIQUE AQUI

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 13 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2015 - LIÇÃO 13
(Revista: Central Gospel - nº 42)

Tema: TEMPO DE RESTAURAÇÃO

Texto Áureo: Neemias 4.17
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição há muito conteúdo, se concentre no mais importante para poder ministrar tudo.
- “liderança do sacerdote Esdras”, Esdras era um sacerdote, que apesar de não ser sumo sacerdote, se destacou pela sua capacidade de liderança, intimidade com Deus, justiça e amor à Palavra do Senhor.
- “copeiro Neemias”, Neemias era copeiro do rei Artaxerxes, uma função de grande honra e status na capital do reino, mas ele decidiu largar tudo para fazer o que o Senhor colocou em seu coração, ele se destacou pela justiça, liderança, estratégia e coragem.
- Houve ainda um grupo que havia retornado primeiro com Zorobabel e já estava em Israel, mas fizeram uma reconstrução somente física do altar e do Templo.
- “reconstrução moral e religiosa”, eles trouxeram a nação a alegria de se estabelecerem em sua terra novamente e a primeira coisa que repararam foi o altar ao Senhor. Ed 3.2
_______________________________________________
1. O SEGUNDO E O TERCEIRO RETORNOS DE JUDÁ
- “Esdras encontrou o Templo reconstruído”, Esdras relata no seu livro a reconstrução promovida pelo grupo que retornou com Zorobabel e no capítulo 7 ele narra o seu retorno.
- “restaurar a espiritualidade genuína”, a para isso Esdras os guiou a se afastarem do pecado mandando embora as mulheres estrangeiras.
 ________________________________                
2. ESDRAS, O SACERDOTE-ESCRIBA
- “conexões políticas”, por ser um sacerdote e escriba, com certeza o Senhor preparou e abriu algumas portas junto ao rei para que Esdras pudesse ser usado no momento certo.
- “o sacerdote-escriba”, escriba era uma função sacerdotal, eram os homens letrados que tinham a incumbência de redigir documentos, principalmente as cópias dos livros sagrados.

2.1. Sacerdotes e levitas
- “nenhum levita fora achado entre eles”, aqui há uma distinção entre sacerdote e levita, mas não se refere ao levita tocador dos instrumentos e sim aqueles que cuidam do serviço do Templo.
- “convenceu cerca de 40 levitas”, não foi fácil promover a restauração, Esdras teve que fazer um trabalho de propaganda.

2.2. A reforma religiosa
- “racialmente puro”, a ideia não era promover um aparteid racial e sim proteger o povo da comunhão com o pecado, pois isso conduziria o povo ao erro. Cada crente deve tomar cuidado com suas companhias e seus relacionamentos.
- “laços étnicos com povos pagãos”, os povos pagãos tinham uma forte cultura idólatra e isso já havia feito Israel pecar antes.

2.2.1. O livro da Lei
- “primeiro púlpito”, Esdras é um pioneiro no ensino da Palavra, e notamos que o primeiro púlpito não foi feito para pregar e sim para ensinar.
- “explanação de trechos lidos”, a palavra “explanação” aqui está mal colocada, a palavra mais correta é “explicação”, veja:
“ E leram no livro, na lei de Deus; e declarando, e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse.”, Ne 8.8 Foi na verdade uma aula, um estudo bíblico expositivo. O objetivo era fazer com que o povo entendesse o que estava escrito. Foi a primeira aula da história.

2.2.2. Jejum e oração
- “oração e contrição”, nessa reforma, o povo tomou consciência de toda a desgraça ocorrida foi devido ao afastamento da Lei e consequente afastamento de Deus.
________________________________________________
3. NEEMIAS, O COPEIRO DO REI
- “oficial de confiança”, nessa função Neemias provava o vinho ou qualquer bebida que se trouxesse ao rei. Se tivesse envenenado o copeiro morreria e a vida do rei seria preservada. O copeiro era um oficial da maior confiança do rei.
- “a fim de que Deus providenciasse uma solução”, de fato foi o Senhor quem providenciou a solução, porque Neemias não foi pedir nada ao rei, ele ficou quieto, mas não conseguia esconder sua tristeza.

3.1. A muralha de Jerusalém
- “presença imponente de tal estrutura”, Jerusalém fica em uma elevação montanhosa, e com aquela muralha ficava quase impossível ser conquistada.
- “encontrava-se exposta”, por isso os vizinhos eram contra a reconstrução da muralha, eles conheciam a história do povo de Deus.

3.2. Oposição e opositores
- “contingente de soldados persas”, havia o perigo de serem assaltados ou serem ameaçados por velhos rivais.
- “lhe davam o direito legal de reconstruir os muros”, somente o império poderia autorizar alguma província construir ou reconstruir muros.
- “medo e indignação”, ninguém ficava satisfeito vendo um povo poderoso reconstruindo uma muralha forte. Isso diminuía o poder e autoridade deles. Assim são todos os que se levantam contra alguém que cresce na empresa ou até mesmo no ministério eclesiástico.

4. OS ANOS DE SILÊNCIO
- “período intertestamentário”, quer dizer, entre testamentos, ou ainda período interbíblico.
- “anos de silêncio”, quer dizer que nesse período Deus não falou por meio de profetas e nem por meio de escrito inspirado.
- “inexistência de documentação canônica”, essa documentação canônica são os livros que fazem parte do Cânon bíblico. Os livros produzidos nesse período são considerados apócrifos, por não serem considerados inspirados.
A palavra apócrifo significa falso ou suspeito.

4.1. O domínio grego (332 a.C. – 167 a.C)
- “sob a liderança de Alexandre Magno”, esse general grego desenvolveu impressionantes técnicas de combate e simplesmente devastou todos os exércitos do mundo conhecido.
- “a língua helênica passou a ser o idioma internacional”, Alexandre o grande, como todo grego, considerava a cultura grega como a melhor e mais bela do mundo, por isso ele e seus generais se esforçavam em helenizar os povos conquistados, construindo bibliotecas e esculturas por onde passavam.

4.2. A independência macabeia (162 a.C. – 63 a.C.)
- “governador selêucida”, o império selêucida surgiu após a morte de Alexandre.
- “programa de helenização”, tinha como objetivo implantar a cultura grega e o culto aos ídolos gregos em Jerusalém.
- “ameaçou a destruir a religião”, a ideia de Epifânio era acabar com o culto a Deus.
- “liderança dos macabeus”, os macabeus foram um exército rebelde que era liderado por Judas Macabeu. Libertou Israel do domínio selêucida.
- A história dos macabeus está relatado nos livros apócrifos I e II Macabeus.

4.3. O domínio romano
- “cedeu espaço ao domínio romano”, os romanos dominaram o mundo assim como Alexandre fizera, porém eles aliaram ao seu poderio militar o aprimoramento da logística e a da política, isso permitiu que eles mantivessem liderança permanente em todas as regiões.
- “ambiente político propício ao advento do Messias”, na Bíblia esse período é chamado de “plenitude dos tempos” Gl 4.4
______________________________________
CONCLUSÃO
- “o palco pós-exílico”, outro fator que foi excelente para o advento do Messias foi a instituição do ensino bíblico nas sinagogas, isso proporcionou que todos conhecessem as Escrituras e pudessem ser ministrados sobre os feitos do Messias.
- “Hoje, o Israel de Deus”, se refere aos crentes no mundo inteiro.
- Corrija o questionário e elabore o resumo e apresente a nova revista se já tiver em mãos.

Boa aula!


Marcos André – professor

PREGAÇÃO ÁUDIO - O Chamado de Samuel

OUÇA ESSA PREGAÇÃO, DEUS VAI FALAR CONTIGO

Tema: O Chamado de Samuel

Ministrada pelo Evangelista Marcos André no Culto de Libertação da Assembleia de Deus Ministério Maanaim em São João de Meriti-RJ


Check this out on Chirbit
Contatos para pregação ou palestra Ev Marcos André:
Tel 21 992791366 (Claro)
21 969786830 (Tim) (whatsapp)
21 37540312 (residência)
e-mail: licks1996@gmail.com

No estado do Rio de Janeiro ou em qualquer lugar do Brasil

sexta-feira, 26 de junho de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 13 - Revista da Editora Betel


AULA EM 28 DE JUNHO DE 2015 – LIÇÃO 13
(Revista: Editora Betel)

Tema: Aspectos da vida de Moisés

Texto Áureo: Deuteronômio 34.12
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição comprimente a classe por chegarem ao final do trimestre e na medida do possível ensine como os fatos ensinados podem fazer a diferença nas nossas vidas hoje.
- “as providências divinas são sempre sobrenaturais”, o Senhor é provedor e suas providências não são dentro da possibilidade humana. Ele age quando o homem não pode mais agir.
- “estranhas”, Deus age conhecendo fatos que não sabemos, por isso Ele toma atitudes que estranhamos hoje, mas no futuro entenderemos.
- “somos tentados a sentir-nos desencorajados”, Satanás tenta fazer o ser humano desanimar e parar a sua caminhada.
__________________________________________
1. As qualidades de um homem trabalhado por Deus.

1.1. Um homem de renúncias.
- “a satisfação, o prazer e o status”, esse é o objeto de desejo do hedonismo, existe atualmente um comportamento hedonista na sociedade pós-moderna. O hedonismo é a doutrina moral definida pela busca do prazer como finalidade da vida.
- “Moisés rejeitou tudo que possuía de melhor”, ele fez isso para poder se ajuntar ao povo de Deus e não haveria para ele nenhum retorno financeiro ou compensação. Atualmente encontramos crentes que almejam grandes ganhos no evangelho, precisam aprender com Moisés.
- “porque viu uma maior recompensa”, Moisés com certeza, enquanto esteve em companhia de Joquebede, ouviu as histórias acerca de Abraão, Isaque e Jacó e as guardou e creu, por isso tomou a decisão certa.  Isso é fé, ele acreditou naquilo que ouviu, apesar de não ter visto.

1.2. Um homem de sensibilidade e justiça.
- “o hebreu que estava sendo ferido pelo egípcio”, essa justiça foi movida pelo sentimento de fraternidade, ele defendeu um indefeso que ele considerava seu compatriota. Esse sentimento é comum entre os que se dizem justos.
- “defesa das filhas de Jetro”, aqui ele demonstrou sentimento de justiça pelos indefesos desconhecidos. Esse sentimento já não é comum entre os que se dizem justos, é um nível mais elevado de justiça.
- “quando pediu para ser riscado do livro”, esse é sentimento de justiça pelo rebelde, totalmente incomum e muito raro até mesmo nos melhores homens.
- “Havia em Moisés uma combinação de força e gentileza”, a justiça de Moisés é carregada de misericórdia semelhante a Jesus Cristo, porque se fosse fazer justiça ao pé da letra, os rebeldes teriam perecido, mas em Cristo todos temos uma oportunidade de salvação.
- “fora treinado para a guerra no Egito”, Moisés era um príncipe no Egito, com certeza não foi treinado para liderar homens em combate, mas foi treinado para comandar um país em caso de esforço de guerra, por isso estava em condições de libertar o povo e ser seu legislador.

1.3. A paciência na obscuridade.
- “obscuridade”, se refere ao silêncio de Deus.
- “quarenta anos sem visão, sem revelação”, a provação muitas vezes combate o imediatismo humano, alguns crentes querem que as coisas aconteçam rapidamente em suas vidas, mas precisamos aprender a esperar o tempo de Deus.
- “é se o Senhor ainda conta conosco”, nesses momentos o inimigo tenta lançar dúvidas para abalar a nossa fé. Note que quando Satanás tentou Jesus ele arguiu com perguntas do tipo: “Se tu és o Filho de Deus”.Mateus 4:3
- “Deus não nos usa por um tempo e depois abandona”, esse tipo de conhecimento é alcançado na maturidade Cristã. Depois de um sentimento de culpa a pessoa sente a esperança reacendendo quando ela é buscada pelo Senhor a quem deveria buscar.
- “não nos apaga da história quando erramos”, geralmente a pessoa é que se afasta de Deus devido a vergonha e o sentimento de incapacidade, mas o Senhor está sempre nos esperando retornar.
- “nós mesmos não queremos obter o perdão”, forma generalizada de falar, é que algumas pessoas se afastam por perder a esperança de salvação.
_____________________________________________
2. Moisés, um homem de feitos extraordinários.
- “envergonhar a potência dos deuses ali existentes”, a potência dos deuses do Egito não existia em lugar nenhum, a não ser nos corações dos seus adoradores, por isso foi necessário agir na mente deles envergonhando seus deuses em público.

2.1. Trevas palpáveis.
- “as trevas eram tão espessas que eles podiam sentir”, podemos deduzir que não foi possível nem sequer ascender uma lamparina ou qualquer chama.
- “os hebreus reluziam”, a cidade do povo de Deus era separada das demais do Egito, sobre eles não houve efeito dessa praga. Eram duas mensagens distintas ao povo do Egito, a primeira é que Deus tem poder e o deus Rá não tem poder nenhum. A outra é que os que estão sem Deus sofrem as consequências e os que estão com Deus são poupados.  

2.2. O sangue nos umbrais da porta.
- “a noite que ninguém dormiu”, no Egito podemos chegar a conclusão de que uma insônia coletiva, pois em cada casa havia pelo menos um morto. Imagine os gritos de dor em todas as casas avançando pela madrugada.
- “poder do sangue”, se referindo ao poder do sangue de Jesus, pois aquele sangue era o simbolismo do sangue do Cordeiro de Deus que seria derramado na cruz do calvário e que está sobre as casas dos fieis protegendo e guardando suas famílias.
- “foi à meia noite, na hora da paz, do descanso e do silêncio”, isso é um claro exemplo de como será no mundo no período do juízo de Deus, quando ocorrerão os fatos previstos no Apocalipse e nas cartas, apresente a classe esse texto: “Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.” 1 Tessalonicenses 5:3 Dessa forma entendemos que o juízo virá em momento que ninguém espera, como foi no Egito.

2.3. O dedo de Deus.
- “puderam ser reproduzidas pelos magos de Faraó”, o objetivo de reproduzir as pragas era poder dizer que o que Moisés estava fazendo era algo que qualquer um dos deuses do Egito poderia fazer também. A base da obediência que o povo tinha por faraó estava na crença de que ele fosse um semi deus e se o povo deixasse de crer nos deuses do Egito, também não acreditaria nele.
- “Se o dedo de Deus pode fazer isso ao inimigo”, ao que tudo indica, essa afirmação era para faraó entender que eles estava lhe dando com um força muito superior a fim de persuadir faraó a parar de tentar lutar contra ele.
________________________________________
3. Moisés, apenas um homem.
- “ era um ser humano igual a qualquer um de nós”, Deus poderia ter enviado algum anjo para aquela obra, mas Ele prefere usar o homem. O homem é a coroa da criação de Deus, a quem Satanás odeia, por isso o inimigo é acusador do homem, por isso Deus se agrada em mostrar para o inimigo o que o homem pode fazer, Deus se agrada em dizer para o inimigo: “Observaste tu a meu servo Jó?” Jó 1.8 .
- “que muitas vezes se descontrolou”, Moisés tinha o temperamento fleumático, e uma das características desse temperamento é que ele guarda as insatisfações e explode em um momento que não suporta mais. Por isso Moisés se declara calmo, mas teve seus momentos de descontrole.

3.1. Os descontroles emocionais de Moisés.
- “título de manso não o isentou de perder a linha”, esse título aparece em Números 12.3 e reflete a verdade, ele era de fato calmo, mais devido a seu temperamento ele guardava as afrontas e injustiças dentro de si e liberava de uma vez como abrimos a válvula da panela de pressão quente e o vapor tenta sair com violência.
- “Deus não mandou Moisés matar o egípcio”, Moisés sempre sofreu consequências desagradáveis devido a seus descontroles. No caso da morte do egípcio ele teve que fugir para o deserto.
- “para que |Moisés quebrasse o documento que escreveu”, esse foi outro ato de descontrole de Moisés, e como consequência dessa atitude, Deus mandou que Moisés escrevesse novamente os mandamentos, só que dessa vez Moisés teria que talhar a rocha e lavrar o documento em pedra com suas próprias mãos. Ex 34.1
- “ele ficou de fora da Terra Prometida”, essa foi a consequência desse último descontrole. A ordem de Deus era para todos, por isso Moisés também não foi poupado da consequência.

3.2. O sábio sabe o limite do tempo.
- “Infelizmente, voltar é impossível”, convide os alunos a aproveitarem as oportunidades de fazer o certo hoje. Todavia se alguém pecou podemos recorrer ao advogado. 1 Jo 2.1 O nosso advogado nos livra da condenação, mas a consequência física do nossos erros teremos que suportar. Se alguém exagerou no cartão de crédito, terá de pagar a conta, se adulterou e engravidou alguém terá que arcar com o sustento e se cometeu algum crime terá de responder junto a justiça dos homens.
- “Não podemos desfazer palavras”, diante disso Jesus ordenou que os crentes pratiquem a vigilância. Ele se referia ao cuidado contra o pecado, tanto que em seguida Ele falou que a carne é fraca. Mt 26.41
- “andar mais perto do Senhor”, estar perto de Deus ajuda-nos a manter a vigilância, poucas tentações chegam para os que estão perto de Deus.

3.3. Toda capacitação vem de Deus.
- “A arma que Deus lhe deu foi uma vara”, Deus não dá muitas coisas para usarmos em sua obra para que não pensemos que a vitória veio por essas muitas coisas, mas Ele nos dá pouco para que todos vejam que a Sua mão poderosa operou através de nós.
- “devemos estar no mesmo nível que Ele está”, devemos estar com a mente e o coração conectados na revelação do Pai, com os olhos focados no alvo, crendo que Deus pode fazer o impossível, cheios do Espírito Santo.
- “Tabernáculo”, se certifique de que todos sabem o que era o Tabernáculo.
- “um homem que não se movia sem a revelação de Deus”, para o povo caminhar no deserto eles esperavam a nuvem da Glória de Deus se elevar e então eles cainhavam seguindo a nuvem.
“E guiaste-os de dia por uma coluna de nuvem, e de noite por uma coluna de fogo, para lhes iluminar o caminho por onde haviam de ir.” Ne 9.12
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “A unidade da pessoa divina com a humana”, se refere à intimidade entre Deus e Moisés. Essa é a fórmula para o homem e a mulher fazerem grandes coisas na obra de Deus.
- “Como fui com Moisés também serei contigo”, Josué estava receoso diante do grande desafio e talvez estivesse pensando que jamais faria o que Moisés fez. Às vezes tememos não ser usados como Deus usa a outros irmãos, mas o Senhor pode fazer muito mais através de nós. Não precisamos fazer exatamente como o outro irmão fez, devemos fazer como Deus nos orienta a fazer.
- Elabore o resumo e apresente a classe.
- Corrija o questionário em aula.
- Se for possível apresente à classe a revista do próximo trimestre.

Marcos André – professor

Boa Aula!


ATUALIDADE GOSPEL - Homem invade igreja nos Estados Unidos e mata nove pessoas a tiros



Uma igreja protestante foi alvo de um atentado na noite da última quarta-feira, 17 de junho, quando um homem de 21 anos de idade matou a tiros nove pessoas durante uma reunião de estudo da Bíblia Sagrada, que era realizada no porão do templo.

A Emanuel African Methodist Episcopal Church fica localizada no centro histórico de Charleston, foi fundada no século XIX e é reconhecida como uma congregação de relevância na história do estado da Carolina do Sul e dos Estados Unidos na luta contra a segregação racial. O templo onde o crime foi cometido foi erguido em 1891.

O ataque ocorreu por volta das 21h00, segundo informações do porta-voz da Polícia da cidade, Charles Francis. “Oito vítimas foram encontradas mortas dentro da igreja’, disse o chefe de polícia, Gregory Mullen, em entrevista coletiva concedida logo após o atentado. “Uma nona pessoa morreu depois de ser levada para um hospital”, acrescentou.

Uma décima vítima, ainda internada, vem recebendo tratamentos médicos: “É incompreensível que alguém na sociedade de hoje faça isso em uma igreja quando as pessoas estão tendo uma reunião de oração”, lamentou Mullen.

Entre as vítimas fatais está o pastor da igreja, Clementa Pinckney, que era senador estadual (cargo equivalente ao de deputado estadual no Brasil) pelo partido Democrata.

“Oramos pelas as famílias, que terão um longo caminho pela frente“, disse o reverendo James Johnson, um ativista local de direitos civis, durante uma vigília de oração improvisada.

Suspeito preso

A Polícia divulgou imagens das câmeras de segurança do templo e conseguiu prender Dylann Storm Roof em Shelby, cidade situada no estado vizinho, Carolina do Norte, graças a uma denúncia feita pelo tio do atirador, que havia visto informações sobre o caso na internet e reconheceu o carro das fotos que teria sido usado por Roof no atentado.

O crime vem sendo considerado de ódio, devido a publicações racistas feitas por Roof em suas redes sociais, de acordo com informações do Jornal Nacional.

O ex-governador da Flórida e pré-candidato à presidência pelo partido Republicano, Jeb Bush, visitaria a cidade de Charleston em campanha na manhã de ontem, 18 de junho, mas cancelou o evento: “Condolências e orações do governador Bush estão com as pessoas e famílias afetadas por esta tragédia“, disse a equipe de campanha do candidato, que é irmão do ex-presidente George W. Bush e filho de outro ex-presidente, George H. Bush.

Fonte: Gnotícias

quarta-feira, 24 de junho de 2015

MAIS UMA MARCA ATINGIDA


O CLUBE DA TEOLOGIA COMPLETOU HOJE DOIS MILHÕES DE ACESSOS. QUEREMOS AGRADECER A COLABORAÇÃO E O CARINHO DE TODOS. 
QUE DEUS ABENÇOE A CADA UM DOS IRMÃOS E AMIGOS QUE ACESSAM NOSSA PÁGINA. PAZ A TODOS.

"O coração do entendido adquire o conhecimento, e o ouvido dos sábios busca a sabedoria." 
Provérbios 18:15