INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sábado, 18 de novembro de 2017

ESCOLA DOMINICAL BETEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 8

EDITANDO

AULA EM 19 DE NOVEMBRO DE 2017 - LIÇÃO 8
(Revista Editora Betel)

Tema: A ordenança da Ceia do Senhor

Texto Áureo: 1 Co 11.26

INTRODUÇÃO
Querido professor(a), para esta lição ensine a importância da Ceia do Senhor, mostre que ao darmos importância a ela, estamos passando um mensagem aos mais novos para no futuro terem o mesmo cuidado.
- "para nossa união com o Senhor em Sua morte", o batismo por imersão se assemelha ao renascimento de uma pessoa.
"a continuidade de nossa comunhão", apesar de a Santa Ceia fazer menção ao corpo e sangue do Senhor, ela faz também alusão à comunhão dos santos com o Senhor e entre si, já que a ceia é um evento familiar. 

1. A Ceia do Senhor e seu significado.
"para uma refeição comemorativa", aquela refeição era um ritual comemorativa da Páscoa instituída desde a saída do Egito. O Senhor determinou a ordenança na ceia de Páscoa fazendo uma referência à saída do Egito simbolizando a nossa saída do mundo.

1.1. O contexto da instituição da Ceia.
"perfeita obra da redenção consumada por Jesus", a obra que reúne libertação do mundo e caminhada com Deus. Quando o servo toma o cálice ele deve se lembrar do sacrifício de Cristo através do corpo e do sangue de Jesus e de sua comunhão com o Pai pela morte do Filho.
- "através do Seu sacrifício, Ele nos liberta", no início os crentes de Corinto não entenderam muito bem o real significado da Santa Ceia, mas com a carta de Paulo tudo ficou esclarecido e até hoje esse é o modelo que seguimos.
1.2. A primeira celebração da Ceia do Senhor.

- "o próprio Jesus instituiu e celebrou a primeira Ceia do Senhor", Jesus iniciou celebrando a Páscoa, mas logo deu ordenanças para seus filhos para que fizessem em memória a Ele e ao seu sacrifício.
"seguindo Suas instruções, o fazem “em memória” dEle", dessa forma o grande propósito da Santa Ceia é se lembrar do que Jesus fez por nós na cruz. Por isso algumas igrejas estão retirando o pedido de perdão antes da Santa Ceia, por ser uma parte da cerimônia que não havia no início e que não está no principal objetivo da Ceia.

1.3. Os elementos da Ceia do Senhor.
- "são o pão e o vinho"
, esses são alimentos quase que universais na culinária mundial.
- "Desceu, encarnou e foi crucificado", encarnar, significa vir em carne, é Deus vindo não numa teofania, mas numa forma natural pelo nascimento.
"O suco de uva simboliza o sangue de Jesus derramado", se uma determinada cultura não tiver o costume de tomar vinho e nem suco de uva, então poderá realizar com outra bebida, pois o texto de Co 11.23-32 faz referência ao cálice e seu simbolismo, não ao que há dentro do cálice. 

2. A importância do discernimento.
"O termo “discernindo”, neste versículo, tem os significados de “distinguir”, a ideia é entender o que significa cada elemento, se a pessoa tomar a ceia como uma refeição qualquer estará tomando indignamente.

2.1. Pão e vinho: diferentes interpretações.

"participar da Ceia do Senhor com solenidade", isso é, tomando com respeito protocolar cada parte da liturgia, demonstrando que há um grau elevado de importância em cada ação.
"prévio auto exame", o auto exame deve ser antes, e não pode ser impeditivo de participar, pois ao identificar o erro a pessoa deve pedir o perdão da ofensa, se foi contra Deus deve se concertar com Deus, se foi com alguém deve se concertar com esse alguém, se foi em público é bom que seja feito em público, etc.
"não são mais coisas comuns", a partir da oração, se os elementos forem tratados como coisas comuns então estará desqualificando a oração feita e isso inadmissível no Reino de Deus. 

                                      EDITANDO

Contatos palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

ESCOLA DOMINICAL CENTRAL GOSPEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 8

EDITANDO

AULA EM___DE______DE 2017 – LIÇÃO 8
(Revista: Central Gospel - nº 52)

Tema: A Soteriologia Reformada

Texto Bíblico Básico:

Romanos 9.9-21

9 - Porque a palavra da promessa é esta: Por este tempo virei, e Sara terá um filho.
10 - E não somente esta, mas também Rebeca, quando concebeu de um, de Isaque, nosso pai;
11 - porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama),
12 - foi-lhe dito a ela: O maior servirá o menor.
13 - Como está escrito: Amei Jacó e aborreci Esaú.
14 - Que diremos, pois? Que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma!
15 - Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia.
16 - Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.
17 - Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei, para em ti mostrar o meu poder e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.
18 - Logo, pois, compadece-se de quem quer e endurece a quem quer.
19 - Dir-me-ás, então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem resiste à sua vontade?
20 - Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura, a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?
21 - Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?

Texto Áureo: Rm 11.33,34
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição procure se concentrar nesses dois sistemas de crenças acerca da salvação, pois são fonte de muitos debates, estude eles separadamente, suas diferenças e quais movimentos e igrejas concebem cada um. Esclareça os alunos.
"dois sistemas soteriológicos", seriam dois sistemas pelos quais se recebe a salvação. Na verdade são teorias acerca da mesma salvação em Cristo Jesus.
"calvinismo e arminianismo", já pode adiantar pra classe que o calvinismo é a crença e defesa das teses de Calvino e que o arminianismo é a crença e defesa das teses de Arminio, dois teólogos que elaboraram entendimentos conflitantes acerca da doutrina da salvação. 
_______________________________________________
1. SOTERIOLOGIA: A DOUTRINA DA SALVAÇÃO

1.1. No Antigo Testamento
“Yahweh é o Ser soberano que...", Yahweh se pronuncia iavé, essa é uma forma do Senhor extraído do tetragrama sagrado.
"toma a iniciativa de restabelecer", se refere à cruz de Cristo, onde o Senhor tomou a iniciativa de nos salvar. 

1.2. No Novo Testamento
- "rudimentos e exterioridades mencionadas no Antigo Testamento", se refere às práticas que demonstram a salvação na vida de alguém, no Antigo Testamento era obrigatório demonstra-las, já no Novo Testamento não se torna tão necessário, um exemplo disso é o ladrão da cruz, que recebeu a salvação sem nada ter feito de obra. 

2. OS SISTEMAS SOTERIOLÓGICOS PROTESTANTES
- "os quais partem desse entendimento primordial", quer dizer que essa é a base para o entendimento da salvação: somente pela fé, somente em Cristo, somente pela Graça, não mediante as boas obras, os sistemas que serão mencionados aqui são somente teorias que usam essa base.


2.1. Considerações prévias
- "somos predestinados à salvação ou escolhemos ser salvos", alguns estudiosos afirmam que somos todos predestinados a sermos salvos, mas podemos escolher se seremos salvos ou não fazendo uso do livre arbítrio, outros afirmam que apenas alguns foram predestinados a salvação enquanto outros teriam sido predestinados a perdição.
"ocorreram polarizações entre ambos os pensamentos", quer dizer que os estudiosos se dividiram em quem acredita na predestinação e quem acredita no livre arbítrio. 


2.2. O calvinismo e a predestinação

"independente do desejo ou de qualquer ato da vontade humana.", essa predestinação chamamos de "fatalista", ou seja, ela é fatal, não importa o que a pessoa fizer, ou ela está predestinada a salvação ou a perdição. Essa doutrina nega a existência do livre arbítrio.

                                           EDITANDO

Contatos palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 8


AULA EM 19 DE NOVEMBRO DE 2017 - LIÇÃO 8
(Revista CPAD)

Tema: Salvação e Livre-Arbítrio

Texto Áureo: Sl 25.12


INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição é interessante fazer a comparação entre a crença no livre arbítrio de Armínio e a predestinação de Calvino.
- "Por decisão pessoal, e liberdade individual", quer dizer que a pessoa recebe a salvação se quiser, não é obrigada, assim como os prisioneiros na ocasião em Paulo e Silas oravam e cantavam no cárcere da cidade de Filipo, as celas foram abertas, mas eles não foram obrigados a sair. Jesus abriu as celas, mas só sai quem quer.

I – A ELEIÇÃO BÍBLICA É SEGUNDO A PRESCIÊNCIA DIVINA

1. A eleição de Israel.
"tem um significado mais específico que no Novo Testamento", quer dizer que no Antigo Testamento a eleição foi para um grupo pequeno de pessoas e no Novo Testamento é para um grupo bem maior e diversificado.
"diante dele havia a possibilidade de não atender", Deus sempre dá essa possibilidade ao ser humano, ainda que a ordem dada a Abraão parecesse ser incisiva e contundente, o Senhor sempre dá ao homem a possibilidade de não seguir ao que Ele manda, a prova disso foi a árvore da ciência do bem e do mal colocada no meio do jardim do Éden, Deus jamais colocaria uma árvore proibida no meio do jardim se quisesse tirar qualquer possibilidade de ser humano exercer seu livre arbítrio.
"como base para fundamentar a salvação individual", se refere à salvação ofertada a somente algumas pessoas, como se Deus negasse o livre arbítrio aos outros, criando alguém destinado ao inferno.

2A eleição para a salvação.
"é proclamada por meio da pregação", quer dizer que a eleição é estendida a todos, mas somente os que desejarem a receberão.
"mas quem não crer será condenado", quando a pessoa não crê está se desfazendo desse enorme sacrifício que o Senhor fez, depois de todas as tribulações que Jesus sofreu na cruz é uma grande desfeita a pessoa recusar Sua oferta.

3A presciência divina.

"é a capacidade de Deus saber todas as coisas de antemão", a palavra presciência inicia com o prefixo "pre" que significa antes e o radical "ciência" que significa saber ou conhecimento, ou seja, presciência significa saber antes ou conhecer antes.
"e de interferir na história humana", o Senhor interferiu algumas vezes no curso da História para impedir grandes males, por exemplo, enviou o dilúvio para impedir a degradação total do gênero humano, enviou Jesus para salvar a humanidade, sempre as interferências do Senhor são para benefício do homem.
"mas nem todas atenderão ao seu convite", sabemos disso pelos fatos descritos em Apocalipse, ali temos a noção de que milhares e milhares de pessoas não aceitarão o sacrifício de Jesus e permanecerão em rebelião contra Deus.
"mas paradoxalmente, também desfrutamos do livre-arbítrio", professor(a), o maior questionamento que pode aparecer aqui é o seguinte: se Deus já sabe de todas as coisas, então como podemos ter o livre arbítrio, pois de alguma forma estamos fadados a tomar certas atitudes. O que sabemos é que o Senhor não interfere nessa história, embora Ele saiba, não compartilha, Ele deixa nós construirmos a nossa história baseada em nossas decisões.  

II - ARMÍNIO E O LIVRE-ARBÍTRIO

1. Breve histórico de Jacó Armínio.
"envolvido numa disputa calvinista", João Calvino desenvolveu as teses da predestinação e contestou o livre arbítrio, os que defendem suas teorias são chamados de "calvinistas" enquanto que os que defendem as teses de Armínio são chamados de "arminianos".
- "a partir dos primeiros Pais da Igreja", quer dizer que ele baseou sua doutrina a partir do que pensavam os pais da igreja observando seus escritos nas suas cartas.
"postura tolerante e não combativa", até hoje se apresenta grandes disputas sobre as diferenças de crenças entre calvinistas e arminianos, ocorrendo debates e muito atrito, porém e melhor postura é a do não enfrentamento, a defesa dessas teses contribuem pouco para o Reino de Deus.

2. O livre-arbítrio.
- "tomar decisões que afetam seu destino eterno", a vida é feita de ações a partir das decisões que tomamos, só assim podemos construir a nossa história, o livre arbítrio é a garantia de que podemos decidir sobre nossas ações. Muitos acreditam que ao aceitar a Cristo, não exercemos mais o livre arbítrio, porém isso não é verdade, ainda o exercemos nas pequenas coisas.
"deixar-se convencer pelo Espírito Santo", seria a pessoa dar ouvidos o que o Espírito diz, todos tem o livre arbítrio de escolher se vai dar ou não atenção à Palavra de Deus.
"Criador outorgou o livre-arbítrio ao homem", Deus deu ao homem a possibilidade de escolha entre comer ou não da árvore da ciência do bem e do mal, apesar de ter sido proibido ao ser humano comer daquele fruto, Deus não pôs uma cerca e nem retirou a árvore do jardim.

3. O livre-arbítrio na Bíblia.
- "possuem a faculdade de escolherem livremente", pelo que podemos perceber os anjos também foram criados com o livre arbítrio devido ao fato de Lúcifer ter escolhido se encher de orgulho e se rebelar contra Deus, porém ao que parece hoje eles não possuem mais essa prerrogativa.
"se em Adão todos são predestinados para a perdição", é como dizer que a pessoa naturalmente já nasce para a condenação pela natureza adâmica. Tão logo adquire a consciência, a pessoa começa logo a pecar.
- "em Cristo, todos são predestinados para a salvação", ou seja, após o sacrifício de Jesus o ser humano já nasce predestinado a ser salvo, tão logo ele adquire a consciência já está em condições de decidir se deseja ou não a salvação, somente precisa ser anunciado a ele o evangelho.

III - ELEIÇÃO DIVINA E LIVRE-ARBÍTRIO

1. A eleição divina.
- "que tem como objeto de seu amor todos os seres humanos", significa que Deus elegeu a todos, ou seja, predestinou a todos para a salvação.
"nos elegeu com propósitos específicos", esses propósitos específicos também é direcionado a todas pessoas,apenas a chamada é especial para cada indivíduo,tendo cada um a sua própria chamada para um ofício especial no serviço da obra de Deus.

2. Escolha humana e fatalismo.
- "A graça comum (Rm 5.18) é estendida a todos", de acordo com a referência, a graça comum é a salvação ter sido estendida a todos os seres humanos, é uma graça comum a todos.
"ser uma ação fatalista de Deus", significa ação fatal, uma ação que independe da decisão humana.
"enquanto os outros, por escolha divina, vão para o inferno", não conseguimos conceber a ideia de que Deus teria feito pessoas exclusivamente para arderem no inferno.
-"pois Deus não faz acepção de pessoas", acreditar na predestinação fatalista é o mesmo que acreditar que Deus faça acepção de pessoas.

3. A possibilidade da escolha humana.
- "o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora", esse texto dá a ideia de que a pessoa teria a opção de escolher a quem ir, mas como escolheu a Deus então ele não lançará fora.
"não criou seus filhos como robôs autômatos", como os das fábricas que só fazem o está previsto no programa para ser executado.

CONCLUSÃO
- "oferecido a todas as pessoas, independente de méritos", é oferecido a todos, porém só pega quem quiser, por isso observamos isso no mundo, uns querem e outros não.
PARA REFLETIR
A respeito da salvação e livre-arbítrio, responda:

Qual foi o propósito da eleição de Israel no Antigo Testamento?
A eleição de Israel é específica e pontual. Deus tinha um propósito de enviar o Salvador ao mundo por intermédio da nação judaica.

O que é a presciência divina?
Presciência é a capacidade de Deus saber todas as coisas de antemão e de interferir na história humana.

O que é o livre-arbítrio?
O livre-arbítrio é a possibilidade que os seres humanos têm de fazer escolhas e tomar decisões que afetam seu destino eterno, especificamente se tratando da salvação.

O que é a eleição segundo a Bíblia?
A eleição é uma escolha soberana de Deus que tem como objeto de seu amor todos os seres humanos. Não é uma obra que leva em conta o mérito humano, mas que é feita exclusivamente em Cristo (Ef 1.4).

Qual é a vontade de Deus quanto à salvação do ser humano?
O nosso Deus deseja que todo ser humano, espontânea e livremente, o ame de todo coração e mente.

Contatos palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

ATUALIDADE GOSPEL - Ator da Globo detona ideologia de gênero: “estão brincando de Deus”

Carlos Vereza pediu que o presidente Temer impeça que tema seja ensinado em sala de aula



O presidente Michel Temer recebeu no início noite desta segunda-feira (13) o ator global Carlos Vereza.

Durante o encontro, o ator reclamou que a ideologia de gênero está “erotizando as crianças” e irá gerar “traumas quando adultos”. Ele pediu que Temer, “como comandante supremo do país”, tomasse uma medida para “paraSegundo Vereza, os professores “estão brincando de Deus e mudando toda a biologia”. “Por mais que eles inventem, homem não tem útero e mulher não tem pênis”, finalizou.

No final da reunião, o ator disse que Temer foi “receptivo” ao seu pedido. Com informações O Globor com a solerte ideologia de gênero”.

FONTE : GOSPELPRIME


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

AVISO - Sequência dos Esboços da Lição 8

POSTAREMOS OS ESBOÇOS NESSA SEMANA NA SEGUINTE ORDEM:

LIÇÃO 8  CPAD CENTRAL GOSPEL - 3º BETEL

SOLICITAMOS QUE O AMADO USUÁRIO CLIQUE NESSA PROPAGANDA ABAIXO! Enquanto isso estamos trabalhando aqui nos esboços!

terça-feira, 14 de novembro de 2017

ATUALIDADE GOSPEL - Filme sobre Gênesis promete desconstruir teoria de Darwin

“Evolução é o maior mito imposto na mente das pessoas”, prega docudrama.


Uma nova produção cinematográfica cristã estreou esta semana nos Estados Unidos. “Genesis: Paradise Lost” [Gênesis: Paraíso Perdido]. O longa é um docudrama, ou seja, um documentário que combina animação computadorizada com comentários de eruditos da Bíblia para contar a história da criação.

“Queremos colocar o levar o expectador de volta para aquela época, como se estivesse lá”, explica o apologeta Ken Ham, fundador e presidente do ministério Respostas em Gênesis e idealizador do parque temático Encontro da Arca.

Ham espera que o filme sirva para alcançar pessoas que talvez nunca tenham ouvido a história bíblica da criação e a levado a sério. Para o apologeta, a produção poderá ajudar a reverter alguns dos danos causados ​​pelo pensamento secular sobre o surgimento da vida no planeta.

“Durante gerações nossas crianças ficaram reféns de um sistema educacional que lhes diz que viemos dos macacos e que não há Deus”, desabafa.

Genesis: Paradise Lost por enquanto só está disponível em inglês. Não há previsão para seu lançamento no Brasil. Com informações de CBN

FONTE : GOSPELPRIME

ESCOLA DOMINICAL CPAD JOVENS - Conteúdo da Lição 8


A RESPOSTA CRISTÃ PARA A VIOLÊNCIA URBANA 
19 de novembro de 2017


Texto do dia.
"A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência." Gn 6.11

Síntese.
O enfrentamento da violência urbana e a compaixão pelas vítimas são faces da responsabilidade cristã na sociedade. 

Texto bíblico

Lucas 10.30-37
30 E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram e, espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto.
31 E, ocasionalmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo.
32 E, de igual modo, também um levita, chegando àquele lugar e vendo-o, passou de largo.
33 Mas um samaritano que ia de viagem chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão.
34 E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, aplicando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem e cuidou dele;
35 E, partindo ao outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele, e tudo o que de mais gastares eu to pagarei, quando voltar.
36 Qual, pois, destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores?
37 E ele disse: O que usou de misericórdia para com ele. Disse, pois, Jesus: Vai e faze da mesma maneira.

INTRODUÇÃO
Na lição deste domingo, violência urbana é o tema a ser estudado. No sentido aqui compreendido, o termo violência urbana alude a toda conduta humana que ofenda a lei e a ordem pública. 

I - PERSPECTIVA BÍBLICA SOBRE A VIOLÊNCIA

1. A violência na Bíblia.
O primeiro episódio violento registrado nas Escrituras após a rebelião humana foi protagonizado por Caim. Este entrou para os anais da história como o homem que inaugurou a violência na face da terra, ao assassinar friamente seu irmão Abel (Gn 4.1-16). Depois deste fatídico evento, e com a crescente degeneração humana, não pararia mais a escalada da violência social, a ponto de homens sanguinários se vangloriarem de seus feitos cruéis (Gn 4.23) e assassinos serem cultuados como verdadeiro heróis (Gn 6.4).

2. A geração do dilúvio.
Violência e depravação vieram a atingir níveis alarmantes nos tempos de Noé (Gn 6.5). De acordo com Gênesis 6.11, a terra estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência. O Guia do Leitor da Bíblia explica que maldade e violência são as duas palavras usadas para caracterizar os pecados que causaram o dilúvio do Gênesis: "Maldade é rasah, atos criminosos que violam os direitos dos outros e tiram proveito do sofrimento deles. Violência é hamas, atos deliberadamente destrutivos que visam prejudicar outras pessoas". Eis aí as características da violência urbana.

3. Violência ao longo da Bíblia.
As Escrituras relatam muitos outros episódios de violência, crueldade e agressão, física e emocional, a fim de evidenciar a condição pecaminosa do homem (Êx 2.11,12; 2 Sm 13; 1 Rs 21). Ao lermos tais passagens, devemos ter em mente que se trata de relatos descritivos, e não prescritivos. Ou seja, descrevem fatos, mas não prescrevem condutas! 

Pense
Por amor à humanidade, Jesus submeteu-se à maior de todas as violências: a morte.

Ponto Importante
A Bíblia faz questão de registrar a violência humana. Afinal, não é objetivo de Deus esconder a verdade ou falsear a história da humanidade.

II - O PODER PÚBLICO E A VIOLÊNCIA URBANA

1. "Nínives" da atualidade.
O Brasil é um dos países com maior índice de criminalidade do mundo, com elevada taxa de homicídios, roubos, sequestros e outros atos criminosos. Algumas cidades se assemelham a Nínive: há derramamento de sangue, são repletas de roubo e nunca ficam sem presas (Na 3.1). Nesse quadro avassalador, a população vive em estado de pânico, insegura e traumatizada com a delinquência dominante. Oremos pelo nosso país!

2. O Estado e a sua função de punir o mal.
Conforme estudamos na lição anterior, Deus delegou ao governo civil a autoridade para castigar os malfeitores (1 Pe 2.14). Paulo diz que os magistrados são ministros de Deus, e vingador para castigar o que faz o mal (Rm 13.4). Fica claro, à luz do texto bíblico, que somente o Estado, sob a autoridade divina, pode punir os malvados, o que contraria qualquer ideia de revanchismo, vingança privada e o "justiçamento" feito com as próprias mãos.

3. O papel do Poder Público.
É responsabilidade do poder público a promoção da segurança e o combate a todo tipo de criminalidade, mediante a atuação conjunta e eficiente dos três poderes governamentais. Espera-se do Legislativo a criação de leis e normas que coíbam todo e qualquer ato de violência a fim de garantir a ordem e a paz social. O poder Executivo, além de criar políticas públicas que busquem garantir a segurança da população, deve manter um corpo policial preparado, próximo da comunidade, que saiba atuar de forma preventiva e repressiva. Enquanto isso, o Judiciário tem o importante papel de julgar de maneira célere e punir com justiça os homens violentos e sanguinários, evitando, com isso, a impunidade.

Pense
"Não vos vingueis a vós mesmos [...]." (Rm 12.19)

Ponto Importante
É responsabilidade do poder público a promoção da segurança e o combate a todo tipo de criminalidade.

III - A IGREJA EM UMA SOCIEDADE VIOLENTA

1. Utilizando as ferramentas de Deus.
Os filhos de Deus têm condições suficientes de contribuir com o enfrentamento da violência urbana, valendo-se das ferramentas que Deus nos disponibilizou em sua Palavra. Vejamos como fazer isso:
a) Fornecendo uma lei moral absoluta: Para criarmos uma boa sociedade do ponto de vista cristão, é necessário, em primeiro lugar, um firme sentimento do que é certo e errado e uma determinação para colocar adequadamente em ordem a vida de alguém. A violência urbana da presente época deve-se em grande parte à desconstrução dos valores judaico-cristãos que serviram de base para a história da humanidade. O cristianismo rejeita o relativismo pós-moderno e fornece ao homem uma lei moral absoluta que permite julgar entre o certo e o errado.
b) Envolvendo-se com a comunidade local: Na fé cristã, palavras e ações devem caminhar juntas. Logo, o agir cristão impactante no contexto das cidades inicia-se com o envolvimento da igreja com a comunidade, famílias e escolas locais. A congregação de crentes não pode viver alienada do cotidiano e dos problemas que afetam o bairro onde está instalada.
c) Desenvolvendo projetos contra a violência: Você já pensou como os grupos de jovens crentes podem ajudar a desenvolver projetos contra a violência urbana? Colocando em prática a força espiritual a que João alude (1 Jo 2.14), é possível promover ações sociais que incentivem o comportamento virtuoso e confrontem os vícios sociais que conduzem à destruição e à delinquência juvenil.
d) Apoiando as vítimas da violência: Por fim, e não menos importante, é a ajuda às vítimas da violência. No exemplo de Jesus (Lc 10.37), a atuação do Bom Samaritano não se resumiu às palavras de apoio ao homem que fora espancado a caminho de Jericó. A Bíblia diz que ele "atou-lhe as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre o seu animal, levou-o para uma estalagem, e cuidou dele" (v. 34). Há muitos feridos e moribundos ainda hoje. Cuidar dessas pessoas revela a nobreza do amor de Deus derramado em nossos corações

Pense
Além de pôr em prática a dimensão do cuidado, o Bom Samaritano garantiu financeiramente a continuidade do tratamento da vítima.

Ponto Importante
Na fé cristã, palavras e ações devem caminhar juntas.

CONCLUSÃO
Ao final desta lição, a parábola do Bom Samaritano ainda continua a nos ensinar muito a respeito do enfrentamento cristão à violência urbana de hoje. . Deus nos chama a desempenhar esse mesmo ministério da compaixão e da misericórdia nesta sociedade fraturada pela violência física, emocional e patrimonial.

Hora da revisão.

De acordo com a lição, o que é violência urbana?
Alude a toda conduta humana que ofenda a lei e a ordem pública. Refere-se, portanto, à criminalidade de maneira geral.

Por que a Bíblia contém vários relatos de violência?
Não é objetivo de Deus esconder a verdade ou falsear a história da humanidade com as suas mazelas decorrentes do pecado.

Por que o revanchismo, a vingança privada e o "justiçamento" feito com as próprias mãos não são condutas apropriadas?
Porque fica claro, à luz do texto bíblico (1 Pe 2.14; Rm 13.4), que Deus delegou ao governo civil a autoridade para castigar os malfeitores.

Do ponto de vista social, qual era o intuito dos mandamentos?
Organizar a vida em comunidade, para proteger os israelitas contra o arbítrio e a ofensa alheia.

De que modo os filhos de Deus podem contribuir para o enfrentamento da violência urbana?
Podem contribuir: a) fornecendo uma lei moral absoluta; b) envolvendo-se com a comunidade local; c) desenvolvendo projetos contra a violência e; apoiando as vítimas da violência.

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!